Mudar um hábito em 6 passos

· janeiro 18, 2019

Mudar um hábito é um grande desafio, especialmente se ele está bem consolidado. Por outro lado, se olharmos diante do espelho, todos nós somos capazes de identificar um hábito que gostaríamos de mudar.

Com cada início de ano temos aquela intenção de fazer ou deixar de fazer algo. Muitas vezes nós começamos bem, mas depois de pouco tempo voltamos a fazer a mesma coisa.

A boa notícia é que existem métodos eficazes para mudar um hábito. Às vezes o que fracassa não é a sua vontade, mas a estratégia. Logicamente isso requer esforços e perseverança, mas sem um método adequado, é muito mais difícil conseguir esse objetivo de mudar.

Para mudar um hábito é necessário colocar em jogo os aspectos cognoscitivos, emocionais e volitivos. A decisão é somente um antecedente necessário, mas não é suficiente. A partir da análise da conduta humana, ficou estabelecido que o propósito de alterar um hábito passa por seis etapas. Elas são as seguintes.

“Ninguém pode ser escravo de sua identidade: quando surge uma possibilidade de mudança, devemos mudar”.
– Elliot Gould –

1- A pré-contemplação, o primeiro passo para mudar um hábito

O processo de mudar um hábito se inicia quando indícios começam a sussurrar no ouvido. Uma voz, quase sempre tênue, diz que existe um hábito pouco saudável ou positivo em nossas vidas. Às vezes são os outros, às vezes a própria pessoa é quem detecta esse fato. O certo é que aparece a ideia de que existe algum comportamento que seria adequado eliminar.

Mulher plena com seus hábitos

Ao mesmo tempo, aparece também uma negação dos fatos. A resistência, às vezes, é muito mais forte. Buscamos razões para manter o hábito, ou subestimamos os argumentos que nos convidam a mudá-lo. Nós tendemos a manter tudo igual, e a ideia de uma grande mudança não nos entusiasma inicialmente.

2 – A contemplação

É a etapa mais longa do processo de mudança de um hábito. Dura meses, anos, ou até mesmo uma vida inteira. Abrange o momento em que cada um se torna consciente de que, efetivamente, tem um hábito nocivo, e que o adequado seria passar por uma transformação.

Esta também é a fase na qual toma-se a decisão de mudar e, eventualmente, são feitas as primeiras tentativas para conseguir. No entanto, podemos enfrentar a falta de motivação ou algumas dificuldades para encontrar o caminho certo da mudança.

3 – A preparação

A preparação é aquela fase em que começam os esforços para mudar. É o tempo de empreender. São as tentativas falidas, não muito constantes, que, de todo jeito, são realizadas apesar de não se consolidarem.

Superar as dificuldades

Nesta etapa, a pessoa descobre o grau de dificuldade que existe na mudança de um hábito. Persiste a consciência de que é imprescindível fazer isso, e começam a ser identificados os principais obstáculos para atingir o sucesso de uma forma efetiva. É uma etapa necessária e que representa um avanço.

4 – A concretização

Nesta fase existem esforços conscientes, dirigidos e persistentes para conseguir uma mudança. Planeja-se uma estratégia para alcançar esse objetivo e, muitas vezes, isso é motivado pelos conselhos de outras pessoas. Obtemos alguns pequenos sucessos, apesar de não serem, necessariamente, uma mudança muito radical.

Muitas vezes a consolidação fracassa porque as etapas anteriores não foram realizadas. Há quem queira começar o processo obtendo resultados, o que é extremamente difícil. Em todo caso, nesta etapa já existem alguns avanços perfeitamente palpáveis e bem nítidos.

5 – A manutenção

Como o nome indica, esta é a fase na qual se conserva o novo comportamento. Deixou-se, ou se adquiriu um novo hábito, e agora a tarefa é conseguir que ele persista e se integre à nossa forma espontânea de viver. Existe uma maior segurança e também confiança.

Como criar um novo hábito

No entanto, para que a nova conduta se mantenha, o ideal é adquirir alguns novos hábitos de reforço. Por exemplo, se o objetivo é parar de fumar, e você já conseguiu isso, não será prejudicial acompanhá-lo de um novo hábito associado a uma atividade física. Também é muito importante manter a motivação e se recompensar frequentemente pelas conquistas.

6 – A recaída

As recaídas são uma parte normal de um processo de mudança. A mente humana não é linear, funciona por meio de curvas ascendentes ou descendentes. No entanto, uma recaída não vai restabelecer uma pessoa até o ponto zero do processo. Todo o caminho percorrido será útil para recomeçar, com um passo muito mais acelerado.

O aconselhável é retomar o processo a partir da fase de preparação. Também é fundamental não se censurar e, em vez disso, motivar-se e não permitir que a dúvida e a desconfiança se apoderem do humor. Sempre é bom examinar o que levou à recaída e identificar os fatores de risco para o futuro.

Pedras representando equilibrio

Mudar um hábito não é fácil, mas quando você consegue, também aumentam os seus sentimentos de autoestima, o otimismo e a confiança naquilo que é capaz de fazer. A sua qualidade de vida também cresce e você elimina fatores que podem prejudicá-lo em seu dia a dia.