Por que não consigo dizer o que sinto?

10 Novembro, 2020
Por que não consigo dizer o que sinto? Isso acontece e você não entende o porquê? Para investigar as possíveis causas, não perca este artigo!

“Por que não consigo dizer o que sinto?”. Você já se fez essa pergunta alguma vez? Nem sempre é fácil administrar o nosso terreno emocional. Existem pessoas que possuem facilidade para expressar o que sentem e compartilham suas emoções com os outros de maneira espontânea, parecendo que este hábito não exige esforço. No entanto, expressar as emoções pode ser muito mais difícil para outras pessoas. Por que isso acontece?

Neste artigo, tentaremos investigar as possíveis causas que dificultam a expressão das nossas emoções, assim como as consequências que isso acarreta. Não perca!

Mulher abraçando almofada

Por que não consigo dizer o que sinto?

Por que existem pessoas com tanta dificuldade para expressar o que sentem? Antes de responder isso, vamos definir o termo emoção. Segundo Fernandéz, Zubieta e Páez (2001), “a emoção é um fenômeno complexo de dimensões centrais e vivência subjetiva, com componentes expressivos, motores e de motivação fisiológica”.

Assim, as emoções são processos complexos que se manifestam através dos nossos pensamentos, desejos e atos, mas que nem sempre são fáceis de digerir ou entender. É lógico pensar, então, que nem todas as pessoas sabem como verbalizar ou expressar o que sentem. A causa pode estar entre as seguintes:

Repressão emocional

Segundo Fernandéz, Zubieta e Páez (2001), a repressão emocional gera um estilo de evitação, ou não confrontação, de situações estressantes. Isso é concebido, também, como uma inibição da resposta afetiva.

Vale mencionar que, por sua vez, a repressão emocional pode ter explicação em diferentes causas. Uma delas poderia ser a incapacidade de lidar com o que acontece conosco (a nível interno e externo).

Trata-se, de certa forma, de um estilo de enfrentamento que pode ser temporário ou permanente. Assim, poderíamos dizer que a repressão emocional seria “a grande causa” por trás da dificuldade de expressar o que sentimos. Porém, o que está por trás dessa repressão? Propomos algumas ideias a seguir.

Ausência de assertividade

Outra variável que poderia explicar por que é custoso dizer o que sentimos seria a ausência de assertividade. O que é a assertividade? Segundo Matson et al (1980), Borsntei et al (1977) e Romano & Bellack (1980), citados por Caballo (1980), a assertividade é uma habilidade social.

Outros autores, como Alberti e Emmons (1978), são mais específicos e definem este conceito como “a conduta que permite a uma pessoa atuar com base em seus interesses mais importantes, defender-se sem ansiedade inapropriada, expressar sentimentos honestos de maneira tranquila e exercer seus direitos pessoais sem negar o direito dos outros”.

Neste sentido, a ausência de assertividade pode constituir um obstáculo para expressar o que sentimos. A assertividade, como muitas outras habilidades psicológicas, pode ser trabalhada e otimizada. Para isso, a psicoterapia é uma boa opção, assim como grupos terapêuticos cujo objetivo é potencializar as habilidades sociais.

“Quando disser ‘sim’ para os outros, certifique-se de não estar dizendo ‘não’ para si mesmo”
– Paulo Coelho –

Excesso de timidez

A timidez também tem várias definições. No âmbito da psicologia, autores como Pilkonis (1977) a definem como a tendência de evitar interações sociais e fracassar na hora de participar apropriadamente de situações sociais”.

Entretanto, sabemos que a timidez não influencia somente na hora de nos relacionarmos com os outros, mas também na hora de expressarmos o que sentimos.

Por isso, um excesso de timidez poderia responder à pergunta “por que não consigo dizer o que sinto?”. Assim como a assertividade, a timidez também pode ser trabalhada, de modo que ajude a expressarmos mais (e melhor) o que sentimos. Ainda assim, a timidez é um traço da personalidade que, se aprendermos a manejar, nem sempre precisa ser prejudicial.

“Eu era a pessoa mais tímida que existia, mas tinha um leão dentro de mim que não se calava”.
– Ingrid Bergman –

Mulher tímida e preocupada

Consequências de não expressar as emoções

Segundo a psicóloga Ángela Corona, reprimir ou esconder as emoções pode fazer com que acabemos nos alienando dos demais. Corona adiciona que não expressar o que sentimos impede que nossos sentimentos fluam com liberdade, o que pode acabar gerando um bloqueio interior.

Efeitos negativos para a saúde

Por outro lado, um estudo realizado em 2019 pela The North American Menopause Society, do qual participaram 304 mulheres, revelou que silenciar o que sentimos pode gerar efeitos negativos para a saúde física e mental. Além do mais, nas mulheres, isso pode aumentar o risco de sofrer acidentes vasculares cerebrais.

Logicamente, cada caso é um caso e não devemos generalizar. Contudo, acreditamos que seja importante mencionar que o mais saudável para todos é encontrar maneiras de não apenas expressar, mas também de gerir e canalizar as nossas emoções. O ideal é que cada pessoa consiga encontrar sua forma, seja através da arte, da literatura, da própria expressão verbal, corporal, etc.

“Quando expresso o que penso e sinto, liberto minha mente e curo meu corpo”
– Walter Riso –

  • Caballo, V. (1983). Asertividad: definiciones y dimensiones. Estudios de Psicología, 13: 53-62.
  • Fernández, I., Zubieta, E. y Páez, D. (2001). Emocionarse en Latioamérica. Sociotam, XI, 1.
  • Matson, J.L., Kazdin, A.E. y Esveldt-Dawson, K. (1980). Training interpersonal skills among mentally retarded and socially dysfuncional children. Behavior Research and Therapy, 18: 419-427.
  • Pilkonis, P.A. (1977a). Shyness, public and private, and its relationship to other measures of social behaviour. Journal of Personality, 45: 585-595.