Não deu para ser, mas valeu a pena – A mente é maravilhosa

Não deu para ser, mas valeu a pena

25, janeiro 2016 em Emoções 2 Compartilhados
Valeu a pena

“A vida, as circunstâncias, nos separaram, mas valeu a pena…

Ainda me lembro do seu jeito de andar, de me olhar, como ríamos juntos pelas coisas mais bobas… simplesmente porque você e eu éramos felizes.

A vida, as circunstâncias nos separaram mas valeu a pena… valeu a pena compartilhar segredos com você, abraços, beijos, desejo…

“A vida, as circunstâncias nos separaram, mas valeu a pena…

A vida nos deu um presente, nos conhecermos e nos amarmos, e não preciso de mais nada. Não quero, nem vou me lamentar dizendo: que azar, ele se foi! O Destino o levou de mim! O simples fato de ter vivido com você uma pequena parte da minha vida é suficiente para me sentir afortunado.

“A vida, as circunstâncias nos separaram, mas valeu a pena…

Não vou chorar por você não estar, você me fez feliz. Você me fez voltar a acreditar no amor, no respeito, na cumplicidade.

Você me fez voltar a acreditar na perfeita combinação dos seres imperfeitos. Mas eu teria gostado de continuar caminhando ao seu lado. 

Mesmo que a vida o tenha arrastado como um forte furacão, não importa. A sua lembrança continuará vivendo em mim para sempre.

lembranças-paris

Posso até conhecer outros amores, eu não me fecho. A vida tem a habilidade de surpreender sem que percebamos. Também pode acontecer do amor não voltar a bater na minha porta… de verdade, quem pode saber isso?

Mas aconteça o que acontecer, os seus beijos doces, as suas palavras tenras e seu jeito de me acalmar quando eu estava muito nervoso, terão sempre um lugar no meu coração.

Posso até conhecer outros amores, eu não me escondo. A vida pode me surpreender.

Mas aconteça o que acontecer, o jeito como você beijava a minha testa e os meus olhos… como você pegava as minhas mãos e as olhava daquele jeito que me fazia sentir especial…

Como você me arremessava pelos ares, enquanto sentíamos que éramos donos da felicidade;estas lembranças terão sempre um lugar no meu coração”.

O poder das lembranças

As lembranças são a essência das pessoas, da nossa experiência e momentos. São parte da nossa história e do trajeto das nossas vidas.

Sejam boas ou ruins, exercem um grande poder dentro de nós pois, em questão de segundos podem arrepiar a pele, arrancar-nos lágrimas ou, simplesmente, desenhar-nos um sorriso no rosto.

Como no relato anterior, apesar de sermos conscientes de que não pôde ser, fica a lembrança do que foi vivido e sentido. Uma lembrança nos alimenta, nos dá força.

mulher-no-telhado-com-coracao

Por isso, mesmo que aquele relacionamento não tenha continuado pelas circunstâncias, fica a sua lembrança, a sua essência. E mesmo que você retome a sua vida, sempre ficará a lembrança do que se foi.

Mas seja cauteloso e não se aprisione mais do que o recomendável, pois as lembranças também podem deixar feridas abertas. Considere que:

1. Ter boas lembranças de pessoas que amamos no passado é bom e positivo. O que não se deve fazer é ficar preso no passado.

A vida continua e é preciso continuar sendo feliz e abrindo a mente a novas experiências e novas pessoas que podem nos trazer a felicidade novamente.

2. As lembranças vividas de um jeito otimista nos beneficiam e nos ajudam a sentir que a vida nos deu um presente e que por isso devemos nos sentir afortunados.

Além disso, você sempre pode aprender com as experiências vividas.

“A lembrança é uma estufa das alegrias passadas”
-Lucian Blaga-

3. As lembranças fazem parte da vida. Quando essas pessoas já não estão, nos ajudam a tê-los novamente por perto de nós durante alguns momentos.

Devemos revivê-los com alegria e não com tristes nostalgias. Fique com o melhor e aprenda com o pior.

4. Não devemos usar as lembranças para pensarmos no que perdemos. Se não tivéssemos lembranças, a nossa vida estaria vazia.

Talvez não tivéssemos nada do passado pelo qual nos lamentarmos, mas também não teríamos nada para nos alegrarmos.

As lembranças guardam a vida.

“Quando a noite calada
desperta os meus sentimentos,
as lembranças vêm
como nas asas do vento.
Algumas lembranças doces,
outras certamente muito tristes
mas todas são lembranças
lembranças que eu amo.
Quando vêm, eu as sinto
e batem no meu peito
eu lhes falo e vão logo
buscar meus pensamentos.
E ali conversam alguns momentos
sobre o tempo que já se foi,
e vão-se embora como chegaram
mas desta vez sem bater
para não perturbar o sono
que me veio.
– “Somente lembranças” – Julio Casati –

Recomendados para você