Não seremos mais os mesmos depois de um adeus

Não seremos mais os mesmos depois de um adeus

dezembro 14, 2015 em Emoções 2210 Compartilhados
Não seremos mais os mesmos depois de um adeus

Algo sempre se quebra por dentro depois de uma despedida. Podemos dizer que se quebram nossas ilusões, nossas esperanças ou nossos sentimentos. A partir daí, essa parte de nós não se reconstrói e pode causar muito sofrimento.

As pessoas que, em algum momento da vida, tiveram que se despedir de algo ou alguém muito importante, sabem que depois de um adeus não voltaram a ser as mesmas. Isso nos faz sentir uma certa nostalgia e tristeza.
Compartilhar

Um adeus é como um processo de “luto”. Pode ser muito doloroso e nos apegamos ao impossível, porque não conseguimos acreditar no que aconteceu. Isto pode nos perturbar e transformar as marcas que essa despedida deixou em nós.

Não seremos mais os mesmos depois de um adeus

Nada é permanente, tudo se transforma

As pessoas mudam e, com isso, muda a sua relação com o mundo. Isso ocorre mesmo contra a nossa vontade, mesmo quando estamos dispostos a sofrer e não “deixar ir” algo que acreditamos que precisamos.

Como já dissemos muitas vezes, essa sensação de necessidade restringe nossa liberdade e nos submete às expectativas e comportamentos dos outros. Se não tomarmos cuidado com esse aspecto, seremos uma “presa fácil” para relacionamentos tóxicos.

Por outro lado, toda despedida é um doce sofrimento. Pode parecer um paradoxo, mas é doce porque nos faz sentir o sabor amargo do momento e nos oferece a oportunidade de nos alegrarmos com o sabor agradável que virá depois: a liberdade emocional.

Às vezes, as despedidas são necessárias para que voltemos a nos reencontrar. Isso é muito difícil, pois vivemos apegados a certos sentimentos, pessoas, lugares ou atividades.
Compartilhar

Não seremos mais os mesmos depois de um adeus

Não se esqueça de curar as feridas do seu passado emocional

É preciso perceber quando uma fase da vida termina. Se insistir em permanecer nela mais tempo do que o necessário, perderá a alegria de viver e o sentido da vida. Dê o nome que quiser: fechar ciclos, fechar portas ou fechar capítulos.

O importante é fechá-los e deixar ir os momentos que nos fizeram sofrer.

Não podemos viver o presente pensando no passado. O que passou, passou; desapegue-se e deixe ir… Não podemos ser crianças para sempre, nem adolescentes tardios, empregados de uma empresa inexistente ou apegados a alguém que não nos ama mais.

Tudo passa e é preciso desapegar!

– Paulo Coelho –

Esqueça o passado e comece uma nova fase. Curar as feridas emocionais do nosso passado é doloroso e complicado. Todos nós temos experiências dolorosas que perturbam o nosso presente e podem até mesmo determinar o nosso futuro.

É normal sentir-se meio atordoado diante da confusão emocional que  uma despedida pode causar.

Entretanto, precisamos chegar ao “fundo do poço”, ou seja, temos que ver para acreditar que perdemos e não vamos recuperar mais. Foi bom enquanto durou, mas temos que fechar esse ciclo da nossa vida para podermos seguir em frente.

Agradeça quando tiver que dizer adeus. Cada despedida é uma oportunidade de aprendizado que o ajudará a explorar tudo o que a vida lhe reserva.

Imagine como pode ser agradável voltar a ser você mesmo, aceitar e deixar ir tudo o que não lhe pertence e caminhar a passos largos. Não existem no dicionário palavras que possam definir essa sensação maravilhosa.
Compartilhar
Recomendados para você