O medo nunca vai desaparecer enquanto crescer

· setembro 24, 2018

A afirmação de que o medo nunca vai desaparecer pode fazer com que nosso coração comece a bater mais rápido e que notemos um certo grau de ansiedade. É algo natural, ou melhor, compreensível. A sociedade em que crescemos nos ensinou a escapar do medo e não a enfrentá-lo. Acima de tudo, nos educou para preveni-lo mesmo quando não sabemos se ele irá se manifestar ou não.

Essa emoção que costumamos rotular como “ruim” está sempre conosco. Por mais que desejemos e tentemos evitá-lo, é impossível viver sem ele, já que tem uma função vital para a nossa sobrevivência. Graças ao medo, nos colocamos em alerta para enfrentar um problema.

Milênios atrás, isso era muito útil se enfrentássemos um perigo real. Hoje em dia, levamos vidas muito tranquilas e nossos medos mudaram. No entanto, fizeram isso de tal maneira que não são mais adaptativos. Ou seja, raramente aparecem em uma situação em que estamos realmente em risco.

A nossa vida está correndo um perigo real quando temos que expor algo em público? Nós vamos morrer se o nosso parceiro nos abandonar? Os medos que surgem nessas situações são mal-adaptativos. Eles não são medos reais. Nós não estamos em risco. Portanto, essa emoção deixa de nos ajudar e passa a nos limitar.

Nossos medos mudaram, mas há algo que permanece igual. Sempre nos incentivam a agir, a não ficarmos quietos e mudar de rumo. No entanto, hoje em dia, permitimos que o medo nos paralise. Isso, milênios atrás, teria nos levado à morte.

As mudanças nos permitem crescer

O medo nunca vai desaparecer porque sempre haverá mudanças em nossas vidas, sejam elas desejadas ou não. Por exemplo, quando tentamos abrir nossa própria empresa, sentimos medo de não sermos bem-sucedidos, de não obtermos resultados, de fracassarmos ou dos outros rirem dos nossos erros. Mas isso é bom porque, aconteça o que acontecer, estaremos progredindo e crescendo.

O grande problema surge quando nos refugiamos atrás do medo e não queremos enfrentá-lo. É então que ficamos na nossa zona de conforto, sem nos arriscarmos e sem ousar em nada que não nos dê segurança. Isso, com o tempo, nos fará sentir estagnados, sem objetivos. Assumimos o que pode acontecer, embora na realidade não saibamos se acontecerá. Preocupados com esses pensamentos, ficamos parados, sem fazer nada, enquanto passam as horas, os dias e anos.

Bailarina com fios presos ao corpo
A zona de conforto, devemos reconhecer, é muito segura e ficamos muito bem nela. Mas, ao mesmo tempo, é muito incapacitante. Tanto que, se fosse um jardim, nada cresceria nela. A razão pela qual ela é tão tentadora é porque tem o poder de nos fazer sentir bem e mal ao mesmo tempo. Nela estamos seguros e tranquilos. No entanto, ao mesmo tempo, nos sentimos como se estivéssemos perdendo nossas horas e deixando escapar muitas oportunidades.

As pessoas que sentem pânico em relação à mudança muitas vezes invejam aquelas que assumem riscos e deixam sua zona de conforto constantemente. Algo em seu interior grita “faça alguma coisa!” ou “você também tem sonhos e desejos, realize-os!”. Por um momento, podem sentir um certo impulso e fantasiar sobre agir, mas quando se dão conta, continuam sentados sem fazer nada.

O medo nunca vai desaparecer, mas podemos usá-lo a nosso favor

Mesmo se tentarmos fugir, o medo nunca irá desaparecer. Sempre haverá uma situação que irá nos surpreender e perturbar completamente nossa rotina. É quando nossa zona de conforto será abalada; e esta é uma oportunidade para tomar uma decisão. Já que o medo nunca vai desaparecer, que melhor vantagem do que usá-lo a nosso favor?

Quando você estiver bloqueado por seus medos, pense que tudo que você quer está do outro lado deles. Você vai desistir dos seus sonhos?

Para conseguir isso, vamos dar duas pequenas dicas. Embora possam parecer fáceis, no momento da verdade, não costumamos colocá-las em prática. No entanto, se queremos acabar com esses medos tão limitantes, usá-los no momento em que aparecem pode nos dar um resultado diferente do que estamos acostumados.

  • Se o medo o limita, não pense, aja. Quando essa emoção o impede, por exemplo, de falar em público, você precisa parar de pensar nisso. Sua mente é muito poderosa. Bloqueie esses pensamentos e simplesmente aja sem pensar. Depois de fazer isso, você perceberá como o medo vai embora.
  • Use o medo como uma fonte de superação. Se algo o assusta, use essa emoção para impulsioná-lo. Se você tem medo de começar seu próprio negócio, use o medo para tentar aprender mais e se mover em busca de oportunidades que o façam se sentir seguro. Por exemplo, fale com pessoas que possam ajudá-lo, consiga parceiros…

Mulher caminhando sobre pássaros voando

O medo nunca vai desaparecer, por isso é melhor usá-lo como um aliado. Mesmo nos momentos mais difíceis, essa emoção pode cair muito bem para mudarmos de rumo e percebermos que existem múltiplas opções. Devemos lembrar que, se avançarmos e crescermos, o medo estará presente. No entanto, podemos começar a usá-lo não para parar, mas para continuar.