A ligação entre paciência e serotonina, de acordo com a ciência

10 Fevereiro, 2021
Foi descoberto que a serotonina é o neurotransmissor que nos ajuda a sermos mais pacientes. Em vez de conceber essa dimensão como uma virtude, devemos vê-la como uma competência que deve ser praticada diariamente. Graças a ela, ganharíamos bem-estar psicológico.

Costuma-se dizer que a paciência é uma virtude, mas a ciência nos diz que, mais do que uma virtude, é uma competência neurológica que todos nós podemos (e devemos) desenvolver. Você sabe qual é a relação entre a paciência e a serotonina?

Se tivermos consciência por um momento do que significaria para todos nós sermos mais pacientes, mais capazes de suportar os contratempos e saber esperar que as coisas aconteçam sem nervosismo nem frustração, seremos capazes de viver melhor.

A primeira coisa que alcançaríamos é o obter bem-estar psicológico. Porque viver no modo “Eu quero agora e quero já”  é o combustível para a mente ansiosa. Somos aquela sociedade apressada que pratica a antítese da paciência. A grande maioria de nós é vítima da pressa, cativa da falta de tempo e obcecada pela necessidade absoluta de controle.

Na década de 1970, o ketchup Heinz ainda era vendido em garrafas de vidro. Algo que os executivos dessa famosa marca descobriram é que os consumidores ficavam frustrados com o uso desse recipiente. O vidro os obrigava a virar o produto e esperar que o molho caísse. A impaciência os incomodava e as vendas caíram.

Diante disso, eles foram forçados a criar uma campanha publicitária inovadora. Eles criaram o slogan “It’s slow good para convencê-los de que vale a pena esperar pelas coisas boas e de qualidade e que elas exigem paciência. Isso foi um sucesso.

Os viciados em impaciência estão fadados a uma frustração constante. No entanto, nada pode ser mais enriquecedor do que treinar a paciência e a compreensão de que, às vezes, vale a pena esperar.

Ondas cerebrais

Paciência e serotonina: como se relacionam?

Embora queiramos ter paciência todos os dias e em todas as circunstâncias, o cérebro não está preparado para esta arte existencial. Ele é governado por dois mecanismos básicos: o primeiro é obter reforços imediatos. Buscar prazer, recompensa, bem-estar. Por exemplo, não gostamos de esperar demais quando estamos com fome ou esperar uma hora para aquela pessoa nos responder no WhatsApp.

Há também outro fato. Quando não conseguimos o que queremos, quando nossa realidade é dominada pela incerteza, o cérebro reage com alarme e sofrimento. Porque quando as coisas não acontecem como esperamos, sofremos, surge a ansiedade e o abismo das preocupações. Não gostamos de passar tempo na sala de espera da vida, mas grande parte da nossa existência segue esse padrão.

A paciência é uma rede de proteção que nos permite atravessar a complexidade do dia a dia sem cair na frustração e no desconforto. Agora, a ciência descobriu qual é o mecanismo que nos permite fortalecê-la. Vamos analisar mais profundamente.

A serotonina e o seu papel na paciência

Katsuhiko Miyazaki e o dr. Kayoko Miyazaki, da Universidade de Okinawa (Japão), fizeram uma descoberta interessante, cujo estudo foi publicado na revista Science Advances. 

  • Sabemos que aprender a suprimir o desejo de gratificação é essencial para regular as emoções, melhorar nosso comportamento e alcançar melhores benefícios de longo prazo. A impaciência é a fonte da ansiedade e a raiz de grande parte do desconforto psicológico.
  • Até agora não sabíamos quais eram os mecanismos que diferenciavam os mais pacientes dos mais impulsivos.
  • O estudo realizado na Universidade de Ciência e Tecnologia de Okinawa descobriu que a serotonina é o neurotransmissor que modula a paciência. Isso foi comprovado em modelos animais, especificamente em camundongos.
  • A serotonina é o neurotransmissor responsável por regular vários processos polivalentes, desde o humor, os ciclos de sono e vigília, apetite, etc. Agora sabemos que também é fundamental para favorecer o controle dos impulsos e nos permitir ser mais pacientes.
  • Atualmente, o mecanismo da serotonina está sendo muito mais estudado. A ideia é saber como isso afeta diferentes áreas do cérebro.
A serotonina e o seu papel na paciência

A paciência não vem de fábrica, ela é treinada

Como dizia Santo Agostinho, a paciência é a mãe da sabedoria. Porém, um aspecto que este estudo também detalha é que essa competência é fruto do aprendizado. Treiná-la se reverte positivamente para a nossa qualidade de vida, pois nos dá liberdade emocional, entre outras coisas.

Muitas pessoas vão em busca de ajuda porque o mundo não é o que elas querem que seja. A frustração não é a chave de nenhuma porta. A impaciência nos faz bater nas mesmas paredes repetidamente, desesperados e com raiva.

Diante dessa situação, é comum nos perguntarmos como fazer… como ser mais paciente? Como fazer o cérebro liberar mais serotonina? As seguintes frases ajudam a refletir sobre isso.

  • A paciência é a capacidade de manter a calma diante da adversidade.
  • Para desenvolvê-la de maneira ideal e eficaz, devemos começar a tolerar as emoções negativas. É necessário aceitar, compreender e regular nosso universo emocional interno.
  • O autocontrole é o antídoto para a impulsividade.
  • Reformule a sua maneira de pensar sobre tudo que te faz perder a paciência.
  • Lembre-se dos seus propósitos. Paciência é saber esperar porque sabemos que esperar nos permitirá alcançar algo melhor.

Para concluir, num mundo marcado pela incerteza e mudanças imprevistas, ser paciente não é uma necessidade, é quase uma obrigação. Vamos treinar a mente com esta ferramenta da vida para atravessarmos melhor os dias difíceis.

  • Katsuhiko Miyazaki, Kayoko W. Miyazaki, Gaston Sivori, Akihiro Yamanaka, Kenji F. Tanaka, Kenji Doya. Serotonergic projections to the orbitofrontal and medial prefrontal cortices differentially modulate waiting for future rewards. Science Advances, 2020; 6 (48): eabc7246 DOI: 10.1126/sciadv.abc7246
  • Miyazaki, Kayoko W., Katsuhiko Miyazaki, Kenji F. Tanaka, Akihiro Yamanaka, Aki Takahashi, Sawako Tabuchi, and Kenji Doya. “Optogenetic activation of dorsal raphe serotonin neurons enhances patience for future rewards.” Current Biology (2014) DOI: 10.1016/j.cub.2014.07.041
  • Miyazaki, Kayoko W., Katsuhiko Miyazaki, and Kenji Doya. “Activation of dorsal raphe serotonin neurons is necessary for waiting for delayed rewards.” Journal of Neuroscience (2012) DOI: 10.1523/JNEUROSCI.0915-12.2012