Se os pais não ensinam, a sociedade se encarrega de educar

Se os pais não ensinam, a sociedade se encarrega de educar

Thiana Furtado 2, março 2017 em Emoções 2734 Compartilhados
Se os pais não ensinam, a sociedade se encarrega de educar

Será que vale a pena submetermos os filhos a algo que será penoso futuramente? Será que vale a pena furtarmos deles o direito de aprenderem através do amor, diferente das chibatadas ferozes que a sociedade imputa a nós, impiedosamente?

Educar um filho não é uma tarefa fácil, não é uma tarefa mediana, que poderia identificar-se de forma a evidenciar os pontos positivos ou negativos dos pais. Sabemos que não é algo tão simples ou corriqueiro assim.

Educar uma criança exige cuidado, atenção e respeitoÉ preciso que, ao invés de sermos reprodutores da educação que recebemos de nossos pais, possamos nós sermos autores independentes nessa tarefa que exige tanto de nossos mais preciosos cuidados.

educar os filhos

Quando uma criança faz birra, ela está tentando chamar a atenção, todos sabemos disso. Mas não é tão simples exigirmos dos pais atitudes que nós, no lugar deles, não saberíamos como tomar, porque cada criança é única.

É claro que não podemos deixar de considerar o erro dos progenitores, muitas vezes. Tenho certeza de que o que toda criança deseja e necessita é receber carinho, cuidado e amor, como um montante minimalista ofertado a esses seres tão carentes de nossa atenção.

É dever dos pais cuidar, abrigar, dar colo, carinho, afeto e ofertar amor, mas sobretudo, é imprescindível que se dê educação aos indivíduos. Percebamos que o norte de nossas vidas agora serão eles, e será de fundamental importância conscientizar-nos de que não devemos fazer com que os mesmos sintam que são, de maneira alguma, o centro do universo.

Todo excesso de mimos acarretará em consequências desastrosas na vida da menoridade, onde uma vez crescidos, tentarão projetar o mundo e as pessoas como participantes dos enredos, tentando posteriormente e desastrosamente fazer com que tudo passe a girar em seu entorno.

educar os jovens

Isso não será possível, sabendo que o mundo é como ele é, e não uma projeção do universo do quadro familiar reduzido a 3 ou mais pessoas.

Quando se tem filho único, o cuidado dos pais deve ser redobrado, uma vez que todas as atenções e cuidados passarão a girar ao redor daquela criança. É importante que ela saiba compartilhar, que aprenda a dividir e a conviver saudavelmente com as outras crianças, e isso deve ser ensinado com amor e atenção dos progenitores desse ser que está em evolução.

Se, ao contrário do que deveria ser regra, os pais furtam da criança o direito à educação, aos bons princípios, a entender o que é correto em uma sociedade, estaremos furtando delas o direito de formarem as suas personalidades a partir daquilo que sabemos que deveria ser cuidadosamente demostrado e devidamente explicado a essas almas que necessitam, e muito, de auxílio, para que possam progredir continuamente.

O início do aprendizado será conosco, para que crescidas possam dar continuidade aos mandamentos que inteligentemente aprenderam a adotar em suas vidas e em suas condutas.

É preciso que os pais se reeduquem para que possam educar crianças, é preciso que façam uma autoavaliação perene no que tange às vicissitudes da exatidão das informações que precisam ser cuidadosamente direcionadas em um sentido revelador, sendo capazes de alterar condutas equivocadas.

Pois sabemos que se a educação não vier de berço, a sociedade cruelmente terminará por prestar esse serviço que deve ser primordialmente tarefa dos progenitores. Aos pais, caberá o ofício de imputar nesta criança noções do que é certo e errado, não mediante ao que acreditam ser o certo, mas sim mediante a informações apreendidas do quadro global, buscando, por exemplo, fontes seguras em livros que sejam didáticos e informativos de autores fidedignos.

As fontes devem ser variadas, uma vez que deve-se afunilar o conteúdo subtraindo dele somente aquilo que esteja de acordo com suas consciências, pois de nada adiantará sermos papagaios de informações de terceiros se isso para nós não tiver o sentido necessário para termos uma boa conduta mediante os fatos evidenciados.

Sabendo de tudo isso, é preciso que arregacemos as mangas e abracemos essa causa com muito amor, respeito e cuidado, para que possamos agir de forma diferenciada, nos baseando na educação que tivemos e que provavelmente tenha sido, quase via de regra, lotada de falhas e de irregularidades.

Façamos diferente, ajamos de forma diferenciada, para que possamos plantar uma boa semente no coração da prole, para que sejam indivíduos que futuramente colaborarão positivamente em prol da sociedade que hoje encontra-se adoecida e equivocada.

É preciso iniciarmos essa longa jornada que dará possivelmente excelentes frutos, e isso tudo retornará a nós um dia, como alívio e gratidão por termos formado indivíduos capazes de conviver em sociedade, por termos formado cidadãos altruístas, que saberão que o terreno próspero dependerá somente deles para que o mundo possa progredir e seguir rumo a futuros mais prósperos.

Sejamos o que plantamos, progredir será sempre a lei maior nos detrimentos da vida que jamais se findará.

Prossigamos fiéis, rumo ao tesouro que cada um tem guardado aqui, bem dentro de si.

Thiana Furtado

Thiana Furtado é escritora e estudiosa da vida. Tem em si, as realizações necessárias para viver avida em sua plenitude. Saiba mais sobre Thiana em: https://www.facebook.com/Thiana-Furtado-Literatura-1536818046532155/

Ver perfil »