Pensamento lateral: as coisas são mais simples do que parecem

Pensamento lateral: as coisas são mais simples do que parecem

outubro 28, 2017 em Psicologia 0 Compartilhados
pensamento lateral

Nós estamos tão acostumados a pensar de determinada maneira que abordar o que acontece conosco de outra forma é complexo e quase impossível para nós. A questão é que muitas vezes a nossa forma de pensar é mais um obstáculo do que uma via para facilitar as coisas. Com a intenção de que isso não se torne um costume, queremos apresentar a vocês uma nova maneira de solucionar problemas e desafios: o pensamento lateral ou o “lateral thinking”.

O termo “pensamento lateral” foi criado pelo psicólogo Edward de Bono para apresentar uma forma alternativa de pensar que consiste em fugir da forma lógica e linear de raciocinar que usamos normalmente, para buscar soluções criativas e originais para qualquer problema ou situação.

Neste artigo, vamos refletir sobre o pensamento lateral, a lógica dos esquemas mentais, e vamos propor uma série de enigmas que você deve acertar. Você aceita o desafio?

“Você vê as coisas e diz ‘Por quê?’ Mas eu sonho coisas que nunca existiram e digo ‘Por que não?’”
-George Bernard Shaw-

O pensamento linear como rotina

Nós estamos acostumados com o raciocínio lógico, acostumados a pensar de uma forma linear e a resolver problemas de maneira sequencial, dando pequenos passos até encontrar a resposta. Desde pequenos somos ensinados que a vida é composta por complexos enigmas que devemos resolver utilizando todo o nosso potencial em um mundo cheio de labirintos.

Claro que a vida não é fácil e os caminhos da nossa mente são, na maioria das vezes, um quebra-cabeça, o qual é preciso aprender a decifrar ou, às vezes, deixar de tentar. Nós somos seres acostumados a buscar uma explicação para tudo que nos rodeia. 

Homem pensando em sua vida no por do sol

Na verdade, quando estamos diante de uma situação sobre a qual não possuímos informações suficientes, nós mesmos completamos os dados ausentes com base na maneira como entendemos o mundo e em função do aprendizado que construímos através das nossas experiências.

A verdade é que essa forma linear de pensar, às vezes, pode nos trazer problemas porque não somos capazes de enxergar mais além. Ninguém nos disse que existem mais caminhos do que aquele que está em linha reta. Ninguém disse que podemos nos movimentar para todos os lados e que se fizermos isso estaremos estimulando a nossa mente.

O despertar do pensamento lateral

Como vemos, a lógica nos diz que de um passo vamos ao próximo, completando degraus e avançando em direção à solução. No entanto, no pensamento lateral temos que abandonar o processo lógico do pensamento para resolver enigmas que são mais simples do que parecem.

Com esse novo tipo de pensamento, em vez de pensar por etapas, devemos pensar, como o próprio nome indica, lateralmente. Nem todas as soluções são tão difíceis quanto imaginamos. Ou seja, pensamos muito sobre o que existe e pouco sobre o que poderia existir. Vamos nos atrever a experimentar!

As regras do jogo

A seguir, proponho um jogo para incentivar sua inteligência e sua criatividade na resolução de problemas e para colocar em prática o pensamento lateral. Você só precisa ler as instruções e mãos à obra:

  • Leia atentamente o enigma.
  • Escolha qual você mais gosta.
  • Não procure informações sobre a solução do mesmo.
  • Se você já conhecia a solução, tente resolver outro, mas não conte a solução imediatamente. Ajude os outros a chegarem a ela.
  • Divirta-se, comente e participe nas nossas redes sociais.

Como desenvolver o pensamento lateral

O homem no elevador

“Um homem vive no décimo andar de um prédio. Todos os dias ele pega o elevador até o térreo para trabalhar ou fazer compras. Quando volta, sempre sobe de elevador até o sétimo andar e sobe pelas escadas os três andares restantes para chegar ao seu apartamento no décimo. Por que ele faz isso?”

Mistério no campo

“Um homem morreu no campo. Ao seu lado há um pacote fechado. Não há nenhum outro ser no campo. Como ele morreu?”

Uma dica: O homem sabia que ia morrer conforme se aproximava do lugar.

Egito

“Antônio e Cleópatra são encontrados mortos no chão em uma cidade no Egito. Muito próximo deles, há vidros quebrados. A única testemunha é o cão de guarda. Não há nenhuma marca nos seus corpos e eles não foram envenenados. Como morreram?”

A ilha dos olhos azuis

“Em uma ilha há 100 habitantes. Todos eles têm olhos azuis ou castanhos. Todos enxergam a cor dos olhos dos outros, mas não a dos próprios olhos. Eles não podem falar sobre o tema e não há espelhos. Uma lei estabelece que se alguém descobrir que tem olhos azuis, deve abandonar a ilha às 8 horas da manhã seguinte. Todos os habitantes da ilha têm a mesma capacidade de raciocínio e todos são capazes de aplicar uma lógica impecável.

Um dia, uma pessoa chega para visitar a ilha, quando olha todos os habitantes diz, sem apontar para ninguém em específico: ‘Que bom poder ver pelo menos uma pessoa de olhos azuis depois de tanto tempo em alto mar!’. Quais consequências esse comentário provocou nos habitantes da ilha?”.

Olho azul em rosto em preto e branco

O caminho do monge

“Um monge sai do seu monastério ao amanhecer em direção ao cume de uma montanha, onde chega após caminhar por várias horas. Ele fica lá para descansar e dormir e sai na manhã seguinte do topo da montanha na mesma hora para voltar ao monastério.

É possível que ele não tenha demorado o mesmo tempo na ida e na volta, assim como é provável que sua velocidade não tenha sido constante, sem contar quando e quantas vezes ele parou para descansar: o monge passou por algum ponto do caminho exatamente na mesma hora, mas com um dia de diferença. Por quê?”.

Soluções

O homem no elevador

O homem é anão. Por não ser capaz de apertar o botão do décimo andar no elevador, escolhe apertar o sétimo e, em seguida, continua pelas escadas. Para descer não há problema algum porque o botão do térreo está na parte inferior do painel.

Egito

Antônio e Cleópatra são peixes coloridos que viviam em um aquário, que foi quebrado pelo cachorro.

A ilha dos olhos azuis

Todas as pessoas com olhos azuis abandonaram a ilha.

Se só houvesse uma pessoa com olhos azuis, ela saberia que os 99% restantes teria olhos castanhos, por isso iria embora.

Se houvesse duas pessoas com olhos azuis (A) e (B), o primeiro poderia pensar que quem falou se referia ao segundo e que só há uma pessoa de olhos azuis, o segundo pensaria a mesma coisa do primeiro. Quando o primeiro vê que o segundo não foi embora da ilha no primeiro dia, deduziria que ele também tem olhos azuis, por isso ambos teriam que ir embora no segundo dia.

O mesmo aconteceria se houvesse três pessoas (A), (B) e (C) de olhos azuis. O primeiro veria que os outros dois não foram embora da ilha e que, portanto, ele também tinha olhos azuis e, por isso, os três teriam que ir embora no terceiro dia; após o primeiro ter visto que os outros dois não foram embora no segundo dia.

E assim sucessivamente até que todos os habitantes de olhos azuis fossem embora, independentemente de quantos fossem.

O caminho do monge

Para dar uma resposta a esse enigma, imagine que temos dois monges que saem na mesma hora dos dois pontos opostos. Se seguirem o mesmo caminho, em algum momento necessariamente vão se encontrar… Agora está mais claro, não?

Tudo é muito mais fácil do que pensamos, a questão é não nos deixarmos cair nas armadilhas dos nossos pensamentos e começar a criar novas perspectivas… Para isso, o pensamento lateral pode nos ajudar. Atreva-se a pensar de forma diferente!

Recomendados para você