Por que pensar positivo nem sempre funciona?

01 Dezembro, 2020
Pensar positivo ajuda, mas há momentos e circunstâncias em que é melhor deixar espaço para outro tipo de foco mental, um com o qual é possível aceitar a incerteza e até mesmo que a nossa realidade não é tão gratificante quanto gostaríamos.

Muitas pessoas já perceberam que pensar positivo nem sempre funciona, e que manter uma atitude de esperança não garante que o que elas esperam vai acontecer. Alguns especialistas dizem que as pessoas tendem a entrar em um período em que elas abraçam uma espécie de “pessimismo gentil”, que as ajuda a entender que a vida às vezes não está caminhando como gostariam.

Isso não é necessariamente algo ruim. A mente humana está acostumada a essa polaridade extrema que nos faz categorizar as coisas como “boas” ou “ruins”. No entanto, pode ser que seja hora de entender que nem tudo é preto ou branco.

Por muitas décadas, pensar positivo tem sido um conselho recorrente, afinal, é a ele que as pessoas tendem a se agarrar sempre que enfrentam dificuldades. Não é segredo que, de alguma forma, injetar otimismo no cérebro nos impede de cair no derrotismo e no desamparo.

No entanto, nos tempos atuais, a incerteza é uma constante e os medos estão sempre presentes na nossa mente.

É hora de vermos as coisas a partir de uma perspectiva diferente, na qual a positividade e a esperança ainda existem, mas de uma forma mais realista. Isso, sem dúvida, faria com que fosse mais fácil navegar pelos desafios de maneira mais eficaz.

Você sabe por que pensar positivo nem sempre funciona?

Por que pensar positivo nem sempre funciona?

Há muitas pessoas a favor do pensamento positivo, mas também muitas contra. Pode-se dizer que não há meio termo quando se trata desse assunto. À abordagem psicológica popularizada por figuras como Martin Seligman ou Mihály Csíkszentmihályi nos anos 90 são adicionadas vozes críticas, como a da psicóloga Julie K. Norem, professora de Psicologia da Universidade de Wellesley (EUA), que está há mais de vinte anos tentando nos explicar algo importante.

Em seu livro publicado em 2001, The Positive Power of Negative Thinking (O poder positivo do pensamento negativo), ela diz que foi instalada na nossa cultura uma visão um tanto infantil sobre a positividade. As lições ministradas por Seligman foram reduzidas a ponto de se tornarem uma moda passageira. Inclusive, muitas pessoas assumem que tudo pode ser resolvido focando no lado bom da vida.

Segundo a própria Dra. Norem, chegamos a um extremo em que se alguém tem problemas ou não consegue ver aquela luz no fim do túnel, algo está errado na sua personalidade.

Mas sejamos realistas: há momentos em que não conseguimos ver o lado bom da vida, e isso não é somente compreensível, mas também esperado. Como destacou Viktor Frankl, diante de situações incomuns, é normal reagir de maneiras incomuns. Portanto, é importante entender que existem muitos motivos diferentes pelos quais pensar positivo nem sempre funciona. Vamos analisá-los.

Pensar positivo não nos prepara para enfrentar resultados negativos

Repetir continuamente que “tudo vai ficar bem” pode ser contraproducente. É perigoso focar apenas em uma abordagem orientada a resultados bem-sucedidos que ignora outras possibilidades. Se as coisas não correrem tão bem quanto você espera, você pode ser pego desprevenido emocional e psicologicamente.

A melhor coisa a se fazer nestas situações é adotar uma abordagem realista: “Espero que as coisas corram bem, mas se isso não acontecer, lidarei com isso. Aceitarei e aplicarei estratégias de enfrentamento adequadas”.

Pode nos levar a adotar uma atitude passiva

Julie K. Norem explica em seu livro que é aconselhável adotar uma perspectiva um tanto pessimista sobre a realidade. Trata-se de embaralhar todas as possibilidades e lembrar-se de que o que você deseja e espera pode acontecer, mas também existe a possibilidade de as coisas darem errado. Então, o que fazer nessas circunstâncias?

Você deve dar o seu melhor e trabalhar duro para evitar que estes resultados negativos ocorram. Se você simplesmente assumir que tudo vai dar certo, pode acabar adotando uma atitude passiva, e isso pode ser perigoso.

Pensar positivo nem sempre funciona na presença da ansiedade e do estresse

A mente ansiosa tem a peculiaridade de não ser capaz de ver o lado bom da vida. Desta forma, pensar positivo nem sempre funciona quando você está preocupado, estressado ​​e emocionalmente tenso. Existem situações em que, por mais que as pessoas digam para você se animar, você ainda se sente mal porque simplesmente não acredita nisso.

Neste contexto, é interessante considerar as abordagens que a terapia de aceitação e compromisso oferece. Especificamente, ela pode ajudá-lo a entender que a vida não é fácil e que você pode cair, falhar e às vezes se sentir desesperado. No entanto, você não pode perder o comprometimento consigo mesmo.

Homem pensativo

Os extremos nunca são bons: livre-se do positivismo ingênuo e do pessimismo crônico

Pensar positivo nem sempre funciona porque a vida é imprevisível. Também porque talvez você não saiba lidar com a adversidade, a frustração, o medo e o sofrimento.

A vida é um caleidoscópio de experiências. Às vezes são boas, às vezes ruins, e outras vezes apenas normais. Você deve aprender a navegar por todos esses oceanos tanto em dias calmos quanto em noites de tempestade.

Isso significa que é melhor ser pessimista? De forma alguma. No entanto, não é aconselhável adotar uma positividade ingênua e confiante. Você não deve acreditar que é suficiente querer muito para que algo aconteça. Vivemos em tempos complexos, e você já deve ter percebido que essa fórmula não funciona. Os extremos nunca são bons.

Você deve ser realista. Treine para lidar com os desafios do dia a dia e aprenda a tolerar o imprevisível e até o doloroso. Mas lembre-se de que tudo se trata de equilíbrio, o que significa que você deve continuar a nutrir esperança, afinal, ela é uma necessidade existencial.

K. Norem Julie K. (2001) El poder positivo del pensamiento negativo. Paidós.