Perguntas e respostas sobre ir ao psicólogo

Perguntas e respostas sobre ir ao psicólogo

agosto 14, 2015 em Psicologia 0 Compartilhados
ir ao psicólogo

Ainda que a terapia seja uma metodologia que existe há várias décadas e em muitos países, ainda existem certos tabus em relação a ela.

Várias são as perguntas e dúvidas que surgem antes de marcar uma consulta com um psicólogo. Nessa ocasião, revelamos muitos mistérios em torno da terapia psicológica.

ir ao psicólogo

Perguntas sobre ir ao psicólogo

A terapia não é só para loucos?

Ainda existe a ideia coletiva de que os que vão ao psicólogo possuem problemas mentais. Apesar de essa ser uma das ramificações dessa ciência, não é a única.

Fazer terapia pode lhe ajudar a resolver problemas da sua infância, com seu companheiro(a), com seus pais, consigo mesmo… e não é preciso estar louco para isso. Qualquer pessoa que quiser melhorar a sua vida pode fazer terapia.

Deixe de lado os preconceitos e não se importe com o que a sua família dirá quando você contar que irá a um terapeuta.

O psicólogo pode saber tudo sobre mim?

Você não é obrigado a dizer nada que não quiser, mas lembre-se de que se trata de um profissional que deseja lhe ajudar. Não é a polícia, o FBI, a CIA, ou um religioso. Ele também não usará essa informação contra você.

Na terapia, você poderá relatar o que tiver vontade; o terapeuta não tem nenhum poder extrassensorial que lhe permita, apenas olhando, saber quais são os seus problemas ou inquietudes, e também não tem uma bola de cristal para adivinhar o futuro.

A arte da adivinhação é algo totalmente diferente. O psicólogo usará técnicas que aprendeu para lhe assessorar e analisar a sua realidade, com base no que você disser, por isso não é bom que você minta, por exemplo. Não é produtivo para você, nem para ele.

Posso enganar o psicólogo?

Justamente como estávamos falando acima, não vale a pena esconder coisas ou mentir para o seu terapeuta.

A relação profissional-paciente sempre deve estar basada na honestidade de ambas as partes, mas, se você tem a habilidade de enganar qualquer um, a terapia não será muito boa para você, já que não poderá melhorar em nada. Além disso, se você vai a uma consulta para mentir, para que servem as sessões?

ir ao psicólogo

E se eu sentir vergonha de falar sobre um tema?

Isso é compreensível porque somos seres humanos com distintas emoções e sentimentos. Não precisa se aprofundar muito nos detalhes, relatar até o mínimo aspecto de uma situação, falar sobre temas muito íntimos.

A vergonha ou o pudor vão desaparecendo à medida que as sessões passam e você comece a confiar mais no seu analista. Você vai se desbloquear de tal maneira que expressará todo tipo de sentimentos, como a dor, o medo, a tristeza, a alegria, a euforia, a fúria, etc.

Por quanto tempo irei à terapia?

Você se lembra que leu umas linhas acima sobre os psicólogos não terem bola de cristal? Bom, isso se aplica também à quantidade de sessões que o tratamento de um paciente vai durar.

Alguns deles decidem por si mesmos em qual momento deixar de ir ou os próprios profissionais lhe dão alta. Não há uma fórmula exata para determinar a quantidade de tempo que se deverá ir ao psicólogo. Há pessoas que fazem sessões por alguns meses, outros dois anos e alguns por toda a vida.

Tudo dependerá de vários fatores, como por exemplo quais são seus objetivos ao fazer terapia. Lembre-se de que o analista não é um mago e nem faz milagres.

Não queira, em duas sessões, solucionar todos os problemas que você vem enfrentando desde que nasceu, nem em sua relação de 20 anos de casamento. Tudo tem o seu tempo.

Quais os tipos de terapia que existem?

Outro dos aspectos que determinam a quantidade de sessões do tratamento psicológico (que, vale a pena recordar, não é para loucos) é o tipo de terapia escolhida ou que o profissional oferece.

Algumas opções são a psicanálise (trabalha no passado do paciente e nos processos mentais inconscientes), a terapia comportamental (baseia-se na conduta e na aprendizagem dos hábitos), a terapia cognitivo-comportamental (analisa o presente e põe ênfase em como mudar), a terapia breve estratégica (é muito pontual em algo particular) e a terapia humanista (trabalha com os sentimentos para que uma pessoa possa se conhecer).

Certamente, com esses conselhos, você pôde entender um pouco melhor o que é ir ao psicólogo e como é a terapia. 

Recomendados para você