Pesos descartáveis: desapegue-se! A Mente é Maravilhosa

Pesos descartáveis: desapegue-se!

Bia Cantanti junho 17, 2016 em Psicologia 252 Compartilhados

Carregamos pesos de todos os lados. Pesos de outras pessoas, mesmo que não queiramos. Arrastamos pesos psíquicos, espirituais e emocionais, do passado, do presente, de nossas emoções, frustrações e decepções.

Os pesos estão em nossas mãos e pés, mas, ainda mais, em nosso espírito

Pesos arraigados, dependentes, representando as rusgas mal resolvidas de questões variadas. Lembrando dores de cabeça novas e antigas que nos fazem mal, bolos no estômago de raiva ou amargura. São de classificação vasta: podem ser desde uma briga que não se resolveu, até um sonho que morreu. Escolha o seu!

Esses pesos não colaboram para seguirmos em frente; destroem nossa reta postura diante da vida, nos atrasam nos planos esforçada e carinhosamente delineados, e requisitam atenção pelo simples fato de sua natureza: pesada e densa.

pesos descartáveis

Se mastiga e não engole, vira um peso!
Se não aceita e remói, vira um peso!
Se teima com o destino, vira um peso!
Se não resolveu, engasgou, sofreu e não digeriu, vira outro peso!
Se ficar dolorido e sangrar, mais peso a carregar.

Não os almejamos, mas os carregamos por hábito; por reincidência de certos comportamentos. Às vezes, até porque gostamos da melancolia, da companhia ácida da angústia. Ou, simplesmente, porque é da nossa constituição espiritual. Obviamente existem questões que fazem parte de nós: mortes, perdas, fatalidades, doenças e tantos outros. Esses, inevitáveis, mas os demais, criados por nós, erros gigantescos.

Não faça mais isso com você! Solte os pesos descartáveis e nunca carregue os dos outros.

Desapegue-se como puder: viveu, passou. Já foi? Guarde apenas em sua memória seletiva. Doeu? Já deu! Você já possui os pesos inerentes à sua condição humana, personalidade e estilo de vida. Largue os outros, solte as barras de ferro que te prendem ao chão. Em seu lugar, crie asas que te levitem.

Liberte-se de seus pesos para novos caminhos

Arrume-se, empertigue-se, e siga novo em folha, mais independente e livre. Os pesos reais, que restarem, não serão mais tão densos se os descartáveis forem reciclados.

O movimento de seu caminhar será um imenso peso a menos (ou tantos outros a menos), e para cada asa que puser no lugar do peso desprendido de si, se sentirá mais perto, cada vez mais leve, em direção a níveis superiores, muito mais etéreos, nos quais os pesos humanos são apenas pequenas pedrinhas insignificantes.

Bia Cantanti

Graduada em Letras, atua como Secretária. Escritora, possui um blog e uma fanpage (http://muitomaisbiacantanti.blogspot.com.br/ https://www.facebook.com/letraemflor). Autora do eBook "Um Estranho Conhecido", sua primeira obra, uma história romântica e espiritual.

Ver perfil »
Recomendados para você