A pessoa mais bonita do mundo - A Mente é Maravilhosa

A pessoa mais bonita do mundo

abril 5, 2018 em Psicologia 137 Compartilhados
A pessoa mais bonita do mundo

Sinto muito, mas não existe concurso que determine quem é a pessoa mais bonita do mundo. Ao contrário de tudo que nós estamos acostumamos a ver, ler ou escutar, a beleza é uma atitude. Algo muito mais interno do que nós estamos acostumados a acreditar. É que a beleza entendida como simetria é excessivamente valorizada, e nos faz perder muito tempo perseguindo padrões estéticos que, talvez, durante esse percurso, nos façam esquecer daquilo que é real.

Existe muita beleza no mundo. Muitíssima, diria eu. Os seres humanos são capazes de encontrar a beleza quase em qualquer expressão de arte, coisa ou ser. Nós contamos com a capacidade de percebê-la e com a paixão para admirá-la. Mas quando falamos de pessoas, o conceito se distorce. Esquecemos que cada pessoa pode ser bonita muito além do seu aspecto físico. Muito além da banalidade de uma simples carcaça.

A pessoa mais bonita é valente

Ser valente não significa viver sem medo. Significa deixar de fugir para encontrá-lo e, assim, poder superá-lo. Faz parte da decisão de conquistar o lugar que nos corresponde no mundo (no nosso mundo). Parte da compreensão e do respeito que temos por nós mesmos, e nos aproxima daquilo queremos chegar a ser. Estas são algumas das virtudes das pessoas valentes:

Escutam e validam os seus sentimentos

Ao invés de fugir do que elas sentem, aproveitam as emoções para se entender e se conhecer. Aceitam tanto as emoções positivas quanto as negativas, sem julgar o que sentem. Quando botamos nome nos nossos medos e inseguranças, podemos refletir sobre eles e sobre aonde nos levam. Além disso, passamos a agir a partir da coerência e do equilíbrio.

Mão segurando coração de papel

Aceitam a responsabilidade de seus atos

Não se lamentam ou procuram culpados. Elas se concentram no que podem melhorar e trabalham nisso. Quando sentimos que nós nos enganamos ou vivemos algo em termos de injustiça ou fracasso, a atitude que adotamos é uma decisão pessoal: nos recuperamos e experimentamos novas opções e alternativas. Todo mundo erra, mas nem todo mundo insiste. Como você enfrenta o seu “fracasso”, a sua falha ou o seu erro?

Posicionam-se diante das mudanças

As mudanças fazem parte da vida e resistir a elas presume, de algum modo, enfrentar uma corrente muito poderosa. As pessoas valentes se esforçam para tratar as mudanças como oportunidades que funcionam como um trampolim para crescer. Uma mudança assusta, mas quando a evitamos e nos afastamos do que sentimos, deixamos de fluir.

Entender que não se pode agradar a todos

Ninguém pode satisfazer a todos e a si mesmo. É lógico que as opiniões das pessoas que amamos são importantes para nós, mas dar mais valor a elas do que ao que pensamos e sentimos é a mesma coisa que se desprezar para ficar em segundo plano. É importante tentar manter uma certa fidelidade a si mesmo, o que não significa ter que ferir os outros, mas estar atento para não ferir a nós mesmos.

Homem diante de janela

Tomar decisões

Às vezes é mais fácil se deixar levar pela inércia, apesar dela não nos aproximar do que nós gostaríamos de sentir ou de onde gostaríamos de estar. As pessoas valentes tomam decisões. As decisões tendem a nos assustar, e isso é normal: escolher um caminho supõe descartar as demais opções. No entanto, precisamos nos definir para seguir adiante. Precisamos decidir para avançar. E você, continua adiando tomar uma decisão importante?

A pessoa mais bonita é espontânea

Às vezes nós precisamos tomar uma decisão especialmente importante: a de nos afastar das expectativas, das comparações e das exigências para que possamos ser nós mesmos. Nem mais, nem menos. Fazer isso não significa se afastar das pessoas, nem dos contextos de sempre. Significa que poderemos nos aproximar mais de nós mesmos.

“Ainda que lhe arranque as pétalas, não privará a flor de sua beleza”.
– Rabindranath Tagore –

Mulher no campo

Quando isso acontece, nossos olhos costumam encontrar resistências, mas a longo prazo as visões se transformam em paisagens muito mais harmônicas. Nesse processo, você percebe todo o tempo ao longo do qual se descuidou. Então você se recolhe, se abraça e decide cuidar de si como merece: com amor. Conforme passa o tempo, você começa a ser mais sensível à beleza que tem no seu interior. Entende que a sua beleza não se ganha com os cremes, nem se perde com os anos. Que a beleza consiste em pensar menos e fluir mais, em ser espontâneo.

Quando você esquece dos filtros, dos olhares e das opiniões. Quando você encontra a maneira de se posicionar em primeiro plano e reivindica o papel de protagonista da sua história. Quando você é valente e se entende, você se transforma na pessoa mais bonita do mundo para quem sempre está consigo: você.

Recomendados para você