Quando as pessoas são reconhecidas e respeitadas no trabalho, são mais felizes e produtivas

Quando as pessoas são reconhecidas e respeitadas no trabalho, são mais felizes e produtivas

Giana Soares Abril 26, 2017 em Emoções 0 Compartilhados
Quando as pessoas são reconhecidas e respeitadas no trabalho, são mais felizes e produtivas

Acordo cedo todos os dias, mas sempre chego atrasado ao trabalho’, ‘quando chego à porta da empresa me dá vontade de voltar para casa’, ‘não consigo focar nos projetos’, ‘a energia não é mais a mesma para realizar certos tipos de trabalhos‘. Essas são algumas frases que podem indicar que você se encontra desmotivado em sua empresa.

Quando falamos de motivação o melhor conceito trabalhado sobre esse assunto é do paulistano e escritor na área de administração e recursos humanos Idalberto Chiavenato (2005). Para ele a motivação é “tudo aquilo que impulsiona a pessoa agir de uma determinada forma”.

A partir desse conceito, podemos dizer que existem dois tipos de motivação que impulsionam o sujeito, de acordo com a obra “Introdução à administração” de Maximiano (2008): a motivação interna e a motivação externa.

Motivação no trabalho

A motivação interna é aquela que remete aos nossos valores, às nossas necessidades e interesses pessoais. Essa motivação é de natureza fisiológica e psicológica. Já a motivação externa é formada por ações propiciadas pelo próprio ambiente, ele desperta sentimentos de interesse para realizar o trabalho, por exemplo, os colegas de trabalho, o chefe, o salário, um ambiente acolhedor.

A motivação interna e a motivação externa interagem no trabalho

Cada pessoa tem sua necessidade. E a motivação é isso! Ela vai surgir a partir da necessidade do sujeito.

Para ficar um pouco mais claro, vamos ao exemplo? Imagine-se numa empresa conceituada no mercado, mas você acredita que o salário não é compatível com a função que exerce, o seu projeto quase não é aceito pelo grupo, além do mais, o seu chefe é extremamente autoritário, enfim, são motivos externos que não o motivariam a trabalhar. Entretanto, você acredita que estar nessa empresa é uma forma de ganhar conhecimentos, aumentar seu networking. Dessa maneira, percebe que não precisa de motivos externos para estar motivado, você pode agir de acordo com seus interesses individuais.

A queda da motivação pode estar relacionada, então, tanto a fatores externos quanto internos. Quando a velocidade, a eficiência e a produtividade que impulsionam para o resultado diminuem gradativamente, é possível que você não esteja mais vivendo de acordo com suas aspirações, principalmente quando há projetos importantes que não são reconhecidos.

motivação diária no trabalho

O mais grave é quando essa queda persiste por muito tempo. A desmotivação é capaz de apresentar alguns sinais. Ela pode deixá-lo estressado, com sentimento de culpa por não fazer o suficiente para avançar na carreira, entre outros. Os efeitos disso são preocupantes, porque você pode ter dificuldade para dormir, redução da capacidade de concentração, exaustão emocional, ansiedade, mudança de humor e outros transtornos. É importante perceber esses sinais e tentar identificar o que o desmotiva no trabalho.

O que a maioria das pessoas deseja é a aceitação, ser úteis à empresa. Quando elas são reconhecidas e, principalmente, respeitadas, são mais felizes e consequentemente mais produtivas. Claro, ninguém é 100% produtivo todo tempo, mas se você está apático e apresenta os sinais acima, é importante que encontre alguma maneira de sair dessa crise. Muitas pessoas não conseguem se estabilizar sozinhas, sendo assim, é preciso ter a ajuda de profissionais qualificados, como o psicólogo, para ajudá-las a criar estratégias para melhorar ou evitar doenças no ambiente de trabalho.

Giana Soares

Professora e psicóloga clínica. Apaixonada por literatura, filmes e seriados. Super antenada com as tecnologias e assuntos referentes ao comportamento humano. É idealizadora e fundadora do Psicoguia.me

Ver perfil »
Recomendados para você