Pluviofobia: sintomas, causas e tratamento

· janeiro 23, 2019

As pessoas que sofrem de qualquer tipo de fobia sabem que, quando ocorre o evento que as desencadeia, experimentam um grande sofrimento que gostariam de evitar. Existem alguns estímulos fóbicos que ocorrem muito ocasionalmente, e é até possível evitar o que os desencadeia. Outros, no entanto, são muito comuns, como é o caso da pluviofobia.

A pluviofobia é caracterizada pelo medo intenso de tudo relacionado à chuva. Isto é, tempestades, relâmpagos, raios, trovões, etc. Portanto, é uma fobia que pode chegar a ser muito invalidante, já que o objeto do qual se tem medo pode ser muito generalizado e ocorrer com muita frequência.

Também é chamado de ombrofobia. Sua manifestação pode acontecer durante toda a vida, embora seja mais característica durante a juventude e no início da idade adulta.

“A ansiedade é um pequeno fluxo de medo que corre pela mente. Se for alimentada, pode se tornar uma correnteza forte que arrastará todos os nossos pensamentos”.
-A. Roche-

Sintomas da pluviofobia

Quando uma pessoa sofre de uma fobia, seu sistema nervoso responde como se estivesse exposto a uma ameaça muito séria. Dependendo do grau da fobia, a situação pode ser equiparada inclusive a como nossos antepassados se sentiam quando eram perseguidos por um animal, ou a como nos sentimos hoje se estivermos em um trilho com o trem vindo na nossa direção.

Portanto, isso gera um estado de ânimo dominado pela ansiedade, podendo chegar a se transformar em um ataque de pânico.

Sintomas da pluviofobia

Os sintomas mais comuns são a hiperventilação, as alterações gastrointestinais, a taquicardia, a sensação de pressão no peito e na cabeça, as tonturas, a dor de cabeça, as dificuldades respiratórias, etc. Tudo isso representa um grande sofrimento para a pessoa, o que, em muitos casos, faz com que ele tome medidas para evitar o estímulo.

As fobias podem ser o efeito da evolução de um medo, isto é, começar com um pequeno medo e evoluir até sentir o mesmo terror que sentiríamos diante uma ameaça que pensamos ser mortal. Ao mesmo tempo, o nível de ansiedade dependerá também da gravidade do fenômeno meteorológico (intensidade do estímulo fóbico). Não será o mesmo se for uma pequena garoa ou uma grande tempestade.

Causas da pluviofobia

Trata-se de um tipo de fobia específica para esse fenômeno físico, por isso, qualquer um pode desenvolvê-la. Não é necessário ter condições que predisponham a sofrer este tipo de alteração psicológica.

Geralmente desencadeia uma experiência negativa sofrida em relação a chuvas torrenciais, inundações, tempestades severas, raios, ou qualquer fenômeno meteorológico especialmente forte deste tipo. É o que indica o psicólogo Arturo Bados.

Nesses casos, a pessoa se sente muito vulnerável em relação à força da natureza. Assim, aprenderia uma associação entre certos fenômenos naturais, neste caso relacionados à chuva, à falta de controle e ao medo. Como resultado, essa associação entraria em cena toda vez que o estímulo fóbico fosse antecipado ou produzido.

Tratamento da pluviofobia

A primeira coisa a se fazer quando se sofre de pluviofobia é recorrer a um especialista para avaliar a gravidade da questão, as causas que a desencadeiam e os sintomas e reações que provocam para estabelecer qual é a intervenção mais recomendada em cada caso.

Tratamento da pluviofobia

Geralmente, a intervenção central é baseada em uma exposição com prevenção de resposta. Consiste em expor a pessoa de maneira fictícia às causas e eventos que desencadeiam a fobia por curtos períodos de tempo marcados pelo especialista, que serão aumentados a seu critério.

Com essa exposição, busca-se produzir a ansiedade e fazer com que essa mesma ansiedade comece a diminuir dentro da própria exposição. Não se permite que a pessoa dê a resposta de evitação até que a diminuição tenha ocorrido.

A pluviofobia é uma das fobias que mais afetam os que sofrem, porque é impossível se isolar do fator que a gera, ou seja, da chuva, das tempestades e de outros fenômenos meteorológicos. Portanto, quanto mais cedo encontrarmos uma solução, melhor.

“O homem que tem medo sem perigo inventa o perigo para justificar seu medo”.
-Alain Emile Chartier-

  • Olesen, J. (2018). Fear of Rain Phobia – Ombrophobia. Fearof.net
  • S.n. (2011). Ombrofobia: el extraño mal que hace que las personas tengan miedo a la lluvia. Publimetro