Por que fico tão cansado quando tenho ansiedade?

09 Dezembro, 2020
As pessoas que sofrem de ansiedade também tendem a sofrer de um tipo de exaustão persistente que limita muito as suas vidas. A causa desse fenômeno é bem conhecida. Vamos analisá-la a seguir.

Por que fico tão cansado quando tenho ansiedade? Muitas pessoas se fazem essa pergunta quando passam por períodos de dura batalha psicológica. O corpo pesa, os músculos doem, há pressão no peito e em todos os momentos há a necessidade de sentar-se um pouco para recuperar as energias (e até a vontade). Qual é o motivo disso? O que explica esse fenômeno?

Essa realidade vem sendo estudada desde o início do século XX e, especificamente, desde a Primeira Guerra Mundial. Algo que se observava nas enfermarias dos hospitais era como grande parte dos soldados que voltavam da guerra não apresentavam apenas ferimentos no corpo: também sofriam de transtornos de ansiedade e depressão. Além disso, junto com os problemas mentais aparecia outro sintoma: cansaço extremo e persistente.

À época, os médicos chamaram essa manifestação de “fadiga de combate”. Então, com o passar das décadas, compreendemos muito melhor essa realidade clínica e todos os processos bioquímicos e fisiológicos associados aos referidos estados psicológicos. Vamos analisar com mais detalhes.

Mulher exausta

Por que fico tão cansado quando tenho ansiedade? Causas a considerar

A fadiga costuma ter duas origens: ou é o resultado de um esforço físico mantido ao longo do tempo ou, pelo contrário, responde a causas psicológicas. É possível que a última causa pareça contraditória para muitas pessoas. No entanto, os dados relativos a questões trabalhistas, por exemplo, estão aí.

Em um estudo realizado no departamento de psiquiatria da Universidade de Manitoba, no Canadá, foi analisado um aspecto interessante. O custo da depressão e dos transtornos de ansiedade no mundo do trabalho é imenso. Uma das dimensões mais intimamente relacionadas aos afastamentos laborais é a fadiga. Muitas pessoas se sentem incapazes de se concentrar e ser produtivas para alcançar seus objetivos.

Além disso, também é comum não conseguir levar um estilo de vida normal. As coisas de que antes gostávamos, como sair para passear ou ter momentos de lazer, exigem um nível de esforço e energia demasiado elevados. Qual é o motivo disso? Por que fico tão cansado quando tenho ansiedade? Estas costumam ser as causas.

Adrenalina e ansiedade: ativação física que não descansa

Tanto o estresse quanto a ansiedade levam ao aumento da produção de adrenalina e noradrenalina. Esses dois hormônios têm um propósito: ajudar a reagir ou fugir diante de uma ameaça.

  • Dessa forma, é possível elevar a frequência cardíaca e respiratória e a pressão arterial e, além disso, a secreção de cortisol é facilitada. Em circunstâncias normais, essa reação é breve. Assim que a ameaça desaparece, o corpo retorna aos seus níveis normais.
  • No entanto, quando a ansiedade é persistente (e a ameaça não é específica), a presença contínua desses hormônios no organismo é muito prejudicial: então aparecem a exaustão, as dores de cabeça, os distúrbios digestivos, a taquicardia …

Em média, quando uma pessoa sofre de um transtorno de ansiedade, a exaustão não é o único sintoma perceptível. É comum que a pessoa experimente muitas das dimensões listadas acima. Tudo isso é o resultado claro de um corpo e um organismo que estão sempre ativados, preparados para reagir a alguma coisa. E como bem podemos imaginar, isso é exaustivo.

Os músculos, os mais afetados

Qualquer pessoa que sofre de ansiedade continuamente ou que já a sentiu em algum momento de sua vida terá notado esse aspecto. Esse estado psicológico transforma o corpo em uma pedra pesada: as pernas doem, os braços mal suportam o peso e a região das costas e do pescoço é uma das que ficam em um estado mais crítico.

Os músculos são uma região onde a ansiedade exerce um grande impacto. Isso ocorre porque o cérebro leva grande parte da energia para essas partes a fim de que reajam e facilitem essa resposta de luta ou fuga relacionada. A tensão acumulada por dias acaba cobrando seu preço na forma de dor e exaustão.

Seu cérebro também pode estar enviando uma mensagem

Quando uma pessoa se pergunta por que fica cansada quando sente ansiedade, ela deve considerar um detalhe: talvez o corpo esteja dizendo algo. Essa exaustão pode ser um mecanismo de defesa do cérebro. Ele emite uma resposta de exaustão generalizada para nos deter, para nos obrigar a parar.

Porém, um detalhe deve ser levado em consideração: o cansaço causado pela ansiedade não se resolve dormindo trinta horas seguidas. Ou seja, o descanso físico não resolve o problema mental.

Essa resposta de exaustão generalizada que o cérebro emite também busca nos fazer parar para reconsiderar. Mudar hábitos, definir prioridades, administrar emoções, curar problemas do passado e do presente são as melhores estratégias. É o ideal a se fazer.

Homem preocupado ansioso

Não se esqueça de descartar fatores orgânicos

Sabemos que a ansiedade causa um grande número de manifestações psicológicas e orgânicas: preocupação constante, problemas de concentração, distúrbios do sono, dor de estômago e exaustão física. Contudo, não se deve tomar como certo que essa fadiga constante seja um efeito óbvio dessa condição mental.

É aconselhável consultar o médico a fim de entender o que está acontecendo conosco. Em muitos casos, esse cansaço também pode ser a origem de uma alteração na tireoide, um problema de anemia, etc. Para tratar os transtornos de ansiedade, é aconselhável contar com a ajuda de um psicólogo e, também, com a supervisão do nosso clínico geral.

Quando o corpo fala, você não apenas precisa ouvi-lo, mas também dar a resposta de que ele precisa.

  • Enns W. William, Bernstein. Charles (2018) The association of fatigue, pain, depression and anxiety with work and activity impairment in immune mediated inflammatory diseases. Plos One. doi: 10.1371/journal.pone.0198975