Princesa Fiona: sua própria heroína

· setembro 24, 2018

Shrek é uma série de filmes de animação que foi lançada originalmente em 2001 com o longa de mesmo nome. Criado pela produtora Dreamworks Animation e baseada no livro homônimo de William Steig, Shrek se tornou um grande sucesso de bilheteria mundialmente. A princesa Fiona é uma das protagonistas dessa saga de filmes emblemática e tão querida pelo público. Um exemplo de dedicação e valentia que retrata Fiona como uma heroína nada convencional.

Hoje em dia, a franquia de Shrek já conta com 4 filmes que constroem sua trama principal. Esses filmes são Shrek, de 2001, Shrek 2, de 2004, Shrek Terceiro, de 2007 e Shrek: Felizes para Sempre, de 2010. Além disso, também já foram produzidos especiais de Natal e, é claro, um filme sobre o gato de botas.

O personagem de Shrek se apresenta, a princípio, como um ogro ranzinza e mal humorado que mora em um pântano. Seu pântano é seu refúgio, e ali ele vive em completa solidão.

Um dia, o rei decide banir todos os personagens dos contos de fada de seu reino, justamente para o pântano de Shrek. Nesse momento, o ogro se vê obrigado a empreender uma missão para resgatar a Princesa Fiona. Seu companheiro durante essa jornada será o Burro, um animal muito falante.

Uma princesa incomum

A princesa Fiona é uma bonita jovem que está presa em uma torre guardada por um terrível dragão. Ninguém sabe qual é a razão pela qual seus pais decidiram prendê-la desde a sua infância nessa torre. De acordo com a lenda, só um valente cavaleiro montado em um nobre cavalo será capaz de resgatá-la.

Fiona, no entanto, guarda um terrível segredo. Ela foi vítima de um feitiço e toda noite se transforma em uma ogra, voltando a sua forma normal quando amanhece. Como em muitos contos de fadas, esse feitiço só poderá se romper com o beijo do seu verdadeiro amor. Fiona sabe que o cavaleiro que virá buscá-la será capaz de romper com sua maldição. Por isso, ela fica muito decepcionada quando vê Shrek e o Burro chegarem em sua torre para resgatá-la. Afinal, ele é um ogro, e além disso, é feio.

Apesar de parecerem tão diferentes, Fiona e Shrek têm muito em comum. Conforme a história vai avançando, Fiona se dá conta de que Shrek é seu verdadeiro amor. Ao fim do primeiro filme, Fiona e Shrek confessam seu amor um ao outro. Fiona decide viver no pântano, com o ogro de sua vida.

Nos filmes seguintes, os criadores exploram a dicotomia entre a vida da princesa Fiona e de Shrek. Enquanto Fiona cresceu em meio a riquezas, Shrek sempre viveu sem grandes luxos.

Ainda que os filmes sejam centrados na figura de Shrek, é importante entender que Fiona é uma mulher incrivelmente corajosa. Ela decide constantemente qual é o rumo de sua vida, sem medo de mudanças. Por exemplo, ela nega o pedido de casamento do Príncipe Encantado, ou do Lord Farquaad. Também decide viver no pântano, ainda que pudesse escolher viver em um castelo. Fiona renuncia a seus privilégios em busca da sua própria felicidade e independência.

Shrek

A Princesa Fiona em Felizes para Sempre

Talvez o filme em que o fato da Princesa Fiona ser dona do seu destino fique mais evidente seja o Felizes para Sempre. Nesse filme, Shrek é um pai de primeira viagem cansado da rotina. Através de um feitiço, Shrek faz com que o passado mude.

Nessa nova realidade, Shrek jamais nasceu e, então, obviamente nunca pôde resgatar Fiona. Desesperado, Shrek procura por Fiona e a encontra em meio ao bosque. Ela, no entanto, não é a donzela em apuros que ele conheceu pela primeira vez na outra vida. A princesa é agora líder de uma rebelião de ogros: a resistência contra o malvado rei Rumpelstiltskin.

Sem se importar com o feitiço que ainda a atormentava, Fiona conseguiu superar todos os seus limites. Ela mesma passou pelo dragão e escapou da sua torre. Além disso, ela conseguiu reunir uma imensa força de ogros para derrotar o rei. Fiona não precisou de um cavaleiro com uma armadura brilhante para mudar seu destino: ela mesma o fez.

Mulher independente não precisa de amor?

Apesar de todas as suas conquistas, a princesa Fiona ainda é vítima da sua maldição. Somente poderá rompê-la ao encontrar seu verdadeiro amor e beijá-lo. Essa, no entanto, é uma realidade paralela, e Fiona jamais se apaixonou em sua vida. Em seu esforço para se tornar independente, Fiona se nega a amar.

Muitas mulheres dos dias de hoje pensam que amar outra pessoa irá trazer limites para si mesmas. Pensam que o amor tirará sua liberdade e sua independência. Amar e ser amado, no entanto, não deve e não precisa ser algo limitante. O amor transforma as pessoas em equipes, e o trabalho em equipe pode trazer muitas coisas boas.

Vire sua própria heroína

As mulheres devem ousar, devem desafiar seus limites. Assim como a Princesa Fiona, não podemos esperar sermos resgatadas por um príncipe. Cada mulher tem dentro de si a capacidade de ser sua própria heroína.

Ao mesmo tempo, a mulher deve entender que o amor não a torna menos corajosa ou menos independente. Os laços de carinho nos fazem mais fortes, servindo como apoio para que tenhamos mais força para alcançar todas as nossas metas, definidas apenas por nós mesmas.