Quantas emoções existem?

· junho 28, 2016

Se parar para pensar por um momento, você se dará conta de que as emoções governam grande parte das nossas vidas. Mas você já parou para pensar em quantas emoções existem na realidade? Você saberia explicar o que são estas emoções? Seria capaz de descrevê-las sem utilizar uma metáfora, ao estilo de “tenho borboletas no estômago” ou “estou com um nó na garganta”?

O psicólogo Robert Plutchick disse que existem mais de 90 definições diferentes para o termo “emoção” que foram sugeridas por psicólogos. Desta forma, a dificuldade para definir e identificar as emoções é agravada, visto que nem os especialistas chegam a um acordo ou, pelo menos, a representam de formas diferentes, ainda mais ao levar em conta que as emoções são algo muito pessoal. Além disso, o fato de que as emoções se mesclam entre elas com frequência também não facilita a tarefa de definir quantas emoções existem.

Uma questão antiga: quantas emoções sentimos?

A questão sobre quantas emoções existem é algo que vem de longe. Já no século quarto antes de Cristo, Aristóteles tentou identificar o número exato de emoções básicas. Estas são conhecidas como as 14 emoções irredutíveis, em que Aristóteles identificou o medo, a confiança, a raiva, a amizade, a calma, a inimizade, a vergonha, a falta de vergonha, a compaixão, a bondade, a inveja, a raiva, a emulação e o desprezo.

Séculos mais tarde, Charles Darwin, em seu livro A expressão das emoções no homem e nos animais (1872) sugeriu que a capacidade de expressar emoções através do rosto tinha vantagens evolutivas. Ele também sugeriu que muitas destas expressões emocionais eram universais.

Mais recentemente, os psicólogos fizeram uma série de tentativas para classificar e identificar o número exato de emoções. Surpreendentemente, quando se trata de emoções básicas e universais, há realmente muito menos do que você pensa. De acordo com as teorias mais conhecidas que classificam a experiência emocional humana, existem em qualquer lugar cerca de quatro emoções básicas.

Teorias contemporâneas sobre as emoções

A roda de emoções

Uma destas teorias mais destacadas é a roda de emoções de Robert Plutchik, que identifica oito emoções básicas: a alegria, a tristeza, a confiança, a aversão, o medo, a raiva, a surpresa e a antecipação. A roda de emoções se assemelha à roda de cores, no sentido de que as cores primárias são combinadas para formar as cores secundárias e complementares. Estas emoções básicas se mesclam e se combinam para formar uma variedade de sentimentos.

Seis emoções universais

Outros pesquisadores sugerem que existem cerca de seis ou sete emoções básicas que são vivenciadas nas culturas de todo o mundo. O psicólogo Paul Eckman criou o que conhecemos como o Sistema de Codificação de Ação Facial (FACs), uma taxonomia que mede os movimentos dos 42 músculos da face e os movimentos da cabeça e dos olhos. Eckman descobriu que havia seis expressões faciais universais.

Estas seis emoções originais identificadas por Eckman eram de alegria, tristeza, surpresa, medo, ira e desgosto. Mais tarde ele passou a adicionar uma sétima emoção: o desprezo.

Apenas quatro emoções básicas, é possível?

Mais recentemente, outras pesquisas reduzem o número básico de emoções a apenas quatro. Assim, em um estudo realizado na Universidade de Glasgow, Escócia, os pesquisadores pediram que os participantes identificassem as emoções nas expressões de um modelo realista. O que eles descobriram foi que o medo e a surpresa envolvem os mesmos músculos.

Em vez de representar duas emoções distintas, os pesquisadores sugerem que o medo e a surpresa são simplesmente variações de uma emoção básica. Da mesma forma, a aversão e a raiva envolvem os mesmos músculos, e por isso sugerem que representam variações de uma única emoção.

Com base neste estudo, os pesquisadores sugerem que ao invés de seis emoções básicas, haveria apenas quatro: a alegria, a tristeza, a raiva e o medo. E dizem também que as variações mais complexas das emoções foram evoluídas a partir desses blocos de construção fundamentais ao longo de milênios.

Quantas emoções existem?

Por outro lado, a maioria de nós poderia argumentar imediatamente que o medo e a surpresa são emoções distintas e separadas, assim como a raiva e o desgosto. No entanto, os pesquisadores observaram que na primeira vez em que a expressão é demonstrada, são usados os mesmos músculos, tanto para o medo quanto para a surpresa.

Os pesquisadores acreditam que essa distinção entre o medo/surpresa e a raiva/desgosto tem uma base social. Somente mais tarde a emoção é expressada plenamente e surge a diferença entre ambas.

Eles também pensam que a expressão das emoções tem uma base de sobrevivência biológica, enquanto que as diferenças que existem entre o medo e a surpresa e entre o desgosto e a raiva foram evoluídas por razões mais sociais.

Isto significa que existem apenas quatro emoções? É claro que não. Esta pesquisa sugere que existem quatro emoções irredutíveis, mas isso não significa que as pessoas só sejam capazes de experimentar quatro estados emocionais.

Na verdade, os pesquisadores comentam que “ninguém em seu juízo perfeito diria que existem apenas quatro emoções, já que os seres humanos têm emoções muito complexas

Quantas emoções existem?

A expressão das emoções

Ainda que pudéssemos ser capazes de identificar tais emoções gerais, a pesquisa de Eckman revelou que o rosto humano é capaz de criar mais de 7 mil expressões faciais diferentes.

As emoções e a forma como as experimentamos e expressamos podem ser tão abundantes quanto sutis. No entanto, são as emoções básicas que servem de base para essas emoções mais complexas e particulares que compõem a experiência humana.