Quanto vale a sua palavra?

· julho 6, 2016

“Esse realmente é um homem de palavra.”

Quase não se escuta alguém falando sobre isso hoje em dia, não é verdade? A verdade é que os homens e as mulheres de palavra são bastante raros. Você já parou para pensar em quanto vale o que você diz?

Muita gente afirma que para sobreviver nesse mundo competitivo é preciso mentir, dizer meias verdades, quebrar pactos e deixar as pessoas esperando. Não dão muita importância a cumprir sua palavra, pois desde que inventaram as desculpas todo mundo acaba saindo bem na foto. No entanto, os que agem dessa maneira têm uma forma de pensar um tanto limitada. A longo prazo, esses hábitos fazem essas pessoas ganharem a reputação de irresponsáveis, insensíveis  e complicadas. E a verdade é que isso não ajudará você em nenhuma área da sua vida, seja profissional, familiar ou social.

Sua palavra o define

Nada confere mais dignidade a uma pessoa do que a honestidade.

Uma grande porcentagem de promessas quebradas se originam em situações onde você se sente pressionado a dizer “sim”. O primeiro passo para ser honesto é aprender a dizer “não”. Como assim? Pode ser que você sinta vergonha em dizer “Não entendo”, “Não sei muito sobre esse assunto”, “Acho que não consigo terminar o trabalho no prazo”, ou “Não será possível cumprir esse horário, ou essa cota”.

No entanto, ainda que isso não seja exatamente o que você queira ouvir do seu chefe, do seu cliente ou do seu parceiro, sem dúvida eles ficarão mais felizes do que se você dissesse apenas “Sim, com certeza”, e logo depois não cumprisse o que foi dito. Muitas pessoas ou empresas estão dispostas a fornecer treinamento ou um período mais longo de tempo para concluir um projeto, simplesmente por saber que estão trabalhando com uma pessoa honrada. Talvez não o contratem para esse trabalho ou evento, mas no futuro quando precisarem de uma pessoa de confiança, irão procurá-lo. Contudo, para poder ser honesto nesse aspecto, é necessário ter outras duas virtudes que também são bastante raras: a humildade e a modéstia.

A humildade

Ninguém sabe tudo, então, por que as vezes nos sentimos pressionados a falar com autoridade sobre determinado tema quando a verdade é que nosso conhecimento é limitado? Até temos vergonha de fazer certas perguntas e pedir ajuda. A falta de autoestima pode estar no centro dessa atitude. Se nos sentimos inseguros em relação a como as pessoas nos observam, é mais provável que fiquemos pressionados a exagerar nossas capacidades.

No entanto, pare para pensar, não é verdade que você tem muitas outras aptidões e habilidades? Então quer dizer que na verdade você vale menos, apenas porque não sabe algo sobre uma determinada área em particular? Claro que não!

Além disso, lembre-se de que se você não expressar as suas dúvidas, nunca aprenderá. Se você deixar claro que é a primeira vez que está fazendo um projeto desse tipo, então as pessoas ao seu redor terão expectativas realistas. Em vez de pensar: “…ele não era um especialista?”, pensarão: “Não está nada mal para a sua primeira vez.”

A modéstia

A modéstia é quando você está ciente das suas limitações. Uma pessoa madura sabe o que é capaz de conseguir e quando tempo lhe tomará. Cada pessoa trabalha num ritmo diferente e dispõe de diferentes quantidades de energia. Assim, se frequentemente você não cumpre com seus compromissos, é sinal de que você não se conhece o suficiente.

Por exemplo, uma pessoa modesta não diz que chegará em meia hora quando tem que terminar um trabalho, responder dois e-mails e cruzar a cidade na hora do rush. Para evitar isso, pense um pouco antes de responder qualquer coisa.

Então, antes de prometer ao seu primo que vai ajudar com a mudança no sábado, pense na semana que você tem programada e se, sendo realista, você pode estar ali às 6h da manhã, ou depois do almoço, ou se, infelizmente, você não vai poder ajudar dessa vez. Se você não tem certeza, não se sinta pressionado a responder de imediato. Você pode dizer algo como: “Te ligo na sexta assim que eu souber se estarei livre.”

A verdade é que as chamadas “mentiras brancas”, os exageros e as promessas quebradas minam sua integridade. Por outro lado, a humildade e a modéstia irão ajudá-lo a ser uma pessoa íntegra em todos os âmbitos da sua vida.

Imagem cortesia de Pablo Fernandez.