Recuperar-se de um abuso emocional - A Mente é Maravilhosa

Como se recuperar de um abuso emocional

Março 11, 2018 em Emoções 0 Compartilhados
Recuperar-se de um abuso emocional

Recuperar-se de um abuso emocional requer, em primeiro lugar, processar uma experiência traumática que minou nossa autoestima. Para isso, é necessário evitar atribui-se a culpa, porque o erro nunca é de quem confia, de quem dá tudo por uma relação. O “crime” é de quem mente, da pessoa narcisista e insana que faz tudo através de manipulação, chantagem e abuso psicológico.

Se enfatizamos a importância de não assumir total responsabilidade ou a culpa pelo que aconteceu, é porque é um fato muito concreto. Quando uma pessoa finalmente consegue deixar um relacionamento abusivo, é muito comum que ela mesma ou um membro de seu ambiente pense “Por que não deixou essa pessoa antes? Como é possível ser tão cega e não ver tudo o que estava acontecendo? “

“O caminho é acalmar a mente e fazer com que olhe para si mesma de maneira realista. Uma mente madura, equilibrada e que saiba perder. Uma mente humilde, mas não estúpida. Uma mente aberta ao mundo, vigorosa e com os pés no chão”.
-Walter Riso-

Não é tão simples. O abuso emocional não é fácil de desmascarar porque seus mecanismos são muitas vezes muito sutis e ao mesmo tempo sofisticados. Ainda devemos adicionar outro ingrediente, não menos importante: o amor. Porque não podemos esquecer que quem ama é teimoso, confia e se compromete. Por isso esses mecanismos não são visíveis a olho nu, e se eles são percebidos o cérebro aplica estratégias muito complexas para dissuadir dúvidas, para limpar um nevoeiro denso que impede que a pessoa veja claramente o que está acontecendo.

Até que finalmente o fazemos, já que no final se está plenamente consciente do que está acontecendo, porque, cedo ou tarde, quando olhamos no espelho já não nos reconhecemos mais. A pessoa que aparece refletida é praticamente uma sombra do que costumávamos ser.

Autoestima fragmentada

Recuperar-se de um abuso emocional, uma batalha que nem todos conseguem vencer

O ciclo de abuso emocional muitas vezes funciona como um vício. Há um sistema de castigo-recompensa em que estamos presos. Em um momento nos dão uma atenção desmedida, as carícias mais incríveis, são detalhistas e apaixonados; Depois, aparecem as demandas, a frieza, a humilhação e a censura que deixa sequelas.

O carinho está relacionado com o abuso em uma cadeia infinita onde nos instalamos como mais uma peça dessa máquina controlada pelo agressor. Abandonar essa dinâmica não é nada fácil. Além disso, não acreditemos que, ao acabar com esse relacionamento, acabamos com o sofrimento.

Muitas pessoas, homens e mulheres, que finalmente conseguem sair de uma relação abusiva julgam inocentemente que, com esse passo corajoso, tudo acabou. Eles pensam que, depois dessa decisão, tudo será melhor, que depois de chegar no fundo do poço tudo passará por uma melhora súbita e que a recuperação será imediata. Entretanto, não é assim.

Sintomas de que você não superou uma relação abusiva

  • Sentimento de culpa. Nós direcionamos a nós mesmos um pouco de raiva por não termos percebido antes e termos perdido tanto tempo com alguém que nos machucava e fazia mal.
  • A culpa é acompanhada pela raiva. Nós acumulamos tanta frustração e raiva que às vezes projetamos esse sentimento nos outros, em alguns momentos.
  • Nós nos tornamos desconfiados.
  • Podemos passar por períodos de grande hiperatividade, queremos fazer muitas coisas, nos envolver em projetos diferentes, mas logo nos sentimos exaustos, sem energia.
  • Nossa autoimagem, nossa percepção de nós mesmos e nossa autoestima ainda estão danificadas, violadas.
  • Não temos mais emoções positivas com a mesma intensidade que antes, agora a alegria é menos alegre, a ilusão é menos motivadora e os sonhos menos esperançosos. É como se estivéssemos anestesiados…

Como se recuperar de um abuso emocional

Chave para se recuperar de um abuso emocional

Como dissemos anteriormente, para se recuperar do abuso emocional é necessário reinterpretar nossa condição de vítimas, de modo que ela não ocupe todo o nosso conceito de nós mesmos. Deixemos de lado o sentimento de culpa e o comportamento indefeso, a longo prazo ele pode tornar o estado traumático algo crônico. A identidade da vítima tira nosso poder e enfraquece nossa compreensão de nós mesmos.

Nesse sentido, falaremos de algumas abordagens e estratégias que devem ser exercitadas.

Foco: você é valente e deve tomar posse de sua própria vida

Você não é uma vítima, é uma pessoa corajosa que deve se recuperar de um passado traumático. Para fazer isso, deve se concentrar no momento presente e pegar as rédeas de sua vida. Você é responsável pela sua própria vida, e responsabilidade significa que você é “aquele que sabe como responder frente às situações “, portanto, esqueça o sentimento de culpa e seja o dono da sua realidade.

Diante da angústia existencial, tenha calma

Recuperar-se de um abuso emocional implica, como dissemos, aprender a ser responsáveis por nós mesmos nesta nova etapa de nossa vida. Ao dar este passo, é comum sentir angústia, medo, perplexidade… Ao ter esses sentimentos, a resposta é “calma”.

Tenha calma, entenda que ninguém vai apressá-lo para se recuperar, entender e assumir que toda cura leva tempo e, portanto, não há outra opção a não ser seguir seu próprio ritmo, ouvir a si mesmo e aceitar todas as suas emoções. Pouco a pouco, controlaremos tudo o que nos rodeia.

Gestão positiva da realidade

Depois de um relacionamento abusivo, é comum acumular raiva, sentir desconfiança, ter uma imagem negativa de nós mesmos porque nos sentimos vítimas de algo que deveríamos ter parado o mais rápido possível. Para evitar esses sentimentos, devemos aplicar uma abordagem mais positiva ao que nos rodeia.

  • Se você sentir raiva, canalize-a, libere-a.
  • Se você se sentir sozinho, fale com outras pessoas, com grupos de apoio que passaram pelo mesmo que você.
  • Se você perceber que não está progredindo, que todas as tentativas retornam a esse ponto de partida onde há desamparo e frustração, busque ajuda profissional.

Controle positivo da realidade

Para recuperar-se de um abuso emocional, é preciso fazer um controle positivo da realidade. Devemos aplicar uma abordagem construtiva onde não haja falta de recursos, suporte, abertura para o ambiente externo, fornecendo-nos terapias e pontos de vista adequados que nos permitam retornar a um “eu” mais leve e luminoso.

Todos podemos sair do ciclo de abuso, e nem sempre sairemos ilesos, é claro, mas podemos ressurgir fortalecidos através da construção de uma imagem muito mais digna, perseverante e valiosa de nós mesmos.

Recomendados para você