A importância da resiliência no esporte

· novembro 15, 2017

A resiliência no esporte é uma capacidade muito importante. Os atletas têm que lidar com o estresse das competições e a pressão de serem os melhores em seu trabalho. A isso também temos que adicionar a preocupação em trabalhar com seu próprio corpo e com uma outra questão que muitas vezes se esconde por trás das medalhas: o esporte profissional castiga o corpo, exige o máximo dele e está longe de ser saudável. Essa questão está relacionada com outra fonte de pressões e problemas: as lesões.

Agora, como funciona a resiliência longe dos esportes profissionais? A verdade é que não são só os atletas que devem superar obstáculos, conviver com a solidão ou com a sensação que será muito difícil se levantar novamente. Na verdade, tais questões são algo que todos nós passamos em algum momento, com mais ou menos intensidade, dentro de nossa rotina.

Seguindo com esse paralelo, o esporte, para aquelas pessoas que não o praticam como profissão, pode se converter em um campo de treinamento para algumas variáveis psicológicas. Entre essas habilidades está a resiliência. Por exemplo, um acidente ou a morte de um ente querido são experiências para as quais dificilmente estamos preparados. Contar com uma boa resiliência nesses momentos pode ser a diferença entre superá-los com êxito ou não.

“As dificuldades preparam as pessoas comuns para destinos extraordinários.”
-C.S. Lewis-

Resiliência no esporte: os atletas são modelos de superação

Se há algo que pode nos diferenciar dos atletas é que, para eles, a maioria das pressões são autoimpostas e, portanto, para muitos não há outro remédio além de gerenciar as situações que se apresentam. Isso, no entanto, proporciona um amadurecimento que permite que eles desenvolvam e fortaleçam sua resiliência. Assim, tornam-se pessoas comprometidas, com uma grande determinação e sobretudo com a fé que surge após terem vivido muitas tormentas e terem aprendido que, depois de um tempo, as nuvens se dissipam.

Os esportistas sofrem lesões, problemas de rendimento, doenças que podem deixá-los impossibilitados de realizar sua profissão. Apesar disso, recuperam-se com facilidade, ou mesmo com alguma dificuldade, dos contratempos, tal como foi observado em uma pesquisa realizada em 2008 por Galli e Vealey. A força mental da qual essas pessoas usufruem após as experiências de suas vidas fazem com que elas resistam, boiando quando outros afundariam. Isso é produto do aprendizado, mas também um exercício de fé e esperança.

Resiliência no esporte

Nesse sentido, não podemos tampouco esquecer de todos os atletas com deficiências que, apesar de encontrarem-se com limitações, têm sucesso em dar o melhor de si mesmos e enfrentar com esperança o desafio de melhorar a cada dia. Muito antes de se colocarem como vítimas de desgraça ou pessoas de má sorte, são conquistadores e exemplos de vida. Eles não se detêm, são fortes, são resilientes.

“A resiliência é a capacidade de encarar de frente as adversidades da vida, transformar a dor em força motora para se superar e sair fortalecido das adversidades. Uma pessoa resiliente compreende que é o arquiteto de sua própria alegria e de seu próprio destino.”
-Anônimo-

A pressão psicológica a que estão submetidos todos os atletas ou esportistas de elite não é um impedimento para seguir se esforçando e superando-se a cada dia. Por que isso não ocorre, às vezes, com pessoas que não praticam esportes? Segundo o estudo anteriormente citado, a resposta se encontra no fato de que os atletas, precisamente por sua ativação fisiológica constante, são capazes de gerar e manter um otimismo que os ajuda. Parece, no entanto, que o mesmo não ocorre com pessoas que mantêm um estilo de vida sedentário.

A resiliência aplicada a outras facetas da vida

Não é necessário ser um atleta ou fazer parte de um clube de futebol para aproveitar os benefícios que fazer esportes pode proporcionar. Introduzir as crianças ao esporte desde cedo, sem importar qual seja a atividade, será positivo para a saúde. Além da saúde, será bom também para que aprendam a gerir o estresse e outros tipos de emoções que podem levar ao pessimismo e ao derrotismo.

Tudo que o esporte proporciona, os benefícios que ele traz, ajudarão no sentido de que as capacidades positivas aprendidas se extrapolam para as diferentes facetas da vida. Ou seja, a resiliência no esporte, por exemplo, terá uma grande repercussão também nas relações sociais, na escola e, sobretudo, no trabalho.

Crianças brincando na areia

A resiliência no esporte pode se converter em uma excelente ferramenta para superar com êxito as dificuldades e os problemas, tanto os mais cotidianos como os mais raros e que nos causam um maior impacto emocional. Aprender a gerenciar essas circunstâncias de modo correto nos permitirá uma recuperação mais rápida das mesmas. E o esporte, como dizíamos antes, pode ser um bom campo de treinamento para praticar essa atitude.

“Da dificuldade e da dor surge a oportunidade. Às vezes os caminhos se encontram das formas mais inusitadas, porque para avançar em direção a um maior bem-estar e um maior equilíbrio é necessário passar por uma situação dolorosa.”
-José María Madariaga Orbea-

O esporte é uma excelente oportunidade para extrapolar tudo o que podemos aprender com uma atividade para a nossa rotina. Ainda que achemos que a prática sirva apenas para cuidar de nosso corpo e melhorar nossa saúde, é certo que pode nos dar habilidades muito mais importantes para superar problemas para os quais nada nem ninguém nos preparou. Vamos aproveitar essa oportunidade?