Falta de amor próprio: 5 sinais que permitem identificá-la

5 sinais que indicam uma falta de amor próprio

outubro 25, 2017 em Emoções 505 Compartilhados
Sinais de uma falta de amor próprio

Amar a si mesmo é fundamental: não só para manter uma autoestima saudável, mas também para ter relacionamentos de qualidade com os demais. No entanto, se há uma falta de amor próprio, você não apenas terá dificuldade para se relacionar com os outros, mas também aumentará o risco de sofrer de depressão.

Detectar os sinais que indicam uma falta de amor próprio pode te ajudar a melhorar a maneira como você se relaciona consigo mesmo (diálogo interno) e com os demais. Identificar esses sinais também pode te ajudar a encontrar uma saída para estados de tristeza, decepção ou até mesmo tomar as rédeas se você sente com um baixo estado de ânimo.

“A pior solidão é não estar confortável consigo mesmo”.
-Mark Twain-

Sinais de uma falta de amor próprio

Você questiona o que os outros dizem ou fazem por você

Um indicador de baixa autoestima e que muitas vezes está por trásdesses pensamentos negativos sobre você é o ato de questionar os sentimentos, as palavras e as ações de outras pessoas para com você. O que os demais fazem, dizem ou sentem sobre você, lhe causa incerteza.

Mulher com coração cobrindo o rosto

Não há dúvida de que todos nós gostamos de nos sentir amados e entendidos. No entanto, as pessoas com baixa autoestima tendem a não acreditar no que os outros dizem ou fazem e se questionam sistematicamente. Pensam que ninguém as ama ou valoriza, se regozijam com as críticas e, o que é pior, pensam que há algo suspeito por trás das boas palavras ou das demonstrações de apreciação.

Isso é lógico. Por trás disso, há um pensamento inconsciente muito coerente: como alguém vai me amar mais do que eu me amo? Como alguém pode me respeitar mais do que eu me respeito? Como alguém pode ser mais amável comigo do que eu?

Você está sempre na defensiva

Estar sempre na defensiva é outro sinal claro de uma falta de amor próprio. A insegurança e a falta de autoconfiança em você o mantêm em um estado de alerta injustificado. Isso não apenas faz com que aumentem seus níveis de estresse, mas não permite que você seja objetivo sobre o que acontece ao seu redor.

Estar na defensiva não deixa que você compreenda claramente o que as pessoas lhe dizem ou pedem, e provoca uma incerteza sobre o que os outros pensam. Também gera um estado de medo e tristeza que não permite que você aproveite o que o rodeia. Ao estar na defensiva, é fácil que suas atitudes em relação aos outros se tornem rudes, desagradáveis ​​ou tensas, isso quando não são violentas.

Por outro lado, ao estar sempre na defensiva você age prevendo o pior, de modo que sua reação possa ser excessiva e até mesmo fora de lugar. Isso muitas vezes ocasiona conflitos que, no pior dos casos, acabam tornando realidade seus piores temores e reafirmando seu ponto de vista.

Você tenta evitar o conflito fingindo que está tudo bem

Também pode acontecer que você queira evitar um conflito e que, para isso, finja que tudo está bem. Ou seja, em vez de defender algo justo ou algo que lhe agrada ou que lhe interessa, você prefere desistir para evitar problemas.

O problema é que essa falta de amor próprio e autoestima não lhe dará forças para defender o que pertence a você ou o que te interessa. No entanto, você entrará facilmente em uma discussão por algum absurdo ou por algo que não tem importância real.

O medo de que os outros fiquem com raiva ou que o desprezem por defender sua opinião ou reivindicar o que corresponde a você o leva a aceitar o que dizem ou a consentir para mantê-los felizes. E nesse processo aumenta a sensação de que sua opinião não importa ou de que o que você quer não interessa a ninguém.

Você se compara com todos, mesmo que não haja nada para comparar

O hábito de se comparar com todos é outro sinal claro de que você não se ama. Na verdade, a comparação com os demais não é em si mesma negativa. O problema é que as pessoas que não se amam exageram na comparação, especialmente nos aspectos em que estão mal preparadas.

Além disso, uma pessoa que não se ama se compara mesmo que não tenha nada para se comparar e se regozija com o resultado. Como consequência, não apenas a autoestima decai, mas surgem sentimentos como a inveja, a sensação de se sentir abandonado ou inclusive de ser vítima de uma injustiça. Tudo isso serve apenas para debilitar cada vez mais o amor próprio.

Menina com coque alto na cabeça

Você considera suas conquistas uma questão de sorte

É verdade que muitas das coisas que conseguimos podem ser decorrentes de um golpe de boa sorte, pelo menos em parte. No entanto, nem tudo é questão de sorte. Saber aproveitar as oportunidades é fundamental para materializar esse golpe de sorte em uma conquista.

No entanto, se você não se ama o suficiente, não será capaz de reconhecer seu próprio valor no que tiver conseguido. Por esse motivo, você não valoriza suas habilidades ou seus esforços. Além disso, você não considera os outros capazes de valorizá-lo nem entende os elogios que fazem para te felicitar ou elogiar. De certa forma, essa atitude de dar à sorte a responsabilidade por suas realizações faz com que você se sinta incapaz e desmotivado, à deriva.

Acredite em si mesmo, não seja tóxico para si. Apaixone-se por você e tudo ao seu redor mudará.
Compartilhar
Recomendados para você