Síndrome de Klüver-Bucy: a perda do medo

agosto 5, 2019
A síndrome de Klüver-Bucy é um exemplo notável da importância da amígdala e do lobo temporal no comportamento. Neste artigo, vamos rever as consequências de sua alteração e as possíveis causas.

A síndrome de Klüver-Bucy é um dos exemplos mais extremos de como uma alteração do sistema nervoso pode mudar completamente nosso modo de vida.

Imagine que há uma peça em seu cérebro responsável pelas emoções do medo e da rejeição. Agora imagine que essa peça está danificada e que você não tem mais medo de nada. Parece ótimo, mas não é. O medo é uma emoção necessária para a nossa sobrevivência.

Essa peça fundamental é a amígdala e sua alteração ou eliminação pode levar à síndrome de Klüver-Bucy. Esta síndrome é caracterizada pela perda do medo e da inibição, provocando comportamentos de risco, dieta desordenada e atividade sexual disfuncional, entre outros.

Lobo temporal do cérebro

Síndrome de Klüver-Bucy

Heinrich Klüver e Paul Bucy a identificaram, daí o seu nome. Os doutores removeram os lobos temporais de macacos Rhesus com o intuito de explorar suas funções. O que encontraram foi bastante preocupante. A alteração desta estrutura desencadeou os seguintes sintomas:

  • Comportamento oral. Os macacos tiveram o desejo de explorar todos os objetos com a boca, como se fosse a única maneira de fazê-lo.
  • Hipersexualidade. O comportamento sexual aumentou substancialmente.
  • Agnosia visual. Apresentaram dificuldades em reconhecer objetos ou pessoas através da visão.
  • Mudanças emocionais. Comportavam-se de maneira bem desmotivada e não apresentavam expressão no rosto. Sem dúvida, a mudança emocional mais significativa foi a perda do medo. Estímulos que, em outro momento, teriam gerado terror não pareciam ter importância.

Síndrome de Klüver-Bucy em humanos

Embora a sintomatologia em humanos seja bastante semelhante, apresenta algumas diferenças substanciais. Os comportamentos compulsivos e indiscriminados assumem uma relevância especial, sendo o intercâmbio social totalmente alterado.

Entre os principais sintomas, podemos identificar:

  • Perda do medo. O indivíduo tem o impulso de interagir com estímulos potencialmente prejudiciais e que, em geral, aprendemos a evitar.
  • Dieta indiscriminada. Não apenas comem compulsivamente, mas também tentam se nutrir de forma perigosa, ingerindo plásticos ou fezes, por exemplo.
  • Comportamento sexual. A sexualidade parece não ter limite. Estes indivíduos apresentam um grande aumento na atividade sexual de todos os tipos, diminuindo significativamente seu nível de inibição.
  • Comportamento compulsivo oral. As pessoas com esta síndrome tendem a examinar tudo com a boca e de maneira compulsiva.
  • Perda de inibição. Esta perda afeta todas as esferas da personalidade, mas também o faz a nível visual. Os sujeitos tendem a reagir excessivamente a qualquer estímulo visual, como se não houvesse um filtro prévio.
  • Incapacidade de reconhecimento. Os indivíduos perdem a capacidade de reconhecer amigos ou familiares, com os quais apresentam atitudes que nunca teriam se os reconhecessem.

Perda de inibição

O medo e a rejeição geralmente são descritos como emoções de valência negativa (indesejáveis). Esta crença, além de ser muito superficial, carece de sentido a nível biológico e evolutivo.

O medo, a rejeição e a inibição são emoções adquiridas evolutivamente para interagir com o meio de maneira funcional.

Alteração do comportamento

Quando nos falta a capacidade de interagir utilizando as emoções descritas, as consequências são sérias e a síndrome de Klüver-Bucy é um exemplo claro disso.

Os sintomas parecem ser causados ​​pela incapacidade do indivíduo de estabelecer uma linha que separa seus impulsos e suas ações.

Essa condição é agravada pela incapacidade de reconhecer as pessoas a seu redor, o que, por sua vez, impede o indivíduo de recuperar a memória do vínculo emocional com o outro, e de se comportar de maneira coerente em relação a ele.

Bases orgânicas da síndrome de Klüver-Bucy

As alterações mencionadas anteriormente têm sua etiologia na alteração estrutural de determinados órgãos do sistema nervoso:

  • Lobo temporal. É o lobo responsável pelo processamento da linguagem e é um elo entre os estímulos visuais e seu conteúdo emocional na memória. A agnosia visual se manifesta principalmente por alterações dessa estrutura.
  • Amígdalas. A amígdala é a estrutura subcortical responsável pelo processamento emocional. É ativada quando um estímulo é ameaçador, nos preparando para o confronto ou a fuga. É um mecanismo fundamental para a sobrevivência dos mamíferos.
  • Feixes de substância branca. Principalmente uma concentração de axônios com a função de conectar várias partes do sistema nervoso a nível subcortical. Sua alteração distorce a associação na memória entre os estímulos e seu conteúdo emocional.
Amígdala cerebral em destaque

Causas da síndrome de Klüver-Bucy

A alteração das estruturas mencionadas anteriormente pode ter diversas causas e expressões. Entre as mais comuns, podemos identificar:

  • Doenças infecciosas ou virais. A encefalite herpética e a meningite são as mais frequentes. A infecção ou inflamação provoca a destruição do tecido nervoso.
  • Lesões. Aqui são englobadas as lesões cerebrais traumáticas, geralmente devido a acidentes. Em geral, é necessário que o dano seja grave e profundo para afetar estruturas subcorticais, como a amígdala. Também está presente em lesões cirúrgicas.
  • Demências. A síndrome muitas vezes é associada à doença de Alzheimer ou de Pick, em que a degeneração do tecido nervoso ocorre a nível subcortical e pode afetar o lobo temporal. Neste caso, a maioria das habilidades mentais é comprometida.
  • Tumores. A pressão e o desequilíbrio metabólico resultante de um tumor podem levar a vários sintomas da síndrome de Klüver-Bucy. O tumor geralmente é encontrado na área frontotemporal.
  • Epilepsia. A alteração dos lobos temporais a nível elétrico pode causar uma hiperativação que afeta o tecido nervoso, principalmente as vias da substância branca.
  • Acidente vascular cerebral. A hemorragia por derrame e a falta de sangue por oclusão arterial também são fatores importantes na etiologia da síndrome.

Tratamento

O tratamento é tão difícil quanto limitado devido à incapacidade de recuperar o tecido nervoso. A maioria dos métodos é farmacêutico, com o objetivo de aplacar os sintomas comportamentais desadaptados.

O principal objetivo das primeiras intervenções é reduzir o impacto das lesões. Um exemplo disso é a tentativa de retroceder a hemorragia causada por um derrame.

É difícil prever esta síndrome: as consequências de uma lesão no comportamento geralmente se apresentam de maneira sutil.

O avanço da neurociência e das técnicas de reabilitação está melhorando a qualidade de vida destes pacientes. A síndrome de Klüver-Bucy é um exemplo claro do impacto dos distúrbios do sistema nervoso em nosso dia a dia.

O círculo social próximo do paciente também costuma ser afetado. O indivíduo se comporta como outra pessoa e não reconhece aqueles que fazem parte da sua vida. Por este mesmo motivo, o trabalho psicológico com familiares e amigos é muito importante.

  • Klüver, H. & Bucy, P. (1997). Preliminary analysis of functions of the temporal lobes in monkeys. 1939. J. Neuropsychiatry Clin. Neurosci. 9 (4):606-620