Síndrome de Madame Bovary: saiba do que se trata

O que é a síndrome de Madame Bovary?

dezembro 24, 2017 em Psicologia 1549 Compartilhados
Síndrome de Madame Bovary

A síndrome de Madame Bovary ou o Bovarismo é um transtorno de comportamento que surge a partir do aparecimento das novelas românticas do século XIX. A partir de então, a idealização do amor levou milhares de pessoas (grande parte delas mulheres) a uma continua frustração e decepção. A busca por esse “amor ideal” sempre termina em conflito com a percepção realista de uma relação conjugal.

Falamos de uma psicopatologia que foi descrita pela primeira vez em 1892, pelo filósofo Jules de Gaultier. No seu ensaio, baseado na obra literária de Madame Bovary, ele se refere à figura da sua protagonista, Emma, como o perfeito estereótipo da pessoa que sofre o que ele chamou de “uma insatisfação crônica afetiva”.

Quem foi Madame Bovary?

Emma Bovary é um personagem literário, criado pelo escritor francês Gustave Flaubert em 1857. A obra conta o seu casamento com Charles Bovary, um médico do interior que a adora, mas não é correspondido. Isto se deve, em parte, devido a seu apego por novelas românticas da época, que ela devora rapidamente desde que era adolescente.

A busca constante por relacionamentos apaixonados e obsessivos que ela descobre em seus livros provoca um estado de insatisfação emocional terrível e constante. Depois de sofrer uma depressão, Charles decide se mudar para uma pequena cidade, onde o casal conhecerá uma série de personagens diferentes.

Emma será seduzida por dois deles, primeiro por um jovem estudante e, logo, por um mulherengo chamado Rodolphe. A relação com ambos é possessiva, ciumenta e muito submissa. Diante do abandono de seus amantes, ela acaba se suicidando ao ingerir arsênico em pó.

Madame Bovary, assim como outros personagens literários como Anna Karenina, renuncia à sua família e ao seu papel como esposa por perseguir o amor. Isso, por um lado pode parecer bastante rígido, mas, por outro lado, é uma grande crítica ao amor idealizado. Emma está tão obcecada por satisfazer as suas ânsias que não se importa em endividar a família, descuidar da filha ou prejudicar as pessoas ao seu redor.

“Cuidado com a tristeza, é um vício”.
-Gustave Flaubert

Síndrome de Madame Bovary

Quais são as características da síndrome de Madame Bovary?

1. Vício no romance

As pessoas que sofrem da síndrome de Madame Bovary não sabem estar sozinhas. Vivem com a ideia de que chegará um ser amado ideal que mudará suas vidas e vai salvá-las da rotina e dos problemas. Quando deixam um relacionamento, não demoram em começar outro. Sua única meta é encontrar uma pessoa igual à descrita nos livros, séries ou filmes românticos.

Cada vez que elas se apaixonam por alguém novo e ficam obcecadas por ele. Idealizam de tal forma que é impossível fazê-las mudar de ideia, inclusive se a pessoa em questão não as corresponde ou não lhes convêm.

2. Relações impossíveis

Devido à sua incapacidade para manter uma relação real, elas costumam recorrer aos amores impossíveis. Pode acontecer que já tenham um companheiro sentimental e mesmo assim continuam perseguindo a ilusão do amor ideal com outra pessoa.

Isso as leva à infidelidade porque, ao não saberem ficar sozinhas, elas raramente vão terminar relacionamentos se não têm um “ás”- outra pessoa – na manga. As relações complicadas ou com pessoas atormentadas as atraem por considerá-las românticas e apaixonadas.

3. Insatisfação constante

Pouso tempo depois de começar um relacionamento, elas começam a descobrir que seu companheiro sentimental é um ser humano, ou seja, tem também os seus defeitos. A idealização desaparece e, com esse desvanecimento, chega a frustração de novo. Elas já não consideram que essa pessoa seja a adequada e começam a mostrar sintomas de desinteresse.

Elas nunca chegam a se sentir satisfeitas com ninguém, porque não entendem o amor além da primeira etapa de paixão. A visão de relacionamento é limitada e baseada em histórias ou personagens que nunca experimentaram a tranquilidade, os problemas ou a monotonia.

4. Mimese com a pessoa amada

Devido à obsessão com o companheiro sentimental, começam a copiar seus gostos, hobbies e, inclusive, a forma de pensar. A mimese se produz pela exagerada admiração que sentem pela outra pessoa, mas também pelo medo. A síndrome de Madame Bovary provoca um forte temor de serem abandonadas pela outra pessoa. Isso pode fazer com que, diante de um término, elas respondam bastante mal.

Síndrome de Madame Bovary

A quem o Bovarismo afeta?

Apesar de há muitos anos esta ser uma psicopatologia muito comum nas mulheres, na atualidade sua incidência tem sido mais equilibrada. Isso acontece porque, antigamente, os homens eram os que trabalhavam enquanto as mulheres ficavam em casa, ocupando o seu tempo livre em atividades como a leitura. Essa atividade fazia com que saíssem da realidade, transportando-as para lugares onde não existiam os problemas do cotidiano.

As pessoas que sofrem com essa patologia costumam ter enfrentado problemas de abandono ou carências afetivas durante a infância. Isso as leva a gerar uma necessidade exagerada de conseguir a atenção do companheiro sentimental, em uma tentativa de não voltar a experimentar esses mesmos sentimentos.

A síndrome de Madame Bovary apresenta como sintoma principal o estado melancólico. As pessoas que sofrem deste mal podem ser tratadas com a ajuda de especialistas, que serão os responsáveis por avaliar o caso e estabelecer um protocolo de intervenção mais adequado. Essa síndrome também pode estar relacionada com outros transtornos mais graves como o transtorno obsessivo-compulsivo ou o limítrofe, que tornam ainda mais necessária a intervenção pelo possível perigo da sua evolução.

GAULTIER, J. (1892). Le Bovarysme, la psychologie dans l’oeuvre de Flaubert, París: Francia.

Recomendados para você