3 estranhas síndromes de falsa identificação delirante

3 estranhas síndromes de falsa identificação delirante

Abril 6, 2018 em Psicologia 98 Compartilhados
Síndromes de falsa identificação delirante

A mente humana ainda é um mistério para a ciência. É capaz de criar as ideias mais impressionantes, mas também os absurdos mais surpreendentes. Prova disso são as síndromes de falsa identificação delirante. São distorções de pensamento que levam os afetados a representarem a realidade de maneira estranha, por assim dizer.

Um dos principais sintomas das síndromes de falsa identificação delirante são os delírios do conteúdo do pensamento. É chamado de delírio uma crença que a pessoa considera verdadeira, embora não tenha uma base empírica ou lógica.

Nas síndromes de falsa identificação delirante estão presentes ilusões ou convicções ilusórias. Elas levam a construir uma percepção de si e dos outros que não tem nada a ver com a realidade. Muitas vezes fazem parte de doenças psiquiátricas mais complexas ou distúrbios neurológicos. Aqui estão três dessas síndromes.

“A vida é um mistério, e não um delírio.”
-Alphonse de Lamartine-

Síndromes de falsa identificação delirante

1. Síndrome de Capgras

A síndrome de Capgras ou delírio de Capgras é um distúrbio que leva alguém a acreditar que uma das pessoas próximas foi substituída por um impostor. Assumem que a pessoa que é familiar a eles é na verdade um dublê. Essa incapacidade de reconhecer é o que faz dela uma das síndromes de falsa identificação delirante.

O que acontece no delírio de Capgras é que a pessoa consegue reconhecer fisicamente alguém próximo, mas em sua mente não há o sentimento de familiaridade. É uma percepção sensorial sem sensações subjetivas ou sentimentos. Daí a impressão de estranheza que os outros inspiram.

O que há é uma desconexão entre o sistema de reconhecimento visual e a memória afetiva. O delírio de Capgras também pode ser direcionado para si mesmo. Nesse caso, alguém afetado por esse problema pensa que ele mesmo foi substituído por outro. Isso acontece, geralmente, como parte de uma psicose ou como resultado de um trauma cerebral.

Homem com máscara

2. Síndrome de Fregoli

O delírio de Fregoli é uma condição rara que faz parte das síndromes de falsa identificação delirante. Está relacionado à paranoia e se apresenta de diversas formas. No caso mais típico, a pessoa acredita que tem um perseguidor e que ele é capaz de assumir aparências diferentes. Portanto, quando vê alguém que conhece, pode acreditar que ele é o perseguidor que tomou uma forma familiar para enganá-lo.

Outra maneira por meio da qual esse delírio se manifesta é quase o oposto do falado anteriormente. A pessoa pensa que conhece estranhos. Quando os vê, os identifica como pessoas familiares a ele. Da mesma forma, pode acreditar que conhece lugares ou objetos que não conhece.

Embora a ciência não tenha estabelecido com exatidão as causas, sabe-se que o transtorno tem a ver com um mau funcionamento dos “elos associativos”. Ou seja, com a capacidade de sincronizar percepções físicas e mentais. Geralmente é causada por uma lesão cerebral ou como parte de um delírio paranoide.

Síndrome de falsa identificação delirante

3. Síndrome de Otelo

O ciúme sempre carrega um forte componente de imaginação. Na verdade, vive mais na fantasia do que na realidade. O que há é uma constante suspeita, que raramente é comprovada ou corresponde aos fatos. No caso da síndrome de Otelo, isso é levado à sua máxima expressão.

Na síndrome de Otelo, está presente a convicção obsessiva de que o parceiro é infiel. Não há dúvidas a respeito disso e a única coisa que se espera é conseguir pegar a pessoa “no ato”. O que a converte em uma das síndromes de falsa identificação delirante é o fato de que quem padece deste delírio não consegue identificar seu parceiro como ele realmente é. O que se vê nessa pessoa é um traidor ou traidora, por isso investe tanto tempo e energia procurando provas de sua infidelidade.

Algo característico da síndrome de Otelo é que o afetado “vê” a presença de um terceiro permanentemente dentro de seu relacionamento. Entretanto, quando perguntado sobre as características daquela pessoa com quem seu parceiro o estaria traindo, ele não sabe como explicar. São muito raras as vezes em que podem dar alguma informação sobre o assunto.

Estas não são as únicas síndromes de falsa identificação delirante. Existem várias outras. O que é comum a todos elas é essa dificuldade de se reconhecer ou reconhecer o outro. Quase sempre estão ligadas a patologias psiquiátricas de certa gravidade e precisam, portanto, ser tratadas por um profissional.

Recomendados para você