O sofrimento existe, mas ele não controlará a minha vida

O sofrimento existe, mas ele não controlará a minha vida

23, dezembro 2016 em Emoções 1499 Compartilhados
O sofrimento existe, mas ele não controlará a minha vida

Todos nós já fomos feridos alguma vez na vida e, em algum momento, também já ferimos alguém. Neste sentido, é provável que o dano causado tenha sido inconsciente ou, infelizmente, muito pelo contrário.

Por outro lado, cada pessoa dá às suas histórias a importância que acredita que elas possuem, porque o sofrimento é algo muito relativo. Algumas pessoas sofrem muito por alguma situação que para nós seria apenas um contratempo, e vice-versa. O verdadeiramente humano é entender que cada circunstância é digna de respeito.

Em qualquer caso, é preciso “deixar ir” o sofrimento para sermos capazes de viver com harmonia interior. Na verdade, é difícil enfrentar o momento em que o único remédio é aceitar o que aconteceu, mas podemos conseguir. E se o fizermos, alcançaremos os nossos objetivos.

Vivencie o seu sofrimento

Fala-se muito que a dor é ruim e é inteiramente lógico que queiramos ficar longe do sofrimento. Não queremos que nenhum fato negativo quebre o nosso equilíbrio emocional e nos faça sentir em um “beco sem saída”. Até certo ponto, temos ferramentas suficientes para superar uma dor, mas nunca estamos preparados quando ela chega.

aliviar-sofrimento

Todos nós sabemos que o sofrimento é uma possibilidade, mas não conseguimos nos adaptar facilmente aos golpes que a vida nos dá. No entanto, temos falado várias vezes aqui sobre o lado positivo do sofrimento: os ensinamentos, o aprendizado.

“Você já percebeu? Algumas pessoas acreditam que a vida é repleta de dificuldades que precisamos evitar, ou como um grande campo de jogo, onde cada canto oferece uma nova experiência”.
-Laurent Gounelle-

O ensinamento originado das experiências que vivemos é como uma pequena semente, da qual vamos recolhendo valiosos frutos ao longo do caminho. A partir deste ponto de vista, é bom permitir-se sofrer, aprender com o sofrimento e absorver os detalhes da vida ao máximo.

É necessário errar para aprendermos a valorizar e apreciar o sucesso. É bom chorar para que possamos ver a situação de uma outra perspectiva e aliviar o nosso coração. Definitivamente é bom entender que, durante uma viagem, há subidas e descidas e, se cairmos durante essas descidas não há problema algum, o importante é aprender como se levantar.

Não permita que o passado lhe faça sofrer

Quando estamos lá, no fundo de um poço profundo, sentimos que as ferramentas para sair desse lugar estão além do nosso alcance. Quando não conseguimos superar o passado, a sombra desse sentimento nos mantém no “fundo do poço”.

menina-passaro

Em outras palavras, nós vivemos em um momento em que esse sofrimento não existe mais, mas às vezes arranha as nossas memórias do passado. Se isto está acontecendo, é porque não conseguimos deixar o passado para trás. Viva o momento presente e siga o seu caminho. Lembre-se de que o passado não pode voltar para nos prejudicar se não permitirmos que isto aconteça.

“Mas quem pode se lembrar da dor, uma vez que ela já se foi?
Tudo o que ficou é apenas uma sombra, não afeta a mente e nem o corpo”.
-Margaret Atwood-

Só teremos certeza de que superamos o sofrimento no instante em que olharmos para trás e percebermos que as lembranças já não causam dor e não nos controlam. Nós não merecemos sofrer eternamente; perdoe o outro ou perdoe a si mesmo, dependendo de qual for a situação.

Recupere o controle

O sofrimento nos rouba temporariamente o controle das nossas vidas, no entanto, com paciência e coragem, conseguimos recuperá-lo. O comando é seu: é você quem está no leme para dirigir-se até onde quiser ir a partir de agora.

menina-dente-de-leao

Pegue a sua mala cheia de sentimentos úteis e deixe para trás o que não serve mais. Nos perdemos no meio do caminho, mas agora voltamos para a rota certa e não vamos permitir nos perdermos novamente. E se por acaso o destino mudar o nosso rumo, saberemos nos reencontrar.

“(…) Decidir em que momento tinham perdido o controle sobre suas vidas.
Porque há sempre um momento em que a vida se descarrilha”.
-Gillian Flynn-