Sua zona de conforto é um lugar lindo, mas nada cresce lá

Sua zona de conforto é um lugar lindo, mas nada cresce lá

julho 4, 2015 em Emoções 0 Compartilhados
zona de conforto

Dois caminhos divergiam no bosque e optei pelo menos transitado dos dois.

Isso foi o que mudou tudo…

 Robert Frost

Você só pode crescer se estiver disposto a se sentir incomodado durante algum tempo. As coisas são assim e ponto final. Não vou dizer que tudo o que você quer está fora das quatro paredes emocionais que lhe cercam, mas sim, tudo o que você deseja ou anseia está.

As coisas boas não acontecem porque sim, elas acontecem porque as atraímos e porque dispomos de tudo para criá-las. Definitivamente, algo acontece porque vamos até a montanha e não porque esperamos que a montanha venha até nós.

Na realidade, a única forma de alcançar nossos sonhos é estabelecendo uma data de validade para eles. Por mais curioso que isso possa parecer, isso muda a gente. Se estivermos conscientes de que as possibilidades que a vida nos oferece vão perder a validade em algum momento, carregaremos nossas baterias para, então, alcançar nossos objetivos.

Também é possível que, colocando uma validade em nossas aspirações, nos demos conta de que não estabelecemos corretamente o que desejamos e tenhamos que reinventar a definição do que queremos.

A zona da aprendizagem

Além do que já conhecemos, encontra-se a nossa zona de aprendizagem. Esse é o terreno ao qual saímos para ampliar nossa visão do mundo e adquirir novos conhecimentos. Estamos aqui quando estudamos, observamos, experimentamos, comparamos, viajamos e conhecemos novas pessoas.

Há muita gente que gosta de aprender e sai, com frequência, para aproveitar a vista de novos horizontes. Mas também existem aquelas que se assustam e que não pisam em novos caminhos, a menos que sejam obrigadas a fazê-lo.

São essas pessoas as que consideram que sair da zona de conforto é perigoso, por isso saem para trabalhar e vão para casa jantar com seu par, assistem a TV e vão dormir, limitando sua vida a rotinas diárias.

sair da zona de conforto

A zona de pânico

Muito mais afastada da zona de conforto, está a zona de pânico. Entretanto, essa zona só existe para aqueles que vivem acomodados e que não se atrevem a questionar a vida. É aqui onde os outros dizem a você: “Não faça isso”,  “Você vai fracassar”, “O risco de dar errado é enorme e coisas horríveis podem acontecer”.

O que essas pessoas se negam a saber é que a única forma de cultivar um jardim cheio de flores maravilhosas é rompendo com os convencionalismos que nos impomos, como pessoas e como sociedade.

A zona mágica

Essa é a zona em que aparecem as coisas maravilhosas, onde engrandecemos nossos sonhos e conseguimos superá-los.

Quando estiver nela, é provável que tenha muitos medos. Por exemplo, é quase certo que um medo, repentino e imenso, lhe invada por ter saído da zona de conforto, mas logo você se dará conta de que não é assim; sua zona de conforto não foi eliminada, ela só cresceu.

Além disso, quando a tensão gerada pela comodidade emocional convidá-lo para dar um passo para trás e não seguir em frente, sua tensão motivacional o empurrará para que você continue o caminho, que fica mais fácil com o passar do tempo.

É normal termos medo de fazer papel de ridículo, de falhar, de não ter tempo para a nossa família ou para fazer outras atividades das quais gostamos, mas a única maneira de nos libertar é enfrentar, tomando consciência do que ainda precisamos aprender.

Agora é o momento no qual você deve parar para pensar em quais dos seus sonhos foram realizados e quais ainda não. É algo que acontece com todos nós; começamos a somar “dias em que nada acontece” em nossos agonizantes calendários e vamos deixando as estações de trem da nossa vida vazias.

Me aventuraria a dizer que se você tiver medo, medo de verdade e, ao mesmo tempo, continuar avançando, é porque você está indo muito bem. Lembre-se de que não podemos descobrir novos oceanos a menos que não tenhamos medo de perder a costa de vista.

Créditos da imagem: natalia maroz

Recomendados para você