Ter não é possuir, porque possuir não é amor - A Mente é Maravilhosa

Ter não é possuir, porque possuir não é amor

21, outubro 2016 em Psicologia 0 Compartilhados
Possuir não é amar

Ainda hoje muitos confundem o fato de possuir com o de sentir um amor verdadeiro, mas estas pessoas estão completamente erradas. O fato de possuir uma relação já funcionou alguma vez? Por que surgem problemas se pensarmos dessa forma?

Hoje descobriremos as grandes diferenças que existem entre ter e possuir, e o que isso tem a ver com o amor ou não. Vamos lá!

O amor não é um jaula e nem a liberdade é estar sozinho. O amor é a liberdade de voltar acompanhado. 
Compartilhar

Ter alguém não é possuir

Ainda que em um primeiro momento acreditemos que ter e possuir tenham algo em comum, a verdade é que, quando falamos de relacionamento, há um grande abismo entre estes dois temos. Ter alguém não implica, de forma alguma, posse, e isso é algo que precisamos ter em conta.

Ter alguém significa que contamos com uma pessoa muito especial ao nosso lado, sem que ela seja obrigada a isso. Uma pessoa que amamos e desejamos, mas que sabemos que é livre. Ela nos dá a graça da sua companhia, nos ama, compartilha sua vida conosco, mas faz isso de forma completamente livre.

beijo-casal

Há pessoas que, pelo simples fato de terem outras pessoas que desejam estar com elas, pensam que as possuem. Não percebem que as pessoas não são objetos, que não têm nenhuma obrigação de permanecer ao seu lado para sempre. São livres!

Possuir, pelo contrário, implica muitas vezes insegurança porque, como já falamos, as pessoas não são objetos. As pessoas vêm e vão, entram e saem de nossas vidas. Apesar de contarmos com elas em nossas vidas, não podemos retê-las pois não as possuímos. Possuir não é amor, possuir é insegurança, é medo, é vontade de agarrar o que não pode ser retido.

Confundir o amor com a posse

Como podemos saber se estamos confundindo o amor com a posse? A máxima manifestação disso é o ciúme. Quando uma pessoa é excessivamente ciumenta, essa pessoa quer possuir seu parceiro. Talvez ela tenha uma concepção errada do que é o amor, talvez não saiba que há um medo injustificado por trás disso tudo.

No entanto, se nos aprofundarmos ainda mais no tema, encontraremos situações muito mais difíceis, como é o caso dos maus-tratos, tanto psicológicos como físicos, que afetam muitos relacionamentos. Isso não deixa de ser outra forma de posse, de marcação de território, de ter o poder.

É por isso que confundir o amor com a posse não é uma questão banal, e sim algo que leva a situações nada agradáveis que destroçam relacionamentos e, acima de tudo, pessoas. Mas por que as pessoas chegam a estes extremos? Por que é tão difícil não possuir os demais?

Amar não é possuir

Talvez seja por conta das tantas histórias de amor que vemos por aí, e que ainda continuam prometendo finais felizes. Também possa ser por conta dos famosos “juntos para sempre”, que somente pela descrição já adornam e fantasiam a verdadeira posse.

O amor livre, o amor perfeito

Quantas vezes você já iniciou um relacionamento e teve consciência de que o final podia acontecer antes do esperado? É verdade que as promessas de amor eterno e a visão de envelhecer juntos inundam nossas mentes? Sem nos darmos conta, nos predispomos a sofrer.

Não sabemos ter um parceiro sem a necessidade de possuí-lo, de tê-lo unicamente para nós, de nos preocuparmos se ele se interessa por outras pessoas, de começar a desconfiar que ele pode nos deixar. Qual é a nossa reação? Estresse, ciúmes e uma clara luta para deixar claro que tal pessoa é apenas nossa.

Nós devemos abrir nossa mente, deixar essa relação de amor-posse que já ficou tão velha para trás. Agora podemos falar da relação amor-posse como uma relação de amor-ter. Temos uma pessoa que compartilha sua vida conosco, mas não a possuímos, pois ela é livre.

alegria-fumaca-azul

Pensar que não podemos viver sem nosso parceiro é uma mentira que nós mesmos contamos constantemente para nós. Quantas vezes você já pensou isso sobre um relacionamento após ele ter terminado? Talvez estejamos continuamente dramatizando a realidade dos relacionamentos, quando na verdade deveríamos ser mais realistas.

Adoramos acreditar em finais felizes e nos filmes românticos que não mostram nem mesmo uma pequena parte do que acontece na realidade. Como você vê seus relacionamentos? É difícil para você amar sem possuir? Devemos começar a pensar  nisso e, consequentemente, mudar nossa percepção. O amor deveria ser felicidade e liberdade, não sofrimento e posse.

Recomendados para você