Terapia com cães: quais são os seus benefícios?

· janeiro 11, 2018

O cachorro é o animal de companhia por excelência. Não importa o que tenha acontecido ou como tenha sido seu dia de trabalho, eles estarão sempre lhe esperando. Mas, além desta lealdade, a utilização da terapia com cães como recurso terapêutico vem se tornando uma prática cada vez mais comum.

Esse tipo de terapia é usado para ajudar pessoas com deficiências, doença de Alzheimer, depressão e até mesmo crianças autistas. A terapia com cães apresenta diversos benefícios físicos, psicológicos e sociais.

Para quem é indicada a terapia com cães?

Os cães são os animais mais utilizados nas terapias com animais. Está provado que eles ajudam a melhorar a saúde e o bem-estar dos pacientes. Este tipo de terapia é baseado na assistência e na realização de intervenções nas quais a interação entre o animal e a pessoa é introduzida como um ponto chave.

É importante entendê-la como um complemento das terapias clínicas, não como uma substituta ou alternativa para outros tratamentos convencionais. Ela deve ser supervisionada e dirigida por profissionais de saúde ou educação. É necessário um trabalho interdisciplinar para obter os resultados esperados.

Este tipo de terapia tem sido usada com muito sucesso para tratar pessoas que sofrem de diferentes problemas. Entre eles, os distúrbios emocionais e comportamentais, como TDAH, estresse, ansiedade ou depressão; vícios ou alterações psíquicas e neurológicas, como a doença de Alzheimer. E também para distúrbios do espectro autista, doenças venéreas como a AIDS ou com pessoas dependentes e idosas.

Terapia com cães

Dois tipos de cães terapeutas

Os cães utilizados nessas terapias devem atender a uma série de critérios ou características específicas. É conveniente que sejam ágeis, ativos, obedientes, afetuosos, pacientes e gentis. Uma vez passado por esse filtro inicial, eles podem ser treinados como cães terapeutas.

Devemos diferenciar dois tipos de cães, dependendo da finalidade da terapia:

  • Cães de assistência: são preparados para ajudar as pessoas com necessidades específicas. Por exemplo, cães-guia para cegos, aqueles que ajudam pessoas surdas ou que se tornam um suporte para as pessoas com deficiência física.
  • Cães de terapia: são aqueles que se tornam ajudantes ou “co-terapeutas”. Eles são usados ​​para alcançar uma maior interação com os doentes. Seu trabalho se concentra nas pessoas idosas, crianças autistas ou indivíduos com outros tipos de transtornos psicológicos.

São muitos os benefícios psicológicos e emocionais

Nas pessoas com dano cerebral adquirido, é muito útil fazer terapia com cães porque aumentam a sua motivação. Como um método para acelerar sua reabilitação, interagir com esses animais serve de incentivo e como uma forma de permanecer ativo. Alimentá-los ou realizar atividades com os cães os estimula mentalmente. Por sua vez, isso faz com que melhorem a sua atenção e se esforcem para acompanhar o ritmo marcado.

A terapia também os impede de se sentirem solitários. Os cães são considerados os melhores amigos do homem, porque nos aceitam sem condições. É por isso que eles são uma espécie de terapeutas naturais, que servem como um antídoto para combater a ansiedade, a depressão, o estresse ou a monotonia.

Os pacientes gostam da sua companhia, especialmente se gostam de animais. Normalmente eles preferem se recuperar junto com outro ser vivo, e não com uma máquina de exercícios totalmente mecânica.

Além disso, o vínculo criado entre o cão e a pessoa vai além do afeto mútuo. Muitos consideram que é semelhante ao vínculo gerado pela mãe com o seu bebê. Como consequência de todos esses benefícios, a terapia com cães melhora o humor dos pacientes.

Benefícios físicos e sociais

A terapia com cães aumenta a atividade física dos pacientes. Brincar com eles, fazer atividades de flexão ou caminhada fortalece os músculos, os ossos e articulações. Dessa forma, facilita um melhor desenvolvimento do sistema vestibular (relacionado com o equilíbrio e controle espacial), aumenta a propriocepção (equilíbrio postural) e a força muscular.

Por outro lado, melhora as habilidades motoras e a coordenação, porque trabalha todos os sentidos do paciente, desde a visão, audição ou tato. Também graças a atividades como acariciar, alimentar, cuidar ou escovar os seus pelos, o paciente adquire um maior domínio de movimentos específicos, especialmente das mãos e braços.

Portanto, além de ser uma poderosa ponte de comunicação entre o terapeuta e o paciente, a terapia com cães proporciona uma aprendizagem através das brincadeiras. Encoraja o contato social e o desenvolvimento de habilidades de lazer, melhora múltiplas habilidades, como a empatia, o respeito, a comunicação, a cooperação e o trabalho em equipe.

Cão usado como parte de tratamento

Sua grande vantagem: a versatilidade

A terapia com cães pode ser feita tanto em grupos como individualmente. Depende das necessidades de cada paciente e da maneira mais adequada de abordar a deficiência, transtorno ou dificuldade da pessoa. Em comparação com outras terapias que só permitem a sua realização em um centro especializado, estas também podem ser feitas em casa. A terapia personalizada pode ser dirigida a pessoas de qualquer idade, desde crianças até idosos.

Além de ser um dos animais de estimação preferidos pelas crianças e adultos, os cães nos dão possibilidades reais de cura. Usá-los como complemento de uma terapia oferece, como vimos, múltiplos benefícios em todos os níveis. Isso significa que eles são cada vez mais incorporados a terapias de ajuda e assistência de problemas com alterações e deficiências.