Trabalhar o corpo e a mente para viver melhor: saiba como

Como trabalhar o corpo e a mente para viver melhor

Março 19, 2018 em Psicologia 139 Compartilhados
Trabalhar o corpo e a mente

Desde tempos imemoriais, educar o corpo é um princípio fundamental na China e na Índia. O estudo da medicina oriental e alternativa descobriu novas maneiras de trabalhar o corpo de forma mais natural, ainda que seja suspeita para a cultura geral.

80% das fibras do nervo vago que ligam o cérebro a muitos órgãos internos são aferentes. Ou seja, essas fibras correm do corpo externo para o cérebro. O que significa que podemos educar e controlar diretamente o nosso sistema de ativação do nervo vago através da respiração e do movimento.

Trabalhar o corpo para nos conhecermos melhor

Todos nós sabemos respirar, mas acalmar a nossa respiração é um recurso fundamental para a recuperação da saúde mental de muitas pessoas. Quando respiramos lenta e profundamente de forma consciente, ensinamos o corpo a parar o SNP (sistema nervoso parassimpático).

Mulher de olhos fechados

Por exemplo, quando se trabalha nos efeitos do trauma e do abandono, a regulação emocional faz uma grande diferença nos resultados. Um aspecto dessa regulação é o controle respiratório. Quanto mais permanecermos focados na nossa respiração, mais benéfico será.

Assim, é importante prestar atenção do início ao fim da respiração, e aguardar um momento antes da próxima inspiração. Se conseguirmos perceber como o ar entra e sai do nosso corpo, será fácil tomar consciência do quanto é importante esse “ato vital e natural”.

Harmonizar o corpo e a mente através da ioga

A ioga é a uma disciplina tradicional originada na Índia, que significa “união do bem-estar físico e mental”. A palavra está associada com práticas de meditação no hinduísmo, no budismo e no jainismo. Através do trabalho corporal, uma aula de ioga pode nos ajudar a nos conectarmos com a parte mais profunda e esquecida de nós mesmos. A ioga é muito mais do que uma técnica simples de exercício ou relaxamento, e estes são os principais benefícios que ela pode nos oferecer:

  • Desenvolvimento da consciência. Através dela tomamos consciência do nosso potencial e recursos naturais, bem como das nossas resistências e medos.
  • Paz interior. Ajuda a alcançar uma vida com mais serenidade e confiança.
  • Aumenta a capacidade de estar presente na sua própria vida. Alivia a dor, reduz o estresse, melhora a respiração…
  • Melhora as condições de saúde. Há uma longa lista com todos os benefícios que a ioga pode ter sobre a nossa saúde. Por exemplo, condicionamento cardiovascular, controle do peso, melhora da respiração, aumento da flexibilidade…

Uma pesquisa mostrou que dez semanas de prática de ioga reduziram os sintomas de TEPT (Transtorno de Estresse Pós-Traumático), especialmente nos casos que não responderam bem a outros tipos de tratamentos.

“Quando ouvimos o nosso próprio corpo com respeito e sensibilidade, quando observamos a nossa mente objetivamente, e quando aprendemos a viver a partir da nossa realidade interna, obtemos os principais objetivos e benefícios da ioga”.
Compartilhar

Mulher fazendo ioga

Movimentos que melhoram a nossa saúde

Algumas culturas no Japão e na Coréia se concentram em aumentar a consciência do movimento e do momento em que ele ocorre; são capacidades que, por exemplo, podem estar alteradas nas pessoas que sofreram um trauma. As artes marciais, o aikido, o judô, o taekwondo, o jiu-jitsu, a capoeira do Brasil… Todas essas técnicas têm algo em comum, como os movimentos físicos, a respiração e a meditação.

A ioga, o taichi, o gigong na China ou os sons rítmicos dos tambores da África também são baseados na ideia de que a recuperação se encontra no autoconhecimento ou na consciência de si mesmo. Jon Kabat-Zinn é um dos pioneiros em intervenções que buscam se beneficiar dos canais de comunicação que existem entre o corpo e a mente. Assim, em 1979 ele criou um programa de redução do estresse baseado no aumento da consciência de si mesmo.

“Uma maneira de observar este processo de transformação é pensar na consciência como uma lente que recolhe as energias disseminadas e reativas da nossa mente, e as concentra em uma fonte de energia coerente para a vida, solucionando os problemas e nos curando”.
– Jon Kabat-Zinn –

Prestar atenção às nossas sensações corporais facilita o reconhecimento dos altos e baixos das nossas emoções e, portanto, nos ajuda a ter mais controle sobre elas. Praticar a conscientização acalma o sistema nervoso simpático e reduz as chances de respostas do tipo “luta ou fuga”. Nesse sentido, a consciência corporal nos permite liberar sensações ou impulsos que foram bloqueados em algum momento com o objetivo de priorizar outros sentimentos que eram mais importantes para a nossa sobrevivência.

Mulher meditando

O nosso mundo sensorial nasceu antes de nós

Não podemos nos recuperar completamente se não nos sentirmos seguros na nossa pele. Quando a tensão física é liberada, os sentimentos também são liberados. O movimento ajuda a respirar profundamente e as tensões são liberadas. As histórias coletadas em estudos com crianças abusadas, soldados com TEPT, vítimas de incesto, refugiados… comprovam como as terapias expressivas podem ser eficazes.

A título de reflexão e encerramento, pensemos que o apoio para a investigação de novos protocolos de intervenção só é permitido para o que já está comprovado. Lembre-se de que quase quatro décadas se passaram entre a descoberta das propriedades antibióticas da penicilina por Alexander Fleming em 1928 e a compreensão definitiva do seu mecanismo de ação em 1965.

Recomendados para você