O transtorno causado pelo consumo de álcool

· maio 25, 2018

O álcool, uma substância psicoativa com propriedades causadoras de dependência, tem sido amplamente consumido em muitas culturas durante séculos. No entanto, o consumo prejudicial dessa substância carrega um pesado ônus social e econômico para as sociedades. Além disso, existem várias patologias mentais associadas ao seu consumo. Um deles é o transtorno causado pelo consumo de álcool.

Recentemente, foram estabelecidas relações causais entre o consumo nocivo e a incidência de doenças infecciosas, como a tuberculose e o HIV. Por outro lado, o consumo de álcool por uma gestante pode causar síndrome alcoólica fetal e complicações pré-natais. Como vemos, o álcool pode causar sérios problemas na pessoa que o consome de forma descontrolada.

O problema do consumo não responsável de álcool

O consumo de álcool é um fator causal em mais de 200 doenças e transtornos. Está associado ao risco de desenvolver problemas de saúde mental, incluindo o alcoolismo.

Além disso, existem importantes doenças não transmissíveis tais como a cirrose hepática, alguns tipos de câncer, doenças cardiovasculares relacionadas ao seu consumo descontrolado, traumatismos e acidentes de trânsito. Além disso, o álcool afeta a evolução dos transtornos com os quais muitas pessoas sofrem.

Mulher com problemas de alcoolismo

O transtorno causado pelo consumo de álcool

O transtorno causado pelo consumo de álcool é definido como um agrupamento de sintomas comportamentais e físicos. Entre eles destacam-se a abstinência, a tolerância e o intenso desejo de consumo.

A abstinência de álcool é caracterizada por sintomas que se desenvolvem entre 4 e 12 horas após a redução do consumo, após a ingestão de forma prolongada e intensa. Como a abstinência pode ser muito desagradável, as pessoas podem continuar consumindo para evitar ou aliviar seus sintomas.

Alguns desses sintomas podem durar meses com baixa intensidade e resultar em uma recaída. Uma vez que se desenvolve um padrão repetitivo e intenso de consumo, as pessoas com transtorno causado pelo uso de álcool podem gastar muito tempo obtendo e consumindo bebidas alcoólicas.

Por outro lado, após um consumo contínuo de quantidades similares de álcool, ocorre um efeito menor, portanto, a pessoa precisa aumentar sua dose para conseguir sentir o efeito inicial. Essa perda de sensibilidade e a necessidade de aumentar a quantidade de álcool caracterizam a tolerância.  

Quando beber álcool se torna um desejo incontrolável

O desejo intenso pelo consumo de álcool é evidenciado por uma grande urgência ou necessidade de beber que dificulta o pensamento em qualquer outra coisa. Ou seja, a mente do alcoólatra se encontra totalmente focada em beber.

Assim, o rendimento acadêmico e de trabalho vai se deteriorando, seja pelos efeitos do consumo ou pela intoxicação no local de trabalho ou de estudo. Outras consequências são a negligência tanto do cuidado das crianças quanto das responsabilidades domésticas. Além disso, é comum o absenteísmo acadêmico e de trabalho.

A pessoa pode consumir álcool em circunstâncias perigosas (por exemplo, ao dirigir um carro, operar máquinas…) e inclusive, podem continuar com o consumo apesar de saber que isso lhes causa problemas significativos a nível físico, psicológico e social.

Homem alcoólatra

Como o transtorno causado pelo consumo de álcool é diagnosticado?

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5) estabelece uma série de critérios para diagnosticar esse transtorno. Esses critérios são os seguintes:

Padrão de problema do consumo de álcool que provoca uma deterioração ou desconforto clinicamente significativo e que se manifesta em pelo menos dois dos seguintes eventos dentro de um período de 12 meses:

  • Consome-se álcool com frequência em grandes quantidades, ou por um período maior do que o previsto.
  • Existe um desejo persistente ou esforços frustrados para abandonar ou controlar o consumo de álcool.
  • Investe-se muito tempo nas atividades necessárias para obter álcool, consumi-lo ou recuperar-se de seus efeitos.
  • Anseio ou um poderoso desejo ou necessidade de consumir álcool.
  • Consumo recorrente de álcool que leva ao descumprimento dos deveres fundamentais no trabalho, na escola ou em casa.
  • Consumo contínuo de álcool apesar de sofrer problemas sociais ou interpessoais persistentes ou recorrentes, causados ​​ou exacerbados pelos efeitos do álcool.
  • O consumo de álcool provoca o abandono ou a redução de importantes atividades sociais, profissionais ou de lazer.
  • Consumo recorrente de álcool em situações nas quais causa um risco físico.
  • Continua com o consumo de álcool apesar de saber que tem um problema físico ou psicológico persistente ou recorrente, provavelmente causado ou exacerbado pelo álcool.
  • Tolerância, definida por algum dos seguintes fatos:
    • Necessidade de consumir quantidades cada vez maiores de álcool para alcançar a intoxicação ou efeito desejado.
    • Um efeito visivelmente reduzido após o consumo contínuo da mesma quantidade de álcool.
  • Abstinência, manifestada por algum dos seguintes fatos:
    • Presença da síndrome de abstinência característica do álcool.
    • Consome-se álcool (ou alguma substância muito semelhante, como uma benzodiazepina) para aliviar ou prevenir os sintomas de abstinência.

Alcoolismo

Um problema com solução

O transtorno causado pelo uso de álcool geralmente é associado aos mesmos problemas causados pelo consumo de outras substâncias (por exemplo, a cannabis, a cocaína, a heroína, as anfetaminas, os sedativos, os hipnóticos ou os ansiolíticos). Os fatores de risco são os seguintes:

  • Consumo constante. Beber de maneira regular ou ter um consumo elevado de álcool de forma contínua pode causar dependência ou qualquer outro problema relacionado com esta substância.
  • Idade. As pessoas que consomem álcool em uma idade precoce em doses altas correm mais risco de sofrer de um transtorno causado pelo consumo de álcool.
  • Antecedentes familiares. O risco de sofrer um transtorno causado pelo consumo de álcool é maior em pessoas com parentes ou pais com problemas de álcool.
  • Depressão e problemas de saúde mental. Alguns transtornos mentais como a depressão ou a ansiedade estão relacionados a problemas com o álcool ou outros tipos de substâncias.
  • Fatores sociais e culturais. As relações sociais, juntamente ao ambiente e a cultura, podem aumentar o risco de sofrer um transtorno após o consumo de álcool.

Por outro lado, também pode-se consumir álcool para aliviar os efeitos indesejados de outras substâncias ou para substituí-las se não estiverem disponíveis.

Como vemos, o consumo excessivo de álcool é problemático e pode se tornar um transtorno se uma série de critérios for atendida. No entanto, esse transtorno tem uma solução. Procurar um especialista é o mais recomendado. Ele poderá explicar quais são os diferentes tipos de tratamentos disponíveis e qual deles se adapta melhor às circunstâncias de cada pessoa.