Transtorno de ansiedade por separação em adultos

· novembro 23, 2018

Quando ouvimos falar sobre transtorno de ansiedade por separação, geralmente pensamos em crianças. No entanto, também podemos encontrar casos de transtorno de ansiedade por separação em adultos.

A ansiedade por separação ocorre quando alguém teme se separar de uma pessoa, um animal ou, inclusive, um objeto. Em qualquer caso, o transtorno de ansiedade por separação se manifesta, como podemos intuir, depois de uma separação. A sintomatologia é diversa e pode incluir náusea, dor de cabeça ou dor de garganta.

A ansiedade por separação geralmente ocorre em crianças, especialmente nos primeiros anos de vida. Uma criança ainda não compreende que, quando um pai ou mãe sai, eles continuam existindo e estando conectados a ela.

No entanto, mesmo que isso seja compreensível para os adultos que desenvolvem esse transtorno, de alguma maneira eles também são prisioneiros da ausência e da ansiedade decorrente da incerteza de quando o reencontro ocorrerá. Uma incerteza que pode ser especialmente grande em determinadas situações; por exemplo, imagine a ida de um soldado para um lugar onde ocorrem atentados.

Sintomas do transtorno de ansiedade por separação em adultos

A principal característica do transtorno de ansiedade por separação em adultos é a preocupação excessiva em estar sozinho. Mas, como saber em que momento a preocupação com a solidão passa a ser um transtorno de ansiedade?

Mulher com ansiedade por separação

Segundo a Associação Americana de Psiquiatria, a ansiedade por separação ocorre quando uma pessoa apresenta vários dos seguintes sintomas:

  • Angústia incomum por estar separado de uma pessoa ou de um animal de estimação.
  • Medo da solidão
  • Necessidade, muito intensa ou frequente, de saber onde outra pessoa está.

Em adultos, esses sintomas podem durar 6 meses ou mais. Os sintomas podem causar uma angústia significativa que afeta seu funcionamento social, ocupacional ou acadêmico.

Causas da ansiedade por separação em adultos

A ansiedade por separação em adultos pode ser derivada da separação em relação a diferentes figuras, geralmente próximas e queridas. Por outro lado, este tipo de ansiedade pode estar relacionado a outros tipos de problemas mentais, como delírios (transtornos psicóticos) ou medo de mudanças (transtorno do espectro autista).

Ocasionalmente, as pessoas podem classificar um adulto com transtorno de ansiedade por separação como controlador ou superprotetor. No entanto, suas ações são, muitas vezes, uma maneira adulta de expressar seus medos em relação à separação.

Como dissemos anteriormente, a ansiedade por separação pode ter sua origem na infância, especificamente em como são formados os primeiros vínculos de apego. Também pode ser derivada de experiências posteriores em que ocorreram perdas inesperadas e repentinas. Por outro lado, as pessoas que sofreram abuso ou negligência também constituem uma população em risco.

Fatores de risco

A ansiedade por separação em adultos geralmente se desenvolve após a perda de um ente querido ou após um evento significativo, como o início dos estudos na universidade longe de casa. O divórcio também pode causar ansiedade por separação.

Além disso, a probabilidade de desenvolver um transtorno de ansiedade por separação em adultos é maior se for diagnosticado na infância. Os adultos que cresceram com pais autoritários também podem ter um risco maior. Por outro lado, as pessoas com transtorno obsessivo-compulsivo são mais propensas a sentir ansiedade de separação quando adultas.

Mulher com transtorno de ansiedade por separação

O transtorno de ansiedade por separação em adultos é frequentemente diagnosticado em pessoas que também foram diagnosticadas com alguma das seguintes condições:

  • Transtorno de ansiedade generalizada
  • Transtorno de estresse pós-traumático
  • Transtorno de pânico
  • Transtorno de ansiedade social
  • Transtorno de personalidade

Intervenção

O tratamento para o transtorno de ansiedade por separação em adultos é semelhante aos tratamentos utilizados ​​para tratar outros transtornos de ansiedade. Os possíveis tratamentos incluem:

  • Terapia cognitivo-comportamental
  • Terapia em grupo
  • Terapia familiar
  • Terapia comportamental dialética
  • Medicamentos, como antidepressivos, ansiolíticos ou psicotrópicos

Em qualquer caso, tanto o diagnóstico quanto o tratamento devem ser determinados por um profissional qualificado. Assim, sempre que tivermos alguma suspeita, o primeiro passo será a consulta.