Transtorno de personalidade obsessiva

· julho 12, 2018

Nossa sociedade, ou ao menos boa parte dela, valoriza e reforça estilos de comportamento que favorecem a dedicação ao trabalho e os resultados altamente produtivos. Qualidades como ser perfeccionista, minucioso, organizado e competente são muito valorizadas no entorno profissional, e as pessoas que as representam costumam ascender e ocupar postos de responsabilidade em seus empregos. Que relação isso tem com o transtorno de personalidade obsessiva?

Os indivíduos com um estilo obsessivo costumam estar muito bem representados nessas características. Eles esbanjam capacidade de trabalho, gostam de fazer as coisas da melhor forma possível. São pouco amigos do lazer, já que em seus esquemas de pensamento uma folga e a diversão significam uma perda de tempo produtivo, de progressos.

Características das pessoas obsessivas

As pessoas com transtorno de personalidade obsessiva costumam medir o grau de satisfação do seu comportamento em função de seus esquemas e valores, antes de se fixar no resultado obtido com uma certa maneira de agir. Pode ser o ambientalista contra a poluição, o vizinho contra o barulho, o motorista que respeita e faz respeitar as normas de trânsito, etc. Essas pessoas raramente deixam livres os seus instintos ou suas reações mais imediatas. Nesse sentido, a maioria das respostas que oferecem são o produto de um processo de reflexão profundo. São pouco amantes do risco e planejam, organizam, classificam e arrumam o que está ao seu alcance.

Você pode passar a vida inteira em busca da flor perfeita, e sabe por quê? Porque todas as flores são perfeitas.

Guardam uma grande quantidade de objetos que, apesar de muitas vezes serem inúteis, respondem ao seguinte pensamento: “Quem sabe um dia posso precisar”. Costumam dedicar menos tempo às relações familiares, interpessoais ou sociais em geral. No entanto, costumam cuidar para que as pessoas que amam tenham as necessidades básicas asseguradas e não tenham que se preocupar com isso.

Quando as características da personalidade obsessiva são levadas ao extremo, elas vão desembocar em condutas desadaptativas que fazem com que muitos de seus comportamentos se transformem em ineficazes e ineficientes. Se, além do mais, perturbam de forma significativa o funcionamento do próprio indivíduo na sua vida cotidiana, então estamos falando de um transtorno de personalidade obsessiva (ou transtorno obsessivo da personalidade).

Homem cortando grama milimetricamente

Estilo obsessivo-compulsivo da personalidade: o tipo perfeccionista

A diferença entre o estilo da personalidade perfeccionista e o transtorno de personalidade obsessiva está na gravidade dos sintomas que os caracterizam. As pessoas com um transtorno de personalidade obsessiva são tão meticulosas que chegam a ser ineficazes no plano profissional e pessoal.

Quando este perfeccionismo interfere na vida diária do indivíduo, podemos falar de transtorno de personalidade obsessiva. Por outro lado, um estilo de personalidade perfeccionista é, inclusive, valorizado pelas sociedades ocidentais. Pensemos que, nessas sociedades, dá-se prioridade a valores como a individualidade, a competência e a promoção profissional.

Mais comum em sociedades desenvolvidas

O estilo da personalidade obsessiva parece ser mais comum em sociedades desenvolvidas, caracterizadas por uma vida organizada e disciplinada. Aquelas pessoas que tentam ocupar um lugar importante na sociedade são favorecidas por características como a eficiência, a pontualidade, a perseverança, o trabalho duro e a meticulosidade.

Passam muitas horas no escritório para terminar um projeto ou se esforçam para eliminar o menor erro em uma tarefa, e são recompensados no âmbito profissional. Muitas dessas pessoas podem se transformar em altos executivos. Assim, em termos gerais, a nível empresarial entende-se que, quanto mais um funcionário trabalhar, melhor para a empresa.

Um homem sem defeitos é um tonto ou um hipócrita do qual devemos desconfiar.

Mulher com personalidade obsessiva

Transtorno de personalidade obsessiva e autodisciplina

O estilo obsessivo da personalidade tem uma grande autodisciplina. É regido pelo intelecto e não por outras emoções. Além do mais, costuma ser reservado e pouco efusivo.

É propenso ao estresse, sendo difícil para eles relaxarem ou desfrutarem do prazer. Ter tempo livre sem atividades planejadas pode deixá-los mais nervosos do que uma agenda cheia de assuntos pendentes.

O transtorno de personalidade obsessiva e as relações

Com respeito à vida em casal, estes indivíduos costumam ser bons companheiros, sendo fiéis, responsáveis, e cuidando muito bem de seus parceiros sentimentais. Mesmo assim, eles fazem isso de maneira pouco romântica e manifestam pouco as suas emoções. São, fundamentalmente, práticos.

Devido à essa atitude reservada no plano emocional, formam bons casais com pessoas do tipo histriônico (é o mais efusivo e exagerado dos estilos de personalidade). Os obsessivos são atraídos pelos histriônicos como companheiros sentimentais porque eles lhes fazem sentir mais ativos e vivos. Ao mesmo tempo, o histriônico pode se sentir atraído pelo obsessivo porque ele lhe proporciona a estabilidade necessária.

O obsessivo também costuma combinar bem com os estilos antissocial, evitativo, dependente e autodestrutivo. Pelo contrário, não parece ter boas relações com indivíduos com o seu mesmo tipo de personalidade, tampouco com os estilos narcisista, paranoide ou sádico.

Casal discutindo em restaurante

Como se relacionar com alguém obsessivo?

Na hora de interagir com pessoas diagnosticadas com um transtorno de personalidade obsessiva, Oldham e Morris (1995) sugerem alguns comportamentos para que a relação seja mais afável. Recomendam enfrentar a relação com bom humor e tolerância, permitindo que o obsessivo continue com os seus hábitos. Ser flexíveis, permitindo que eles atuem de maneira habitual, sempre e quando esta forma de agir não termine criando neles uma sensação de mal-estar que se volte contra eles.

Não devemos esperar que o obsessivo mude. Diante da sua rejeição pela novidade, deverá ser outra pessoa a que proponha as mudanças. Por outro lado, as poucas amostras de afeto que eles exteriorizam podem provocar o desânimo em outras pessoas. É preciso ter em conta que é só uma questão de falta de manifestação, em nenhum caso significa ausência de sentimentos ou a existência de sentimentos menos intensos.

Cada um sempre está tentando que as coisas saiam perfeitas na arte, porque conseguir isso na vida é muito difícil.

As lutas de poder não são eficazes com as pessoas com transtorno de personalidade obsessiva, porque elas são muito hábeis para argumentar suas razões. Recomenda-se escutar e tentar compreendê-las. Por outro lado, com o companheiro sentimental, o obsessivo provavelmente vai se encarregar dos detalhes da vida em comum e se posicionar como ponto de equilíbrio para a estabilidade da relação. É conveniente lembrar-lhes com frequência de que são pessoas muito importantes para o seu entorno social.

Como já vimos, o transtorno da personalidade obsessiva se caracteriza, fundamentalmente, pelo perfeccionismo, a dedicação excessiva ao trabalho, a rigidez e a incapacidade para se desfazer de objetos inúteis. O relacionamento com esse tipo de pessoa pode ser complicado se não considerarmos os pontos anteriormente mencionados.

Referências bibliográficas
Feist, J. (2007). Teorías de la personalidad. Madrid: Mc Graw-Hill.
Schultz, D. (2002). Teorías de la personalidad. Madrid: Paraninfo.