Os 5 transtornos mais comuns na adolescência

· setembro 21, 2017

A etapa da adolescência pode ser muito complicada. As mudanças que acontecem confundem não apenas o entorno do adolescente, mas também o próprio. A compreensão neste período, assim como a empatia e a paciência, serão ferramentas muito úteis para encarar melhor os problemas que possam surgir. Além disso, permitirão prestar atenção aos sinais que possam ser indício de um distúrbio. Por este motivo, é importante saber quais são os transtornos mais comuns na adolescência.

A adolescência coloca os nervos de muitos pais à flor da pele pela fama que tem e os desafios que implica. Neste sentido, falamos de um período extremamente sensível a diferentes distúrbios psicológicos, como a ansiedade ou a depressão.

1 em cada 5 adolescentes sofre algum tipo de transtorno psicológico.

Os transtornos mais comuns na adolescência

1. Depressão e distimia

A depressão é um transtorno que afeta a muitos adolescentes. A preocupação de se encaixar em um grupo, a baixa autoestima como consequência da acne e os problemas de bullying tão presentes na atualidade são apenas algumas das possíveis causas da depressão nesta etapa.

A distimia, diferentemente da depressão, também pode estar presente. Este transtorno se caracteriza por ser uma forma leve e ao mesmo tempo crônica de depressão. Estamos falando de períodos de no mínimo dois anos.

O apoio da família será extremamente importante. Por isso, não se deve ignorar ou rotular de “coisas de adolescentes” qualquer mudança ou sinal significativo de transtorno mental. É verdade que os adolescentes não falam muito, que a família não é o contexto onde mais se expressam. Por isso, é fundamental estar com os olhos bem abertos e prestar atenção de forma inteligente.

Adolescente triste pensando em sua vida

2. Transtorno de ansiedade

A ansiedade é muito presente atualmente, mas se existe uma etapa onde ganhou terreno é na adolescência. As expectativas que um adolescente pode ter ou que os outros podem ter sobre ele podem levá-lo a sofrer um forte estresse. De forma semelhante, a preocupação por definir limites ou pelos problemas que possa ter com seus amigos também podem ser uma fonte de pressão.

Os sintomas que podem nos alertar de que alguma coisa não anda bem são claros. Há insônia? Forte irritabilidade? Isto pode ser confundido com mudanças de humor próprias desta etapa. Contudo, as dores de estômago sem causa aparente e a tensão muscular são sintomas suficientes para marcar uma consulta com um especialista. Afinal, a ansiedade é um dos transtornos mais comuns na adolescência, e é preciso identificá-la para definir o tratamento mais propício para cada caso.

“O temor aguça os sentidos. A ansiedade os paralisa.”
-Kurt Goldstein-

3. Anorexia, bulimia e transtorno de atração

Os problemas relacionados com a comida são, sem dúvida, os mais conhecidos. Os adolescentes, a partir das críticas em relação ao seu corpo e impulsionados pelos padrões de beleza impossíveis que a sociedade promove e vende a um alto preço, costumam lançar o olhar sobre o que comem. É na alimentação que procuram ganhar o controle sobre o seu peso.

Contudo, o problema não procede necessariamente desta atitude, mas sim do fato de que os adolescentes costumam adotar medidas sem consultar ninguém. Com frequência estas medidas são muito restritivas, são aplicadas como forma de castigo ou como forma de apaziguar a ansiedade, e podem ter consequências desastrosas para o seu corpo.

Em algumas ocasiões, estes transtornos também são a manifestação de um problema maior. Por exemplo, um trauma da infância que levou o adolescente a se sentir culpado, mal consigo mesmo, e a se prejudicar desta forma. Por isso, é muito comum que estes transtornos apresentem condutas de autolesão.

Adolescente com anorexia

Não se mostrar agressivo com o adolescente será fundamental para procurar ajuda e solucionar esta conduta tão negativa que estão realizando. Às vezes os pais podem se sentir frustrados e isto pode levá-los a perder o controle. Contudo, é necessário manter a calma e, principalmente, buscar ajuda profissional.

Neste sentido, se um adolescente quer perder peso, não há problema em levá-lo ao médico para que o encaminhe a um nutricionista. Ele dirá como pode conseguir alcançar o seu objetivo. Esta medida será muito melhor do que ignorar o problema ou estabelecer uma vigilância permanente, que só fará com que o adolescente aperfeiçoe suas estratégias para fazer o que quer às escondidas.

4. Fobia social

A fobia social é outro dos transtornos mais comuns na adolescência. Ela pertence ao grupo dos transtornos de ansiedade, mas neste caso os sintomas se desencadeiam quando o adolescente se encontra em um contexto social ou quando antecipa que irá se encontrar em tal contexto. Interagir com pessoas desconhecidas ou ter que ir a um lugar cheio de pessoas pode significar uma odisseia para eles.

Por isso, é comum que na etapa da adolescência muitos jovens fiquem reclusos em suas casas. As inseguranças, os problemas com o corpo, o bullying escolar e a necessidade de ser aceito podem provocar a fobia social.

A taquicardia, angústia e as dificuldades para respirar, quando acontecem em um entorno social, podem indicar fobia social.

5. Transtorno antissocial e negativista desafiador

O adolescente rouba? Usa violência com pessoas e animais? É fácil para as pessoas que não são especialistas no assunto confundirem o transtorno antissocial/negativista desafiador com um problema natural da adolescência, contudo, este tipo de conduta pode ser um sintoma de um problema incipiente de maior grau.

Desobedecer os adultos, não acatar as normas, roubar e residir permanentemente na irritação são alguns sinais que podem nos indicar a presença de um transtorno. Os jovens parecem não respeitar nada, agem sem pensar, são muito impulsivos e não consideram a integridade dos outros: um período complicado ou alguma coisa além disso? O melhor a fazer: consultar um especialista.

Procurar ajuda será muito importante. É normal que diante de um transtorno desse tipo os pais se sintam impotentes ou procurem motivos em lugares equivocados, talvez até sintam que não souberam educar bem seus filhos. Contudo, estas ideias errôneas podem fazer com que adotem uma atitude passiva e submissa diante de seus filhos, algo que não irá beneficiá-los.

Um comportamento predominantemente hostil, desafiador e a tendência de violar os direitos básicos dos outros pode indicar que existe um transtorno ao qual é preciso prestar atenção.

Todos já passamos pela adolescência. Essa etapa em que dificilmente nos sentimos compreendidos e nossos pais pareciam esconder a mão em vez de oferecê-la. Por isso, é fundamental que os pais não tratem as condutas como “coisa de adolescente” para evitar que, caso exista um transtorno, este se torne mais agudo.

Adolescente sofrendo por depressão

Muitos são os adolescentes que se suicidam, outros tantos que se sentem sozinhos. Neste período tão complexo da vida é necessário o apoio adulto ou, pelo menos, a segurança que os mais velhos podem dar. Procurar ajuda, prestar atenção e não ignorar uma expressão como “hoje não quero jantar”, “aqui mando eu” ou “me sinto bem trancado no meu quarto” pode deter um problema antes que suas dimensões aumentem.

Agora que você já sabe quais são os transtornos mais comuns na adolescência, fique atento para tentar ajudar estes jovens que estão enfrentando dificuldades em suas vidas.