Os três mitos mais comuns sobre a alimentação 

· julho 7, 2018

A nutrição é um dos temas sobre os quais mais existe confusão. Hoje em dia há uma enorme variedade de teorias, informações falsas e pontos de vista sobre como deveríamos nos alimentar. Isso faz com que a maioria das pessoas se sinta muito perdida na hora de perder peso ou de tentar ser mais saudável. Por isso, vamos falar dos principais mitos sobre a alimentação neste artigo.

Todos esses mitos foram desmentidos por pesquisadores científicos ao longo dos anos. Assim, hoje em dia podemos estar seguros de que eles não devem influenciar em nada a nossa forma de comer. Você vai encontrar uma explicação para cada um deles, vai saber por que foram desmentidos e o que mudou para que isso acontecesse.

No entanto, antes de seguirmos para eles, vamos tentar responder por que existem tantos mitos cercando a ciência.

Mitos sobre a alimentação: Por que eles surgem?

A nutrição, assim como a psicologia ou a medicina, é uma ciência relacionada diretamente com o ser humano. Como tal, muitas vezes os estudos clínicos que seriam ideais não podem ser realizados.

Isso faz com que o conhecimento nessa área seja muito mais difícil de ser desenvolvido do que em outros campos, como a física ou a química por exemplo, onde as normas com respeito à manipulação são bem menos restritivas.

Saúde do coração

A maioria das pesquisas realizadas em nutrição foram baseadas em estatísticas. Embora os dados proporcionados por estas técnicas matemáticas sejam muito úteis, no geral, não nos permitem estabelecer as causas. Ou seja, na maioria das vezes não podemos saber por que um resultado determinado aconteceu. 

Este é um dos motivos pelos quais há mais mitos: até que não sejam realizadas pesquisas científicas, os dados obtidos sobre a nutrição sempre serão incompletos. Por essa razão, esta ciência, jovem em seu desenvolvimento, ainda não tem todas as respostas sobre o que é saudável e o que não é. 

Isso não exclui o fato de que, nas últimas décadas, ocorreu uma explosão de conhecimento sobre este campo, principalmente devido à preocupação pela epidemia de obesidade do mundo desenvolvido. A seguir veremos quais são os principais mitos que começaram a ser considerados como tais há pouco tempo.

1- Comer ovos demais não é saudável

Um dos principais mitos sobre alimentação é de que comer muitos ovos (especialmente as gemas) pode acarretar vários tipos de problemas. Esta ideia foi gerada pela crença de que consumir muito colesterol faz com que este aumente em nosso corpo. Parece lógico, não é mesmo?

Bom, os últimos estudos demonstraram que nossos níveis de colesterol não são tão condicionados por alimentos como os ovos. Hoje sabe-se que o nosso corpo produz quatro vezes mais quantidade desta substância do que o que somos capazes de comer em um dia, por isso o impacto do consumo de ovos na dieta não é muito grande neste sentido. Outra questão seria estudar o impacto daqueles alimentos com os quais acompanhamos os ovos.

2- Comer gordura engorda

Outro dos principais mitos sobre a alimentação é de que comer muita gordura faz o nosso peso disparar. No entanto, hoje em dia sabe-se que isso não funciona exatamente assim.

A crença se originou ao contar as calorias que cada tipo de macronutriente tem: enquanto os carboidratos e as proteínas têm quatro calorias por grama, a gordura tem nove. Consequentemente, é lógico pensar que se quisermos perder peso, temos que comer mais dos primeiros tipos de nutrientes e menos do último.

Porém, estudos recentes apontam que, dentro de parâmetros normais, o consumo de gordura bem integrado à dieta pode nos fazer perder peso. Isto acontece porque esta substância está implicada em uma grande quantidade de processos fundamentais para emagrecer, como a produção de testosterona, a sensação de saciedade ou a aceleração do metabolismo basal (a velocidade com que queimamos calorias de forma natural).

Fontes de gorduras saudáveis

3- O café da manhã é a refeição mais importante do dia

A minha avó sempre repetia um ditado popular que resume um dos principais mitos sobre alimentação: “Tome café como um rei, almoce como um príncipe e jante como um plebeu”. Esse ditado se baseia na antiga crença de que tomar um café da manhã muito abundante é fundamental para funcionar corretamente ao longo do dia.

Mesmo que o ato de tomar um café da manhã rico em nutrientes possa nos dar mais energia ao longo do dia, a verdade é que o típico café da manhã ocidental serviria justamente para o contrário. Ao comer cereais ou carboidratos, o nosso corpo sofre uma série de picos de insulina que proporcionam uma energia de curto prazo.

Ou seja, as duas opções mais recomendadas por especialistas com respeito ao café da manhã são:

  • Ingerir alimentos pobres em açúcar e ricos em gorduras saudáveis e proteínas.
  • Eliminar o café da manhã, praticando o que se conhece como jejum intermitente.

É provável que a reflexão que fizemos aqui a respeito dos mitos sobre a alimentação tenha sido surpreendente para você: essa reflexão bate de frente com o que aprendemos tradicionalmente sobre nutrição. No entanto, o bom da ciência é que ela vai avançando pouco a pouco de acordo com o aparecimento de novas evidências.

Quem sabe o que mais vamos descobrir no futuro sobre este campo tão importante para a nossa saúde? Afinal, o que não é um mito, sem dúvidas, é que “nós somos o que comemos”.