Muitas coisas podem acontecer lá fora, mas o universo está dentro de você

· setembro 21, 2017

A felicidade não vem de presente como a vida, é preciso conquistá-la. O principal requisito de que precisamos para isso está em nós mesmos. Afinal, o universo está dentro de você.

Partimos do fato de que o ser humano foi projetado para sobreviver, não para ser feliz. Estamos programados para o primeiro; mas para o segundo é preciso fazer um pequeno “hacking”. Quem quer entrar no desafio da felicidade precisa assumir que o mais importante está na criação de um sentido existencial.

Já dizia José Luis Sampedro, escritor, humanista e economista espanhol: estamos vivos para viver, para nos realizarmos. A maioria de nós, alguma vez na vida, já se perguntou para que está vivo. Saber responder a esta pergunta dá um sentido à nossa própria existência. Um sentido próprio e genuíno.

Tudo que vemos fora é apenas um reflexo do nosso interior, do que pensamos e sentimos. Os defeitos e as virtudes que vemos nos outros, de alguma forma, estão dentro de nós mesmos. Por mais dúvidas e perguntas que tivermos, a maioria das respostas já está no nosso interior, porque o universo que habita dentro de nós já é verdadeiramente interessante.

O que você tentaria fazer se soubesse que não pode fracassar?

Cuidar de si mesmo traz paz a nosso próprio universo

Pode soar um tanto irônico, mas nós somos os únicos capazes de perturbar a nós mesmos, de consentir terremotos emocionais. A causa do nosso próprio sofrimento não está fora, e sim dentro de nós, em como enfrentamos a dor.

Os outros podem nos matar fisicamente, mas em um plano espiritual, só nós temos o poder de prejudicar a nós mesmos ou de impor uma certa ordem. Apesar de acontecer na nossa própria mente, esta guerra ilusória gera uma série de lastros emocionais, como a culpa, o rancor, o ressentimento, o ódio, o castigo e o desejo de vingança.

Mulher observando o sol

Nossas interpretações ligadas a nossas reações emocionais são as que nos levam a sofrer e a entrar em conflito com nós mesmos. Em última instância, nós somos os causadores do nosso próprio dano. Por isso, focar em nós mesmos e responsabilizar-nos por nossas próprias emoções nos aproxima de um conhecimento mais profundo do nosso universo interior.

No fim das contas, a única coisa que podemos mudar em nossas vidas somos nós mesmos. Todo o restante são conceitos ilusórios. Podemos nos incomodar por querer um mundo melhor, onde haja menos injustiças e mais igualdade, mas tudo isso escapa de nossas mãos. Em vez disso, mudar e melhorar nosso interior é somente trabalho nosso, por isso alcançá-lo nos dá uma paz ilimitada e um novo conceito para enfrentar as situações.

“A melhor coisa que a humanidade pode fazer é ser feliz e aprender a estar em paz consigo mesma.”
-Séneca-

O universo está dentro de você: é preciso ser corajoso para construí-lo

A generalização é uma ameaça para nós, que nos perdemos em cidades de grandes edifícios e com regras que poucas vezes são ditas, mas são impostas. Muitas vezes sacrificamos agir em coerência com nossos valores para projetar uma imagem melhor: esta é uma das formas que o sistema tem para nos dominar, a recompensa que nos oferece em troca.

Assim, acabamos nos ocupando de tudo menos de nós mesmos, do carro, da moto, daquilo outro e ainda do outro; passamos o dia fazendo coisas automáticas, quando poderíamos simplesmente viver melhor.

Mulher correndo com plumas nas mãos

Às vezes, em função de com quem e onde estivermos, nos permitimos ser de um jeito ou de outro. Isto é, escolhemos o que queremos mostrar do nosso universo e o que queremos ocultar. Isso, em situações especificas, pode ser adaptativo, na procura de um emprego, em reuniões, no trabalho, mas a longo prazo pode provocar uma grande dissonância com nosso próprio eu.

Talvez o maior desafio seja o de encontrar a si mesmo, conectar-se com a própria essência e ser autêntico por mais tempo. Este é um desafio, nunca uma ameaça: embora no caminho existam dificuldades, a sensação que a nossa trajetória irá deixar será de paz e de recolhimento; a de sermos atores e não meros reatores à mercê das correntes que o que nos rodeia provoca.

Lembre-se: o universo está dentro de você.

“Assegure-se de dar sempre as boas vindas ao fracasso. Diga sempre: fracasso, prazer em recebê-lo, venha. Porque assim você não terá nenhum temor”.