Os vazios emocionais

Todos nós temos vazios emocionais. O importante é conseguir identificá-los, aceitá-los e preenchê-los da maneira mais saudável possível.
Os vazios emocionais

Última atualização: 07 Março, 2021

Certamente você já deve ter ouvido a expressão “carência emocional”. Ela é muito utilizada para descrever estados emocionais, atitudes e comportamentos específicos. Mais do que falar sobre carências, é preciso falar sobre vazios emocionais. Estes vazios metafóricos são comuns e, via de regra, influenciam mais quando ocorrem na infância.

Na Psicologia, é comum utilizarmos metáforas para tentar descrever fenômenos complexos. Entretanto, nem todas as metáforas podem ser benéficas. A metáfora dos vazios emocionais, porém, é uma das que mais auxiliam do que dificultam.

Esse vazio não é aquele descrito pela Física, quando temos um espaço cuja pressão é inferior à pressão atmosférica. Na verdade, é um vazio que tende a ser preenchido, ou seja: um vazio que traz a necessidade de ser preenchido por aqueles que o sentem.

Sendo assim, os vazios emocionais são nossos espaços internos que tendem a ser preenchidos. Dizemos que são “emocionais” porque tanto a sua criação quanto o seu preenchimento ocorrem na esfera emocional. Dessa forma, cada pessoa possui seus próprios vazios, que vão mudando de tamanho conforme as coisas acontecem (e aconteceram) em nossas vidas. 

Mulher olhando pela janela

Por que temos vazios emocionais?

Muitas pessoas talvez pensem que eles são produtos diretos de algum transtorno ou de algum problema. Nada está mais longe da realidade. A maioria dos vazios emocionais surge a partir da nossa constante adaptação ao ambiente.

A vida é feita de mudanças, e as mudanças que ocorrem na esfera das relações mudam os nossos vazios. Seja criando novos vazios, ampliando aqueles que já existem ou preenchendo-os total ou parcialmente, nossas experiências de vida condicionam nossos estados emocionais.

E mais, nossos vazios estão relacionados às interações que temos não apenas com os outros, mas também com nós mesmos. A autoestima e, principalmente, o autoconceito, são cruciais para que estes vazios nos afetem mais ou menos, além de nos incentivar a preenchê-los de alguma forma.

Como podemos preenchê-los?

Os vazios emocionais trazem consigo a necessidade de serem “preenchidos”. Obviamente, esta necessidade é de natureza emocional. Existem muitas maneiras de preencher estes vazios, mas, no geral, estas formas podem ser agrupadas em dois grandes grupos:

Através de outras pessoas

Os vazios podem ser preenchidos a partir de uma infinidade de elementos, tais como a atenção, a aceitação, a piedade ou a sensação de segurança.

Uma forma de preencher essas “lacunas” é através da busca por esses elementos nas outras pessoas. Ou seja: quando nossas necessidades emocionais podem ser preenchidas através da aceitação ou da atenção das outras pessoas. No entanto, isso não é recomendável.

Caso fiquemos acostumados a preencher esses vazios através dos outros, provavelmente vamos desenvolver dependências emocionais em praticamente todas as nossas relações. Além disso, caso uma dessas relações termine, nosso vazio precisará ser preenchido, de novo, por outra pessoa (ou pessoas). 

Através de nós mesmos

Seguindo uma linha bem diferente da anterior, é possível sanar essas necessidades através dos mesmos elementos que havíamos citado, porém com a diferença de que tentamos encontrá-los não nos outros, mas em nós mesmos.

Dessa forma, nossos vazios podem ser preenchidos através dos nossos próprios processos de adaptação e, assim, não precisaremos que ninguém mais preencha essas lacunas, pois nós mesmos podemos fazer isso. De fato, este caminho pode exigir mais tempo e mais trabalho pessoal.

Mulher meditando

Benefícios da metáfora dos vazios emocionais

O uso das metáforas na psicologia é muito útil em vários aspectos. Quando nos referimos à metáfora dos vazios emocionais, várias situações podem ser beneficiadas. Ela pode servir como uma poderosa ferramenta de introspecção para pessoas que apresentam ou já apresentaram dependências emocionais e, sobretudo, pessoas que possuem uma tendência a isso.

Certamente, os vazios emocionais podem ser utilizados como um tipo de terapia, no sentido de serem mecanismos de defesa. É possível ajudar os pacientes a tomarem consciência deste tipo de mecanismo inconsciente nas interações, uma vez que pedimos para que eles desenhem ou descrevam seus vazios, indicando como estão, quando foram preenchidos pela última vez ou quando foram criados.

Os vazios emocionais fazem parte do nosso ser. Mais do que negá-los, é preciso observá-los, pensar em maneiras saudáveis de preenchê-los e, também, pensar se podemos agir de maneira diferente para que eles não nos privem da nossa própria felicidade.

Pode interessar a você...
A dificuldade de enfrentar a sensação de vazio
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
A dificuldade de enfrentar a sensação de vazio

"Tudo está indo bem na minha vida, mas me sinto vazio." É muito comum ouvir as pessoas dizerem isso, mas o que leva a essa sensação de vazio?