Você é trabalhador autônomo? Cuidado com sua saúde!

· novembro 24, 2017

Uma das mentes mais admiradas dos últimos anos foi a do visionário Steve Jobs. Esse homem é o autor de frases como “tem que ser algo pelo qual você sinta paixão, porque senão, não terá a perseverança para executá-lo”. No entanto, a realidade em concretizar uma paixão pode acabar com você como profissional autônomo, o que poderia ser bastante prejudicial para sua saúde.

Porque ser autônomo poderia acabar com a sua estabilidade, tanto física como mental. Pelo menos assim é o que mostra um estudo realizado no Hospital de Bellvitge, em Barcelona. Dos mais de três milhões de profissionais autônomos desse país, existe uma grande probabilidade entre eles de terminar com uma licença médica prolongada.

A vida de autônomo

Podem nos chamar de muitas maneiras. Às vezes somos conhecidos como freelancer, outras vezes como empreendedores. Mas, em definitiva, somos pessoas que, em um exercício de coragem, tentamos ganhar a vida trabalhando por nossa própria conta. No entanto, no dia a dia, temos que enfrentar diversos inconvenientes. É verdade que temos liberdade de horário e podemos nos organizar, apesar de que nem sempre todos os profissionais autônomos conseguem se adaptar a esse estilo de vida.

Mas, também é verdade que sofremos muito mais com a insegurança profissional que um trabalhador de uma empresa. Para não mencionar aqueles que sobrevivem com baixos salários, taxas altas, férias sem remuneração, pagamentos que variam de mês a mês, etc. Tudo isso vai minando a estabilidade mental do autônomo e acabam se refletindo na sua saúde. Como dizem alguns, é uma vida na corda bamba, enfraquecida por vários problemas.

O que acontece com os autônomos?

Segundo os especialistas, a pretensa liberdade do autônomo vem acompanhada por muitos problemas. A má gestão do tempo, o medo, a insegurança, o sedentarismo, a ansiedade e a procrastinação são só alguns desses problemas. Desse modo, os corajosos profissionais autônomos acabam sofrendo em grande parte de doenças relacionadas com a saúde mental. Uma delas é a ansiedade, que pode ser a antessala de outros males mais graves, como a esquizofrenia.

E, apesar de que os estudos nem sempre se concentrem nas causas reais ou diretas das patologias mentais nos profissionais autônomos, a maioria dos especialistas aponta a causa ao fato de viver sempre na corda bamba. O auge acontece quando o profissional tem que pedir licença, o que quase sempre ocorre quando a doença já está instalada e já não existe a possibilidade de recuperar o tempo perdido.

Logicamente, estamos mostrando um caso extremo. Nem todos os autônomos sofrem devido a essas constantes mudanças da insegurança profissional. No entanto, também é verdade que quando as coisas não estão bem, os autônomos estão muito mais desprotegidos.

O que fazer para superar os inconvenientes do trabalho como freelancer

Se você quer aproveitar a liberdade do trabalho como freelancer, mas não os aspectos negativos, hoje existem possíveis soluções que passam, primeiramente, pelo fato de ser sensato, ajuizado e ter bom senso.

Faça hoje

Como já mencionamos anteriormente, o grande problema do autônomo é a procrastinação. Deixar para amanhã o que você pode fazer hoje acaba levando à famosa bola de neve. Hoje em dia, vivemos em um mundo cheio de distrações, como as redes sociais, salas de chat, jogos, televisão, etc. por isso esse fenômeno é comum: o autônomo passa o dia inteiro trabalhando, mas o seu rendimento é muito baixo.

Então, lembre-se, se você deixa algo para amanhã que pode concluir hoje, você está colocando uma dívida no seu futuro. E se essa dívida continua sendo acumulada, ela não vai parar de crescer até se transformar em algo impossível de terminar.

“Inventamos o amanhã em vez de nos preocuparmos com o que aconteceu ontem”.

Steve Jobs

O futuro é agora

Outro grande dilema dos autônomos é pensar demais no futuro. Assim, sabendo também das flutuações do mercado e do emprego, ele passa dias entediados frente a outros nos quais não consegue nem parar… Ou seja, um acúmulo de estresse e mal-estar.

No entanto, pensar demais no futuro nos leva a aceitar um excesso de trabalho que pode produzir uma sobrecarga muito grande. Por isso, é importante saber quando delegar tarefas, desistir, saber o próprio limite, etc. Ou seja, deixar de estar atento ao telefone ou o e-mail para viver o presente e não o futuro.

“Minhas coisas favoritas da vida não custam dinheiro. Está claro que o recurso mais valioso que temos é o tempo”

Steve Jobs

Existe um mundo lá fora

Muitos freelancers, principalmente aqueles que trabalham em casa, acabam não saindo muito desse ambiente. O que é um erro porque passar muito tempo em um lugar, sem contato físico com ninguém, acaba isolando e empobrecendo essa pessoa.

Portanto, saia, vista-se, vá para a academia, socialize, vá a um bar, fale com as pessoas, utilize outras modalidades como o co-working. Ou seja, não permita que sua realidade fique restrita a quatro paredes, porque você pode ficar louco. Ser autônomo não está relacionado a fato de uma pessoa ter que estar sofrendo constantemente.

Nesse sentido, toda vaga de trabalho tem as suas vantagens e inconvenientes. Portanto, a inteligência do autônomo tem que estar na forma como ele organiza os dois extremos da balança, de modo que o equilíbrio não seja alterado e sua saúde não acabe pagando o pato.