Você sabe qual inteligência cuida das suas relações sociais?

Você sabe qual inteligência cuida das suas relações sociais?

1, maio 2015 em Psicologia 0 Compartilhados
inteligência

Conseguir uma vida plena e feliz é o propósito no qual concentramos todos os nossos esforços e onde colocamos o nosso empenho. Os únicos responsáveis somos nós mesmos e a atitude que escolhemos para enfrentar o nosso dia a dia. Alcançar a plenitude vai depender, dentre outros fatores, da nossa inteligência interpessoal, ou seja, da capacidade que temos para nos relacionar com outras pessoas e nos colocar em seus lugares.

A empatia e a habilidade para estabelecer relacionamentos sociais são as capacidades que integram a inteligência interpessoal, que determina, por exemplo, a escolha dos nossos amigos ou companheiro e, em grande medida, é a responsável pelos nossos sucessos profissionais ou acadêmicos.

A empatia é a destreza que permite nos aproximar dos demais, compreender as suas emoções, compartilhar as suas preocupações ou entender seus comportamentos. É a chave do sucesso das relações interpessoais. Ser empático significa saber entender as emoções de quem temos ao nosso redor.

As competências que desenvolvemos por meio das habilidades sociais são aquelas que associamos à popularidade e à liderança. Correspondem às destrezas que utilizamos para persuadir, dirigir, negociar, resolver conflitos, cooperar e trabalhar em equipe. Se observarmos a nossa volta, podemos detectar esse tipo de inteligência naquelas pessoas com uma sensibilidade especial, com habilidades sociais definidas e que costumam ser simpáticas com todos ao seu redor.

Como potencializar a sua inteligência interpessoal

Caso tenha decidido melhorar as suas destrezas sociais e fortalecer a relação com as pessoas a sua volta, você deve saber que existem exercícios nos quais pode trabalhar e que lhe ajudarão a desenvolver a sua inteligência interpessoal:

– A compreensão é fundamental. Diante de uma situação concreta que lhe causa mal estar com outra pessoa, procure sempre se colocar no lugar dela, olhe a partir da perspectiva do outro e tente imaginar quais seriam os seus sentimentos.

– Aprenda e escutar. Quando estiver em uma conversa com outras pessoas, procure se fixar em como somos interrompidos sem deixar que terminemos nossas frases e expressemos completamente as nossas ideias. Procure corrigir isso em você, caso note que você não permite que terminem de falar com os demais.

– Tenha a perspectiva de si mesmo. Para isso, escreva uma redação se descrevendo. Depois, faça outras pensando em como o seu melhor amigo faria e, depois, faça uma terceira redação imaginando o que um desconhecido diria de você.

– Aceite as críticas com serenidade. Recorra a um familiar ou amigo para que lhe diga os aspectos negativos que enxerga em seu caráter. Aceite o que for verdade e rejeite aquilo que não for verdadeiro, mas sempre com uma atitude aberta e tranquila.

– Identifique emoções. Quando for testemunha de uma situação tensa ou de conflito na sua família ou com os seus amigos, observe o estado de ânimo dos envolvidos.

– Aproxime-se de outras culturas. Desenvolva interesse ou leia sobre outros costumes, crenças e valores. Isso lhe ajudará a compreender melhor aqueles que não pensam como você.

Desenvolva a sua inteligência interpessoal e estará se ajudando a se conectar com os seus sentimentos e com os sentimentos dos demais. Você potencializará a sua habilidade para se relacionar, para manter as suas amizades e entender aqueles que não pensam como você. Esta é uma das chaves para alcançar a plenitude. 

Recomendados para você