Voluntariado: a hidratação emocional - A Mente é Maravilhosa

O voluntariado: a hidratação emocional

Maio 23, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Dar amor por meio do voluntariado

Por que fazer um trabalho não remunerado – no qual precisamos investir tempo e esforço -, podendo exercer outra ou esta mesma função recebendo um salário? Talvez muitas pessoas se questionem sobre isso antes de realizar um voluntariado. E muitas, possivelmente, no final das contas decidem não fazer por não encontrarem razões para isso.

No entanto, se você é uma pessoa que gosta de ajudar os demais e tem motivação para isso, ser voluntário é uma boa forma de desenvolver motivação.

Além de ser uma atividade que, por si só, já produz uma recompensa, também hidrata nossas emoções. Isso porque nos dá grandes benefícios, tanto a nível pessoal, emocional e afetivo quanto a nível profissional e social.

Descubra novas realidades com o voluntariado

Para podermos viver integrados em sociedade, é preciso parar de olhar apenas para nós mesmos. Se ficarmos imersos sentindo pena de nós mesmos pelos nossos problemas, talvez não sejamos capazes de apreciar e valorizar o que temos ao nosso redor. Lá fora, e não necessariamente muito longe, encontram-se pessoas que caíram em um isolamento social.

Voluntários unidos

São crianças, adolescentes ou adultos que sofrem de algum tipo de doença estigmatizada, que sofrem com múltiplos vícios… são famílias desamparadas, indigentes ou até mesmo crianças órfãs. Há algo que todos eles têm em comum: a necessidade da nossa solidariedade.

Ajudar os demais, como forma de generosidade, é um dos comportamentos mais valorizados pelos demais e por nós mesmos. Mas, às vezes, é muito difícil afastar outros interesses e focar no próximo.

Não podemos esquecer que, onde quer que formos, sempre haverá pessoas necessitadas. Sendo assim, contribuir para o bem comum não só é possível, como é urgente e necessário.

Efeitos positivos sobre a saúde

Estar satisfeito consigo mesmo é gratificante. Por essa razão, os benefícios percebidos na saúde podem ser, em muitos casos, comparados ao exercício físico ou ao descanso.

Muitos voluntários que trabalham em grupo sentem que são parte de algo muito maior. As tarefas ou atividades atribuídas reforçam a autoestima, já que servem para melhorar a qualidade de vida e o dia a dia de outras pessoas.

Estas sensações, quando prolongadas, fazem muito bem ao nosso sistema emocional. Assim, será mais difícil cair em depressão ou se tornar uma vítima do estresse. Da mesma forma, é mais fácil termos uma sensação de solidão não procurada, que tantos estragos vem causando na atualidade.

Conheça a si mesmo

O tédio constitui uma grande oportunidade para explorar nosso lado mais criativo. Muitas vezes, o cansaço de fazer sempre o mesmo nos leva a explorar novos caminhos, indo contra a lei da economia cognitiva pela qual nossa vida costuma ser regida.

Neste sentido, as pessoas que fazem algum voluntariado são aquelas que descobriram uma forma de trabalho não-remunerado que as interessa. Chama a atenção dessas pessoas ser o ponto de apoio de outras, e isso as anima a investir tempo na atividade destinada ao bem comum.

Aumenta sua projeção profissional

Normalmente, os voluntários têm inquietudes que vão além do imediato. Ou seja, se preocupam com o bem-estar coletivo e, no geral, mostram iniciativa, pensamentos e intenções orientados para melhorar algum aspecto do âmbito social ou cultural.

Por isso são tão apreciados pelas empresas. As empresas buscam incorporar em seu ambiente de trabalho pessoas que saibam trabalhar em grupo e não temam encarar novos desafios. Trabalhadores que sejam proativos, comprometidos, sérios e esforçados. E caso o voluntariado se encontre dentro da sua área de especialização acadêmica, a experiência pode dobrar seu valor.

Apoio emocional

Aquisição de novas habilidades

Ter outros tipos de responsabilidades afastadas das habituais vai permitir um ganho de experiência e o desenvolvimento de novas habilidades emocionais, sociais e intelectuais. Inclusive existem ONGs que oferecem a possibilidade de realizar cursos ou formações de grande aplicabilidade prática, que nunca são demais em um currículo.

Por exemplo, uma pessoa tímida pode aprender a se comunicar com os demais de forma gradual e efetiva. Um adolescente impaciente vai entender que, em algumas ocasiões, saber esperar é a melhor das estratégias. Alguém intolerante poderá viver uma lição de humildade, ou alguém extremamente sensível vai entender que a empatia pode ser dosada.

Como vimos, os benefícios proporcionados pelo voluntariado são variados e tangíveis. E fica ainda melhor! O efeito é contagioso.

Ver que as pessoas ao seu redor estão envolvidas em uma causa aumenta o valor subjetivo da mesma. Normalmente, os voluntários confessam que recebem muito mais do que dão por ser uma experiência única que os faz crescer como pessoas. Então, por que não tentar?

Recomendados para você