Wellness: saúde integral e equilíbrio entre corpo e mente

Wellness: saúde integral e equilíbrio entre corpo e mente

novembro 10, 2017 em Psicologia 0 Compartilhados
Wellness: saúde integral e equilíbrio entre corpo e mente

O Wellness é um conceito interessante do bem-estar que entende este último de forma ampla. Seu propósito é melhorar nossa qualidade de vida, prevenir doenças físicas ou psíquicas ao atender, cuidar e potencializar todas as áreas que nos rodeiam: alimentação, corpo, emoções, relacionamentos, ambiente… O conceito de Wellness é um conceito de saúde integral que está no auge e que vale a pena conhecer.

É bem possível que tenhamos visto algum centro de Wellness em nossas cidades, oferecendo serviços de spa, academias e espaços sofisticados de relaxamento. Também não há dúvida de que muitas cadeias de hotéis usam este termo com objetivos econômicos para ampliar a oferta de clientes. No entanto, e é importante dizer isso, às vezes é deixado de lado o objetivo essencial pelo qual este enfoque foi concebido há mais de 50 anos.

A ideia não é nem um pouco nova. Esta abordagem integral do bem-estar surgiu alguns anos depois do final da Segunda Guerra Mundial. O modelo social e econômico foi melhorando aos poucos, e com ele surgiram outros tipos de necessidades: o crescimento pessoal, a liberdade, a oportunidade para escolher, para nos desenvolvermos no âmbito psíquico e emocional.

Foi um momento fascinante e decisivo. Foi neste instante que a psicologia tomou consciência de que seu modelo científico deveria se abrir a outras possibilidades. Assim, muitos profissionais decidiram, por exemplo, deixar de focar tanto o tratamento das doenças mentais para que pudessem proporcionar às pessoas mecanismos, recursos e estratégias para aprenderem a ser felizes, investindo em seu bem-estar, na sua autorrealização.

O pioneiro e criador do movimento Wellness foi Halbert L. Dun, um médico e bioestatístico que, durante a década de 1950, adquiriu maior popularidade graças a suas palestras e seus livros. Sua mensagem era clara e muito inspiradora: “As pessoas precisam viver de forma mais consciente, aproveitando ao máximo seu potencial”.

O que é Wellness?

As 7 chaves para entender o Wellness

Muitas das cadeias hoteleiras ou centros que oferecem experiências de fim de semana com o Wellness às vezes nos mostram uma ideia um pouco equivocada do que esse movimento, essa abordagem de vida, buscava originalmente. O Wellness não é algo para experimentar durante uma escapada, durante uma semana de férias. É um estilo de vida que integramos em nosso dia a dia.

Assim, não é de se estranhar que existam cada vez mais terapeutas treinados nesta estratégia que busca otimizar o nosso potencial. No entanto, deve-se dizer que não é uma tarefa fácil, que é um processo tremendamente ativo onde é preciso ter força de vontade, perseverança, consciência plena e um bom treinamento na tomada de decisões.
Compartilhar

Por outro lado, existe um aspecto sobre o qual é importante refletir. O Wellness também foi integrado dentro do que conhecemos como “medicina complementar”. Insistimos no termo “complementar” porque esta estratégia não é nenhuma “alternativa” à medicina comum, nem busca muito menos substituí-la.

Enquanto muitos de nós vão ao médico sempre que têm um desconforto, uma dor ou uma doença, o que o Wellness busca, por sua vez, é prevenir o aparecimento de algumas doenças e transtornos, lembrando, por exemplo, da importância de comer bem, de fazer exercícios e gerir bem nosso mundo emocional.

Mulher meditando em meio à natureza

Estamos, portanto, perante um novo conceito do bem-estar entre a mente e o corpo onde a pessoa aprende a criar condições de vida mais saudáveis e felizes para que, na medida do possível, possa alcançar seu máximo potencial e uma saúde mais forte.

Vamos ver a seguir as dimensões que integram o Wellness.

1. Bem-estar físico

Como definiríamos o bem-estar físico? A primeira coisa que nos vem à cabeça é, sem dúvida, “ausência de doenças”. No entanto, para o Wellness é preciso ir mais além, porque estar saudável não se limita apenas a estar livre de qualquer tipo de doença; trata-se, acima de tudo, de “se sentir bem”.

  • Vamos pensar, por exemplo, nas pessoas com artrite, artrose ou lúpus. Sabemos que essas são doenças crônicas, portanto, o que se buscaria com o bem-estar é melhorar sua qualidade de vida, tanto quanto possível.
  • Assim, para investir diariamente neste bem-estar físico seria necessário deixar de lado os hábitos pouco saudáveis como o cigarro, fazer exames médicos preventivos, reduzir o estresse, saber que tipo de alimentação se ajusta melhor a cada pessoa, descobrir que tipos de exercícios físicos serão mais benéficos, etc.

2. Bem-estar emocional

Neste caso, o terapeuta treinado em Wellness fornecerá estratégias e técnicas adequadas para reconhecer e gerenciar as próprias emoções, permitindo que você invista muito melhor no próprio bem-estar.

3. Bem-estar intelectual

A capacidade para abrir nossas mentes a novas ideias, conceitos, perspectivas e experiências é a chave para a nossa realização pessoal e para a nossa felicidade. Manter-nos ativos, curiosos e, acima de tudo, receptivos a tudo o que nos envolve é um modo sensacional de melhorar a nossa qualidade de vida.

Páginas de livro voando como pássaros

4. Bem-estar social

Agora vamos fazer uma pergunta: as pessoas que fazem parte do nosso círculo social realmente nos dão aquilo que precisamos? Às vezes nos acostumamos de tal forma a determinadas dinâmicas relacionais que não chegamos a perceber como elas nos afetam, o estresse que nos fazem desenvolver e a infelicidade que acumulamos por causa desse impacto.

Tomar consciência disso e ser seletivo para escolher quem desejamos ter ao nosso lado é outro mecanismo essencial que define o Wellness.

5. Bem-estar ambiental

Este é um aspecto que não é tão conhecido, ou que pelo menos descuidamos em muitas ocasiões. O bem-estar ambiental faz referência à nossa capacidade de reconhecer a própria responsabilidade no equilíbrio natural. Não se trata, portanto, de nos limitarmos a evitar cenários poluídos ou de viver no meio da natureza e não em cidades centrais.

Falamos de consciência ambiental, da ideia de que pequenos gestos cotidianos realizados por todos nós dão resultados.

O Wellness também nos ensina a importância de escolher sempre alimentos de cultivo orgânico, como tornar nossas casas e cidades espaços mais sustentáveis, como cuidar do nosso planeta, como reciclar, como reduzir o impacto dos plásticos. etc.
Compartilhar

6. Bem-estar profissional

Você é feliz no seu trabalho? Aquilo que ocupa grande parte do seu dia lhe satisfaz? Nossas responsabilidades profissionais marcam uma grande parte da nossa vida e do nosso tempo, sabemos disso, e na verdade é aqui que mais se concentram os nossos focos de ansiedade e estresse. Portanto, é essencial refletirmos sobre este aspecto.

O Wellness também visa que temos que trabalhar nessa área, aprofundar nossas capacidades, objetivos de vida e desejos para construir uma verdadeira harmonia entre o campo profissional e o pessoal.

7. Bem-estar espiritual

O desenvolvimento espiritual dentro desta abordagem também é um elo importante. Ele parte da necessidade de desenvolver uma paz interna onde a nossa vida esteja alinhada com os nossos valores, onde sempre tenhamos um propósito de vida que nos motive a levantar todos os dias para encontrar força, esperança, otimismo…

As variáveis da boa saúde

Para concluir, estamos diante de uma série de práticas que, por sua vez, integram um tipo de filosofia muito específico. A mesma que o próprio Halbert L. Dun concebeu na época e onde enfatizou, acima de tudo, a nossa responsabilidade pessoal. Nós somos um todo onde as emoções, a mente, o corpo, nossos relacionamentos e o meio em que vivemos compõem uma única unidade que todas as ciências e nós mesmos deveríamos começar a conceber de forma mais ampla e inclusiva.

Portanto, vamos investir tempo e vontade em cuidar um pouco melhor de nós mesmos, em dar atenção a todas essas áreas das quais às vezes descuidamos, quase sem nos darmos conta…

Referências bibliográficas

Dunn, H.L. (1961). High-Level Wellness. Arlington, VA: Beatty Press.

Dunn, H.L. (1977). High Level Wellness. Thorofare, NJ: Charles, B. Slack.

Dunn, H.L. (1977). What High Level Wellness Means. Health Values, 1(1), 9-16.

Travis, J. W (2004) Wellness Workbook, Ten Speed Press/Celestial Arts

Recomendados para você