10 benefícios de ouvir música relaxante

· março 12, 2018

Muitos de nós temos a nossa própria lista de música relaxante. Aquela que colocamos para tocar para acalmar a mente, aquela capaz de nos proporcionar um maravilhoso equilíbrio interior. São momentos nos quais nos presenteamos com serotonina para aliviar o estresse, para acalmar os incômodos físicos, as tensões e as preocupações. Tudo graças a essa analgesia musical tão econômica e sempre ao nosso alcance.

Não é algo casual. O impacto que a música exerce no nosso cérebro é grande. Uma música marcada por determinada frequência mais harmônica ou relaxante gera em nós elevados estados de bem-estar. Assim, e apenas como exemplo, existe uma teoria muito conhecida e ainda não comprovada empiricamente que fala dos benefícios que a frequência de 528 Hz pode trazer ao nosso organismo.

“Sem a música a vida seria um erro.”
-Friedrich Nietzsche-

É a chamada frequência de Solfeggio, usada originalmente nos cantos gregorianos. Sons curativos ou não, o que sabemos é que são capazes de gerar no nosso corpo e na nossa mente uma mudança, como se uma força invisível nos reiniciasse e nos sintonizasse com mais intensidade com nosso próprio ser. A música relaxante é um convite direto ao bem-estar e vale a pena saber muito mais sobre essa arte, essa prática tão recomendável.

Homem ouvindo música relaxante

Os benefícios da música relaxante

A cada três meses, a APA (American Psychological Association) publica uma revista de musicologia atualizando o estudo relacionado a esse tema. Hoje em dia temos à disposição vários experimentos, pesquisas e trabalhos teóricos baseados ou relacionados com a pesquisa experimental que nos demonstra algo que à nossa maneira já intuíamos: a música e, em especial, a música relaxante tem grandes benefícios cognitivos, emocionais e neurobiológicos.

Vamos ver algumas dessas características tão positivas para o nosso bem-estar.

1. Reduz o estresse

Se escrevermos no nosso navegador de Internet a expressão “música relaxante” teremos milhares de resultados. No entanto, esse estilo musical tem um impacto tão claro no nosso cérebro a ponto de aliviar o estresse? A resposta é sim. E mais, há alguns anos um grupo de pesquisadores do Mind Lab Institution, especializado em experimentos de neurociência, chegou a um dado curioso: a música que mais relaxa a frequência cardíaca, a respiração e a atividade cerebral é a música “Weightless, da banda britânica Marconi Union.

2. Os sons da natureza melhoram a nossa concentração

O som da chuva batendo na janela, um rio que corre, o sussurro incansável do oceano batendo contra um recife, o assobio dos pássaros, o som de uma baleia… Os sons da natureza têm um poder catártico no nosso organismo. É como um retorno às nossas origens, uma via de escape, um canal que nos foca e nos liberta ao mesmo tempo.

Há alguns anos o projeto BirdLife Focus Natura realizou um interessante trabalho no qual demonstrou que a música relaxante, como, por exemplo, sons naturais e de animais, melhora a concentração e o rendimento das crianças com TDAH (Transtorno do Déficit e Atenção com ou sem Hiperatividade).

3. Reduz a sensação de dor

Escutar música relaxante durante o pós-operatório melhora a recuperação dos pacientes e transforma estes momentos em instantes um pouco mais prazerosos e com menor sensação de estresse. Esse dado pode parecer um pouco surpreendente, mas assim como explica um artigo da Psychology Today, sabe-se que esse tipo de música reduz a sensação de dor, nos proporciona endorfinas e fortalece, inclusive, a nossa resposta imunológica.

Mulher com dor no pescoço

4. Melhora nosso descanso noturno

Deitar na cama, apagar as luzes e mergulhar nessa outra dimensão musical perfeita, relaxante e acolhedora, onde habita a harmonia e o equilíbrio, é maravilhoso. Escutar música relaxante com fones de ouvido à noite favorece o descanso, ajuda a nos livrarmos das preocupações e a reduzir o ruído daqueles pensamentos desgastantes que a ansiedade costuma alimentar.

5. Melhora o funcionamento do cérebro

Nosso cérebro ama música. Sabe-se, por exemplo, que o fato de tocar algum instrumento musical desde criança potencializa o desenvolvimento cerebral e, inclusive, melhora o rendimento matemático. A música relaxante é quase como uma vitamina para os nossos neurônios, nos faz mergulhar em um estado mental propício para melhorar nosso raciocínio e potencializar as habilidades espaço-temporais.

Paralelamente, melhora a interconexão entre nossos hemisférios, favorecendo uma comunicação mais rápida entre os nossos neurônios.

Efeitos da música no cérebro

6. Seu coração também agradece uma sessão de música relaxante

Falamos anteriormente dos benefícios de escutar música relaxante durante o pós-operatório. Nesse caso, deve-se também ao impacto extremamente saudável que tem sobre o nosso coração: reduz a pressão arterial e a frequência cardíaca, os batimentos ficam mais regulares e rítmicos, as arritmias são reduzidas e o paciente se sente mais tranquilo.

7. Mais serotonina e endorfina

Se existe um tipo de hormônio que nós gostamos de verdade, são as endorfinas e a serotonina. Elas agem também como neurotransmissores e esses compostos biológicos são capazes de despertar o nosso bem-estar, a nossa alegria e o impulso vital. Assim, e apesar de cada um de nós ter o próprio gosto musical e às vezes preferir músicas muito mais intensas, energéticas e motivadoras, não podemos negligenciar os benefícios que a música relaxante proporciona ao cérebro.

Essa harmonia melódica, essas frequências perfeitas, esses sons ambientais e naturais de fundo proporcionam a liberação de serotonina e endorfina. Vamos tentar, portanto, separar um momento ao longo do dia para nos proporcionar uma pequena sessão desse tipo de analgesia musical.

“Desde que o homem existe houve música. Mas os animais, os átomos e as estrelas também fazem música.”
-Karlheinz Stockhausen-

8. Uma alimentação mais consciente

Essa informação pode nos surpreender Algo tão simples quanto escutar música relaxante enquanto comemos pode nos ajudar a comer de forma mais consciente, equilibrada e saudável. É algo muito relacionado com a atenção plena e o mindfulness. É, de certa forma, uma maneira de nos concentrarmos mais no que fazemos para reduzir o ritmo, para comer mais devagar e ficar saciado antes, para perceber a intensidade de cada sabor, para nos deleitarmos com esse processo tão cheio de nuances e sensações que é a alimentação.

Portanto, vamos experimentar fazer uma refeição acompanhados por uma boa música relaxante.

9. Ajuda a meditar

Aprender a meditar não é fácil, ainda mais se estamos acostumados a levar um ritmo de vida intenso e rápido. Assim, às vezes, quanto tentamos favorecer esse estado de relaxamento com o qual iniciar nossa sessão de meditação, nem sempre dá certo, nem sempre chegamos ao estado de calma pelo qual nossa mente e nosso corpo tanto anseiam.

Uma maneira de conseguir é por meio da música relaxante. Basta buscar um espaço adequado, uma roupa confortável, fones de ouvido e se deixar levar…

10. Música relaxante para estudar

A música relaxante otimiza os nossos processos cognitivos: nós nos concentramos mais, processamos melhor a informação e retemos os dados novos de forma mais rápida e eficaz. Assim como afirmamos, nosso cérebro ama esse tipo de estímulo musical afinado pelo equilíbrio e pela harmonia, por aquele tipo de frequência capaz de otimizar seus processos mais básicos ao manter o cérebro mais concentrado.

Portanto, vamos experimentar, vamos aproveitar a magia desse tipo de música antes de uma prova, por exemplo. Paralelamente, outro dado interessante que os especialistas em psicologia musical nos mostram é que basta escutar todos os dias de 10 a 15 minutos de músicas ou canções relaxantes para experimentar certos benefícios ao final de algumas semanas. Vamos perceber uma maior calma interior, mais facilidade para gerir o estresse e uma melhor capacidade para focar a atenção no nosso dia a dia. Precisamos de mais alguma desculpa para começar a escutar música relaxante?