10 Curiosidades sobre o orgasmo

· outubro 14, 2015

Os orgasmos fazem parte do nosso dia a dia, mesmo que, curiosamente, ainda sejam um tabu na sociedade.

Todos nós sabemos que um orgasmo é a sensação intensa do prazer, que é experimentada quando se mantém uma relação sexual. Também podemos defini-lo como a sensação de plenitude na qual nos confundimos com o outro. Fisiologicamente, isso tem um efeito libertador da tensão do prazer acumulado.

Mas, ainda que saibamos muito sobre o que é o orgasmo, desconhecemos mais dados sobre ele. Como por exemplo que nem todos os orgasmos são vividos da mesma maneira.

Hoje traremos uma das palestras mais vistas na internet, que fala sobre o orgasmo e tem 12 milhões de visualizações.

Mary Roach, escritora e divulgadora, fala-nos sobre algumas das curiosidades mais peculiares relacionadas ao campo da sexualidade, neste caso, aquelas relacionadas com a consecução do clímax sexual.

Mary esteve na lista dos 10 autores mais vendidos e recomendados em 2008, nos Estados Unidos, com o seu livro “Bonk, the curious coupling of Sciense and Sex”. A primeira palavra do seu livro, “bonk”, é um termo que significa transar e que não passou despercebido; talvez tenha sido a causa pela qual milhares de leitores se dispuseram a comprar o livro.

Mary Roach, com seu senso de humor realmente incrível para tratar esse tipo de questão, oferece-nos uma conversa sem desperdício. Oferecemo-lhes algumas das ideias mais interessantes da palestra.

10 dados sobre o orgasmo

No vídeo, dentre outras, são mostradas estas 10 curiosidades sobre os orgasmos:

1. Os bebês se masturbam no útero.

2. Para ter um orgasmo não é preciso estimular os órgãos sexuais.

3. Depois de morto, é possível ter orgasmos.

4. Orgasmo pode provocar mau hálito.

5. Pode curar o soluço.

6. No início do século XX, os médicos recomendavam o orgasmo para aumentar a fertilidade.

7. Os pecuaristas da Dinamarca o utilizam em porcos. Existem, inclusive, posteres e DVDs sobre o assunto.

8. As fêmeas animais desfrutam mais do que podemos imaginar.

9. Não é fácil estudar o orgasmo em laboratório…

10. Mas é divertido.

Trata-se de uma conversa curiosa, simpática e cheia de bom humor, que prende a atenção da audiência.

Não queremos revelar tudo, preferimos que você veja o vídeo e tenha a sua própria opinião, mas a autora nos conta coisas muito curiosas, como, por exemplo, que entrevistou uma mulher que afirmava ter orgasmos só pensando neles. Ela lhe perguntou “poderia me fazer uma demonstração agora?” e a senhora lhe respondeu “espere terminarmos o almoço!” e depois, em um banco de um parque, demonstrou. Esse tipo de orgasmo é conhecido como cerebral ou ASMR (resposta sensorial meridiana autônoma).

Outra mulher conseguia ter orgasmos cada vez que escovava os dentes, e outra com o simples fato de ser acariciada nas sobrancelhas. Esses fatos apoiam a ideia de que não somente com a penetração podemos obter prazer, mas que há milhares de maneiras que podem nos ajudar. Temos que estar dispostos a experimentar e sentir.

A autora nos dá, inclusive, receitas de sêmen artificial que encontrou ao longo da literatura. Mary Roach também nos mostra um pedaço do vídeo no qual um pecuarista dinamarquês estimula uma porca para que consiga ter um orgasmo e, portanto, seja mais fértil. Curioso, não é?

Também nos fala sobre a experiência de Kindsey, um dos pioneiros da pesquisa sexual, que não perde nada, ou da máquina Masters and Johnson, o casamento que estudou a resposta sexual humana.

Mas como uma imagem vale mais do que mil palavras, deixemos o vídeo para que comprove o que contamos e você descobrirá muitas outras coisas. Risadas estão garantidas!

Além disso, damos algumas dicas para que aproveite o sexo:

1. Não faça do sexo algo monótono. Sejam criativos e inventem coisas novas que ambos gostem.

2. Converse com seu companheiro ou companheira sobre o que gosta e o que não gosta; o sexo não é só para ser praticado, falar sobre ele é tão importante quanto.

3. Conheça primeiro a si mesmo. Se você se conhecer bem no âmbito sexual, saberá do que gosta e do que não gosta. Esqueça velhos mitos e tabus.

4. Lembre-se de que, no sexo, não há regras fixas. O importante é que você e se companheiro (ou companheira) se sintam à vontade e comprometidos.

5. Leia sobre sexo. Isso lhe permitirá abrir a sua “inteligência sexual” e apreciá-la com naturalidade.

6. Não se esqueça das preliminares. São essenciais para ter uma relação sexual satisfatória.

7. Não faça nada que não goste ou que lhe faça sentir-se incômodo. Fale com o seu companheiro.

8. Procure o momento em que ambos estejam mais relaxados e com vontade.

9. Esqueça seus complexos. Ninguém tem um corpo perfeito. A sensualidade, o erotismo… radicam em mil coisas, na forma cúmplice de olhar, de beijar, de acariciar. Sinta-se à vontade com o seu corpo e deixe-se levar.

A seguir, deixamos o vídeo para que vocês possam ouvir a própria Mary Roach.

Divirta-se!