3 ladrões de tempo que você deve evitar

· agosto 1, 2018

O tempo é um dos recursos mais valiosos que possuímos e um dos presentes mais bonitos que podemos dar a outras pessoas. Não podemos fabricá-lo, comprá-lo, nem recuperar a parte que já perdemos. Precisamente por isso, devemos aprender a valorizar o tempo como ele merece, e uma medida interessante para alcançar isso é evitar os ladrões de tempo.

A identidade desses ladrões é constituída por todas aquelas atividades que consomem muito tempo mas que, na realidade, não acrescentam nada. Infelizmente, apesar de terem sido menos comuns no passado, atualmente estão cada vez mais presentes. O problema acontece porque a mente não está preparada para combatê-los constantemente, sendo muito fácil cair prisioneiros de suas garras.

Se queremos levar uma vida plena, é fundamental identificar esses ladrões de tempo para, de alguma forma, combatê-los ou, pelo menos, evitá-los ou limitá-los. A seguir, vamos revelar a identidade dos ladrões de tempo mais comuns, e por que eles são tão perigosos.

Os ladrões do tempo

Os ladrões de tempo são muito perigosos?

As seguintes atividades são consideradas normais pela grande maioria da população. Talvez, ao lê-las, você pense que é um exagero classificá-las como ladrões de tempo, mas precisamente pelo seu sigilo e atuação silenciosa, elas são tão perigosas. Elas ocupam grande parte da nossa vida, mas estamos pouco conscientes disso.

Também é fundamental lembrar que elas não acrescentam nada, nem permitem que avancemos rumo às nossas metas.

1- Navegar pelas redes sociais

Quem nunca sentiu que perdeu a noção do tempo ao abrir o Facebook ou o Twitter? O vício em redes sociais está se tornando um problema comum nas sociedades desenvolvidas. Cada vez passamos mais horas do dia conectados à Internet, olhando a tela do celular em vez de olhar o mundo que nos rodeia.

O problema principal é que navegar pelas redes sociais rouba a nossa energia para fazer todo o resto. Segundo alguns estudos, passar muito tempo nessas páginas tem um efeito direto sobre algumas áreas do cérebro. É o caso, por exemplo, da área tegmental ventral (ATV), uma das responsáveis pela motivação e pelo humor.

Assim, o excesso de informação e estimulação das redes sociais nos torna menos sensíveis a outros estímulos positivos. Quanto mais tempo passamos navegando pelo Facebook, Instagram ou Twitter, mais temos dificuldade para nos sentirmos motivados por atividades ou eventos da vida real.

2- Ver séries de televisão

Você já entrou no Netflix com a ideia de ver só um capítulo de uma série, e esse tempinho se transformou em horas? Este é o principal perigo de um dos ladrões de tempo mais comuns da nossa época, as séries de televisão.

É muito difícil se controlar para não consumir um capítulo atrás do outro de uma história viciante. Para o cérebro, é muito complicado controlar o bombardeio de estímulos que nos rodeia hoje em dia. Por isso, inclusive, no caso de ver mais do que um ou dois capítulos, nossa energia vai diminuindo.

3- Preocupar-se excessivamente

O último dos ladrões de tempo que veremos não está relacionado com a tecnologia, mas com a própria mente. No entanto, ele é um dos mais perigosos. Ao pensarmos muito nos problemas, só conseguimos aumentar a ansiedade e nos sentir mal com nós mesmos. Enquanto isso, as tarefas que devemos fazer continuarão abandonadas.

Uma preocupação enorme pode nos empurrar para a procrastinação. Isso acontece devido a um fenômeno chamado “paralisia por análise”. Diante de um problema que não sabemos como enfrentar, dedicamos tanto tempo para pensar nas possíveis soluções que acabamos não fazendo nada.

Por este motivo, preocupar-se durante horas e horas nunca é uma estratégia eficaz para solucionar um problema. Na próxima vez em que você descobrir que está caindo neste ladrão de tempo, trate de começar a agir, mesmo sem conhecer todas as respostas, ou de cortar o círculo vicioso de pensamento, prestando atenção em outros assuntos.

Mulher cansada

O que fazer diante desses ladrões de tempo?

Como podemos ver, os efeitos negativos destas três atividades são bem similares: a perda da motivação, da força de vontade e da noção de tempo. No entanto, felizmente, a solução também é muito simples.

Se você quiser, pode combater as piores consequências destes ladrões de tempo. A melhor medida é limitar o tempo que você passa realizando cada uma dessas atividades. Para isso, basta colocar um despertador que avise quando passou um determinado período de tempo, após o qual você deve parar de se dedicar a elas. Este período quem determina é você: o adequado é que elas não condicionem todo o seu dia.

Ver séries ou mergulhar nas redes sociais de forma controlada e programada não é ruim. O problema aparece quando estas atividades nos levam a chegar tarde aos compromissos, se desconectar das conversas ou reduzir a produtividade. Por outro lado, lembremos que a ansiedade é um gatilho deste tipo de atividade, assim como assaltar a geladeira.

Portanto, quando você estiver muito ansioso por causa de um problema, em vez de se deixar levar por ele, espere até chegar ao “momento de preocupação do dia”. Ao fazer isso, você vai perceber que estas emoções tão negativas interferem menos em suas tarefas cotidianas.