3 teorias de motivação profissional

março 24, 2019
As teorias de motivação profissional, quando bem aplicadas em uma organização, melhoram notavelmente sua produtividade. Neste artigo, vamos apresentar as mais importantes.

Uma das partes fundamentais da vida é o trabalho, visto que o expediente profissional ocupa boa parte do nosso dia. Ou seja, se comparadas às horas de sono e de tempo livre, acaba sendo uma boa fração da nossa vida. Por isso, é extremamente importante estar satisfeito e motivado em nosso emprego. Para isso, nada melhor do que conhecer essas 3 teorias de motivação profissional.

O trabalho não é apenas o meio para ter uma situação financeira que permita a nossa subsistência, mas também está diretamente relacionado com a insatisfação ou a satisfação que sentimos no âmbito pessoal. Por isso, é imprescindível se sentir bem com o trabalho que se desempenha, o que fará com que o grau de motivação seja alto.

A motivação profissional não é apenas uma garantia de bem-estar para a pessoa que a tem, também é uma garantia de resultados para a empresa. Se você deseja aumentar a motivação para realizar seu trabalho, neste artigo vamos falar de várias teorias de motivação profissional elaboradas por pesquisadores que podem te ajudar a alcançar essa meta.

O que é a motivação profissional?

Em primeiro lugar, vamos deixar claro o que exatamente é a motivação profissional antes de adentrarmos nas estratégias para lidar com ela. Pois bem, a motivação profissional é o impulso ou a força interna que nos leva a realizar de forma desejada e voluntária as tarefas de trabalho, empregando para isso nossos recursos mentais e físicos com o objetivo de alcançar uma meta desejada.

Quanto maior for a meta, é provável – embora também ainda seja preciso considerar outras variáveis – que as tarefas de responsabilidade profissional de determinada pessoa sejam melhor desenvolvidas. Assim, em muitos casos a produtividade e a competitividade aumentam, além de melhorar a sensação pessoal, já que há elevação da autoestima, da segurança e da sensação de autorrealização pessoal.

Motivação profissional

Teorias de motivação profissional

1. Teoria da equidade de Adams

Esta teoria tem grande importância na área que estamos analisando. Sua hipótese principal é a seguinte: a motivação profissional se baseia na forma como o empregado valoriza a tarefa que realiza, na compreensão que obtém em troca e na comparação desta com as que os outros trabalhadores obtêm.

Em função dos resultados obtidos nessa comparação, a pessoa estará mais ou menos motivada, o que influenciará suas ações. Quanto maior a compensação, maior o envolvimento do trabalhador. Quanto menor a compensação, o trabalhador se sentirá menos valorizado e seu envolvimento se reduzirá visivelmente, podendo chegar inclusive a abandonar o trabalho.

Em resumo, a motivação surge do fato de ser tratado de maneira justa e se sentir satisfeito com o obtido em troca do trabalho realizado. Por isso, é de vital importância valorizar corretamente os funcionários.

“Escolha um trabalho do qual você goste, e não terá que trabalhar um só dia na sua vida”.
-Confúcio-

2. Teoria da motivação e higiene de Herzberg

Neste caso, o autor destaca a necessidade da valorização daquilo que as pessoas consideram satisfatório em seu trabalho e daquilo que desejam. Dessa forma, consegue-se identificar os elementos que provocam insatisfação ou que transformam o trabalho em uma tarefa não satisfatória.

Para diferenciá-los, denominou como fatores de higiene todos aqueles que fazem com que o trabalho seja satisfatório, mas que não são motivadores. Isto é, o salário, as relações pessoais, a estabilidade, a supervisão, etc.

Também distinguiu os fatores de motivação propriamente ditos, nos quais estão incluídos as promoções, o reconhecimento, a responsabilidade, a realização, a posição, o desenvolvimento, etc. Ou seja, fatores que verdadeiramente fazem com que haja satisfação e, portanto, motivação.

Trabalho em equipe

3. Teoria das necessidades aprendidas de McClelland

Trata-se de uma das teorias da motivação mais conhecidas. Para seu desenvolvimento, o autor se baseou na comparação das atuações de vários executivos que trabalham em diferentes tipos de empresas, obtendo a conclusão de que existem várias necessidades que devem ser satisfeitas para que um trabalhador se sinta motivado.

Estas são, basicamente: a necessidade de obter conquistas – buscando a satisfação em melhorar a eficiência e a atuação do próprio trabalhador – o equilíbrio entre poder e reconhecimento e entre desafio e sucesso, e a necessidade de pertencer ao grupo e ter contato com os demais.

Essas são 3 das teorias fundamentais da motivação profissional. Conhecendo-as e aplicando-as, pode ser mais fácil melhorar a eficácia e a produtividade das organizações.

  • Huilcapi-Masacon, M.R., Castro-López, G.A. y Jácome-Lara, G.A. (2017). Motivación: las teorías y su relación en el ámbito empresarial. Revista Científica Dominio de las Ciencias, 3 (2): pp. 311 – 333.
  • Rivas, M.E. y López, M. (2012). Psicología Social y de las Organizaciones. Manual CEDE de Preparación PIR, 11. CEDE: Madrid.