5 frases de Antônio Damásio para entender melhor as emoções

· fevereiro 7, 2019

Nas frases de Antônio Damásio, ele sempre destaca a importância dos afetos e das emoções para o desenvolvimento das pessoas. Poucos neurologistas contribuíram tanto para a compreensão desse fascinante mundo dos sentimentos e das motivações humanas quanto este professor, que é considerado o “mago do cérebro”.

Vilayanur Ramachandran, outro conhecido neurologista da Universidade da Califórnia, disse uma vez que o homo sapiens é uma criatura fascinante que, em um dado momento, foi capaz de olhar para a sua própria mente e ver o cosmos refletido nela. Esta semelhança poética e reveladora contém uma realidade evidente: no momento em que começamos a refletir sobre nós mesmos, demos um grande passo como espécie.

“A mente consciente é o resultado do funcionamento muito bem articulado de várias regiões cerebrais”.
– Antônio Damásio –

Por outro lado, também não podemos negar que o cérebro humano contém quase os mesmos mistérios que o próprio universo. Olhar essa insondável imensidão habitada por corpos celestes que nos rodeia todas as noites produz quase a mesma vertigem que olhar para o nosso próprio interior. No entanto, segundo Antônio Damásio, nos dias de hoje sabemos muito mais sobre o cérebro do que sobre o universo.

Cientista, um curioso apaixonado e divulgador excepcional, Damásio é um neurofilósofo capaz de nos dar as respostas mais simples para essas perguntas que sempre fizemos. No final, tudo o que somos, tudo o que sentimos e criamos como sociedade e civilização reside nesse órgão maravilhoso: o cérebro humano.

O nosso cérebro emocional

Frases de Antônio Damásio para nos conhecermos melhor

O ser humano se caracteriza basicamente por uma coisa: sua sofisticada inteligência. Nós dispomos de uma grande memória e, ao mesmo tempo, de algo que nos define e diferencia do resto das espécies deste planeta, que é a nossa linguagem. Damásio indica que, além de tudo isso, existe um aspecto do qual não podemos descuidar.

Tudo que somos e conseguimos até agora deriva dos nossos sentimentos. São eles os que nos deram a motivação suficiente para encontrar a solução para os problemas, as alternativas para as nossas dúvidas e os novos caminhos quando encontrávamos barreiras para as nossas dificuldades. Pois bem, outro aspecto crucial nas teorias deste professor da Universidade da Califórnia é a clara distinção que ele estabelece entre as emoções e os sentimentos.

Estes dois termos não são a mesma coisa, e isso é algo que podemos ver com frequência nas frases de Antônio Damásio.

1. Os sentimentos são experiências mentais

“Os sentimentos abrem a porta para uma certa medida de controle premeditado das emoções automatizadas”.

Quando vemos um perigo, quando encontramos uma pessoa que causa inquietude ou insatisfação, nosso corpo reage com uma emoção. O coração acelera, nós sentimos um calafrio, o estômago dá um nó, etc.

Pois bem, a representação mental que nós temos desse medo e os pensamentos que estão associados a ele constituem o sentimento. As emoções precedem os sentimentos, elas são as alterações químicas e orgânicas. No entanto, são os sentimentos os guias que nos permitirão, em última instância, tomar uma decisão como, por exemplo, fugir de uma pessoa que nos assusta.

Mulher fugindo dos seus medos

2. A consciência do ser humano

“Para que serve a consciência? A resposta é simples: a consciência serve para ampliar o alcance da mente do organismo e, com isso, melhorar a vida deste organismo, cuja mente possui mais alcance”.

Antônio Damásio deixa claro: a consciência está presente em grande parte dos seres vivos. No momento em que um cérebro, seja ele de um primata, um golfinho, um cachorro ou, inclusive, um réptil, cria um sentido do seu “eu”, ele cria a consciência. Porque esta entidade não está localizada em nenhum canto do nosso cérebro, trata-se simplesmente de um processo.

O que nos diferencia do resto das espécies é o fato de que a evolução expandiu muito mais a nossa consciência. Nela moram a criatividade, a memória, o raciocínio lógico, etc.

3. As emoções impulsionam a vida

“O princípio de tudo foi a emoção. Sentir não é, portanto, um processo passivo”.

Esta é outra das frases mais importantes de Antônio Damásio para compreender o seu trabalho. Sua hipótese parte do seguinte princípio: uma emoção é um conjunto de respostas químicas e neurais que formam um padrão distintivo. Quando encontramos um estímulo determinado, gera-se um tipo de reação. Isso é assim porque o nosso cérebro é o resultado de uma evolução de repertórios de condutas aprendidas.

Pois bem, depois dessa resposta emocional, chega o processo mental, chega o sentimento. Com ele, regulamos a emoção e podemos orientá-la para um comportamento determinado, para uma motivação e um tipo de resposta mais ou menos efetiva. Portanto, podemos dizer que as emoções são basicamente como a faísca da vida, o que nos induz à ação.

Pessoas de pedra

4. A importância da compaixão

“Devemos aprender a nutrir as boas emoções que permitem aos humanos prosperar”.

Damásio sempre se mostra muito sensível diante da crise social vivida pela humanidade. É comum ouvir em suas conferências como ele se aprofunda na ideia da violência, da desigualdade, dos conflitos entre países. Para este cérebro neurofilósofo, nós perdemos a capacidade de compaixão e, com frequência, nos deixamos levar só pelas emoções negativas como a ira, a raiva ou o rancor.

Devemos ser capazes de criar entornos mais próximos onde possam ser geradas emoções mais positivas. Só assim podemos prosperar, nos compreender melhor.

5. A inteligência artificial nunca poderá ser similar à humana

“Sou totalmente contra a ideia de que a inteligência artificial possa recriar uma mente humana, já que ela não tem a capacidade de ter sentimentos”.

Esta é outra das frases mais conhecidas de Antônio Damásio. É comum escutar o seu ceticismo a respeito da inteligência artificial e do seu futuro entre nós. Para ele, este tipo de entidade jamais poderá se comparar com a consciência humana. Devemos lembrar, em primeiro lugar, que o nosso cérebro é o resultado de uma evolução sofisticada.

Esses processos de computador baseados em códigos carecem de toda a nossa experiência passada, carecem de emoções, de medos, de vulnerabilidade e, é claro, de consciência. Assim, eles jamais chegarão a ter sentimentos. Eles poderão nos ajudar em muitas questões, mas nunca serão emocionalmente inteligentes.

Crianças brincando com robôs

Para concluir, assim como vimos nas frases de Antônio Damásio, o ser humano é, sem dúvida, o resultado de um desenvolvimento cerebral pautado pela consciência do “eu”, da linguagem e, antes de tudo, pelas emoções.

Apesar deste órgão poder parecer, à primeira vista, um mistério dentro de outro, com cientistas do calibre de Damásio, cada dia conseguimos ter mais esclarecimento e conhecimento sobre aquilo que somos.