O desafio de aprender a controlar a raiva - A Mente é Maravilhosa

O desafio de aprender a controlar a raiva

Maio 10, 2018 em Emoções 0 Compartilhados
O desafio de aprender a controlar a raiva

Todos nós podemos perceber quando estamos chateados, ou quando nos comportamos de maneira rancorosa e vingativa. No entanto, sabemos identificar bem a situação que nos deixa com raiva? Como podemos aprender a controlar a raiva e a mostrar nosso ódio no momento certo e com a pessoa adequada? Tudo isso requer um grande trabalho pessoal.

Aprender a controlar a raiva é um desafio que muitos não superam. Trata-se de aprender a tolerar a frustração e saber canalizá-la de forma adequada para não desviá-la nem afetar mais campos do que deveria, nem por mais tempo do que é permitido. Controlar a raiva requer um trabalho intrapessoal, isto é, consigo mesmo, e interpessoal, com os outros.

Daremos um exemplo para entender a importância de saber como controlar a raiva. Um casal tem uma discussão em casa, gritam um com o outro e o assunto fica por isso mesmo. Um dos membros do casal chega ao seu trabalho e, diante de uma pequena falha dos subordinados, dá uma bronca intensa sem permitir uma retórica.

Esta pessoa, diante da impossibilidade de demonstrar por que cometeu esse erro, chega em casa e se irrita com o filho por não obedecê-lo e o castiga. O filho, por sua vez, quando chega na escola, discute com um colega. Assim, poderíamos formar uma cadeia infinita que poderia ter acabado com o casal, resolvendo o problema conversando e defendendo cada um o seu ponto de vista.

Aprender a controlar a raiva é aprender a administrar e canalizar a frustração.
Compartilhar

Casal brigado

Identificar a situação que desperta a raiva

Talvez o erro esteja em acreditar que são as circunstâncias externas e os outros que provocam a raiva, mas na realidade isso é algo pessoal. Nem todos ficamos com raiva nem nos irritamos sempre com a mesma coisa. Portanto, o primeiro desafio é identificar quais atos ou palavras específicos acionam nosso alarme.

Quando sou capaz de identificar esse primeiro fato, posso trabalhar nele e pará-lo. Conhecer a mim mesmo me dá as ferramentas para saber que há coisas que não posso tolerar porque afetam uma parte de mim de que não gosto, não conheço, e tenho que seguir trabalhando nela.

Ficar com raiva é normal e saudável, mas nossa responsabilidade também é saber como controlar a raiva com a pessoa adequada e no momento certo, não deixar que ela se prolongue e aprender a comunicar aquilo de que não gostamos e que nos causa infelicidade. Calar o que nos irrita não é uma solução permanente para o problema.

Saber comunicar para controlar a raiva

A melhor técnica para comunicar o que nos desagrada pode ser esquematizada em diferentes etapas. O prólogo será nos acalmarmos para conversar tranquilamente e buscar soluções. Pensemos que os gritos raramente levam a um bom entendimento. As etapas seguintes podem ser:

  • Mostrar como eu me sinto: é importante falar sobre a forma como eu me sinto, e não sobre a ação ou as palavras do outro. É diferente dizer “Me sinto excluído quando você não faz planos comigo” e “Sinto raiva quando você sai com seus amigos”.
  • Contextualizar o problema: evitar usar expressões como sempre, nunca, todo mundo… Saber como limitar e concretizar um problema também ajuda a comunicá-lo e resolvê-lo melhor. Por exemplo: substituir o “Você está sempre com eles” por “Você tem dedicado vários dias a estar com um deles”.
  • Mostrar meu desejo: aqui é o momento de mostrar o que realmente gostaríamos, por exemplo: “Gostaria que você continuasse fazendo planos com seus colegas, mas que não deixasse de separar um tempo para dedicar a nós dois”.
  • Mostrar empatia: tentar entender por que o outro agiu de uma forma específica nos ajuda a não sentir as ações ou as palavras como uma ofensa, o que permite resolver a situação de uma maneira mais eficaz: “Entendo que você goste de passar um tempo junto com os seus colegas de vez em quando”.
  • Propor soluções: aqui está o desafio mais importante: não só mostro como me sinto, mas também o que quero alcançar “Poderíamos encontrar algum espaço para continuar fazendo atividades juntos”.

Casal sentado junto

O desafio de aprender a controlar a raiva requer trabalho e prática, mas seus resultados melhoram o bem-estar e as nossas relações, tanto com nós mesmos quanto com os outros. Não adie mais o trabalho e comece a se dedicar a este desafio. Você sabe como controlar a raiva?

Recomendados para você