5 medidas para que sua situação financeira não seja uma preocupação

· fevereiro 21, 2018

A situação financeira é uma das questões que às vezes assumem uma importância desproporcional. Todos sabemos que há coisas mais importantes, mas a verdade é que quando chegam as contas do fim do mês, o assunto não tem variantes. Ou você paga, ou você paga. Se as contas do final do mês não são um problema, às vezes é o fato de que você deseja algo que parece muito difícil de obter. Por mais que se esforce, vê a meta muito distante. Estica o orçamento e ainda assim tudo permanece no desejo.

“Você quer ser rico? Então não se preocupe em aumentar os seus bens, mas sim em diminuir a sua cobiça.”
-Epicuro de Samos- 

É evidente que há casos de quem compra tudo o que deseja, porém sempre permanecem à beira da falência. São realmente poucos os que nunca têm alguma dor de cabeça com as finanças. É um assunto que nos domina e às vezes não nos deixa em paz.

No entanto, geralmente os problemas não ocorrem por causa da quantidade de dinheiro que se obtém ou deixa de ser obtido. O ponto crucial está na forma de administrá-lo. Apenas há tranquilidade quando são garantidos alguns aspectos fundamentais. Sempre se pode exercer um melhor controle sobre a situação financeira, e aqui há cinco medidas para conseguir fazer isso.

1. Economizar, a base de uma boa situação financeira

É difícil falar de economia em tempos onde o consumismo atingiu o extremo. Na verdade, não se fala tanto de quanto é seu patrimônio, mas de qual é a sua capacidade de consumo. Somos bombardeados por ofertas, promoções e convites para gastarmos dinheiro o tempo todo.

Economizar dinheiro

Economizar é basicamente um hábito que também é essencial para alcançar uma situação financeira estável. Os economistas especificam qual deve ser o valor dessa economia: 10% da renda. Se você pensar que esses 10% nunca lhe pertencem, que são como um imposto que você tem que pagar, tudo será muito fácil. Você não deve gastar esse dinheiro por pelo menos um ano. Você pode se surpreender com o quão eficaz isso será para adquirir aquilo que deseja e que sempre fica na vontade.

2. Ter um fundo de emergência

Muitas vezes uma boa situação financeira desmorona devido a uma eventualidade cara. Um dano inesperado em casa, uma doença ou uma viagem de emergência são os imprevistos mais comuns.

Por isso é necessário criar e manter um fundo de emergência. Novamente, os economistas têm uma resposta para a questão de quanto destinar a esse fundo. Dizem que o adequado é 5% da renda. Neste caso, você também deve assumir que esse dinheiro não lhe pertence. Imagine que se trata de um dívida para o seu bem-estar, que você tem que pagar mês a mês.

3. Garantir a sua previdência

Esta é uma medida sobre a qual devemos insistir especialmente nas pessoas mais jovens. Em uma idade precoce, a velhice parece algo inexistente. Mas existe e pode chegar com todo o seu vigor, o colocando em uma posição de extrema vulnerabilidade.

Cuidar bem da vida financeira

Atualmente nem sempre encontramos empregos com todas as garantias de uma previdência. Se é o seu caso, você deve investir em um fundo ou fazer uma economia adicional para a velhice. Existe também uma porcentagem para isso: recomenda-se 15%. E, se possível, mais. Contar com recursos na última fase da vida não tem preço.

4. Manter um orçamento mensal

Para ter uma situação financeira estável, é necessário ter um orçamento mensal. É muito importante saber quanto dinheiro ganhamos e como o gastamos, especialmente se sua renda não é fixa. Manter um registro das contas pode ser chato, mas é absolutamente necessário.

Com base no que já dissemos, de sua renda mensal você deve descontar 30%. O restante é o que você pode realmente considerar o dinheiro destinado a gastos. Alguns podem pensar que é demais, mas se você analisar bem, é, principalmente, uma questão de hábito. Sabe-se que, às vezes, os rendimentos aumentam ou nem chegam. Isto é devido à falta disciplina com o orçamento.

5. Não comprar de maneira impulsiva

Voltemos ao início: estamos em um ambiente no qual nos incitam a consumir o tempo todo. Muitos anúncios são direcionados para que faça compras impulsivas, por isso nos oferecem grandes atrativos, para vencer a nossa resistência.

Mulher com cartões de crédito

Sem se dar conta, muitas vezes você acaba comprando coisas que na realidade não precisava. E pior: coisas que você realmente não desejava. Simplesmente se deixou levar pelo desconto de 70%, ou por uma moda de consumo que não lhe proporciona nada de bom.

Embora não pareça, o dinheiro tem muito a ver com a psicologia e a organização. Seu significado, seu uso e as consequências disso são assuntos que estão muito mais na mente que na realidade objetiva. Ter uma boa situação financeira é decisiva para a tranquilidade. Você deve ajustar as coisas para que o dinheiro não roube o seu sono.