5 razões pelas quais a psicoterapia pode fracassar

· julho 17, 2018

A psicoterapia pode fracassar por diferentes razões, mas esse fracasso sempre é relativo. O simples fato de ter iniciado o processo já é um grande passo. A disposição para melhorar e o interesse em fazer isso mostram amor próprio e vontade de superar o que está acontecendo.

Não é fácil tomar a decisão de expor todo o seu mundo interior a uma pessoa que você não conhece. Você sabe que ela é profissional, mas isso não elimina o fato de que todos, ou pelo menos a maioria de nós, precisamos de um mínimo grau de confiança ou de afinidade para compartilhar os nossos sentimentos. Se procuramos um psicoterapeuta, fizemos isso porque sentimos que precisamos de ajuda. No entanto às vezes “algo” simplesmente acontece e não conseguimos que esse processo seja bem-sucedido.

Independentemente de qual seja a razão pela qual a psicoterapia fracassa, sempre devemos tentar novamente. Nada funciona com total perfeição em nosso mundo. O mais importante, em todo caso, é a nossa decisão de melhorar. Além disso, sempre é bom considerar quais são as principais razões pelas quais a psicoterapia fracassa. Isso pode nos ajudar a evitar que isso ocorra. Estas são cinco delas.

“A grande descoberta da minha geração é que os seres humanos podem alterar suas vidas ao alterar as suas atitudes mentais”.
– William James –

Motivos pelos quais a psicoterapia pode fracassar

1. Falta de comprometimento

O principal protagonista de uma terapia psicológica é aquele que, em alguns enfoques, é chamado de “paciente”, e em outros, de “analisante” ou “cliente”. Não importa de que tipo de escola se trata, em todos os casos, a pessoa que vai a um psicoterapeuta deve ter um comprometimento básico. Esse compromisso é, especialmente, consigo mesma.

Sessão de terapia

Isso se reflete na frequência e pontualidade que a pessoa dedica às sessões e em se esforçar para superar os seus problemas. É preciso querer encontrar as razões e os caminhos que levam a superar as dificuldades. Infelizmente, nem sempre é assim que acontece.

2. Espera-se muito do psicoterapeuta

Uma das razões mais comuns pelas quais a psicoterapia fracassa é uma expectativa muito elevada em relação ao terapeuta. Existem pessoas que esperam dele todas as respostas para as suas dificuldades. No entanto, esta crença é muito equivocada.

O psicoterapeuta não é um mago, nem um sábio, nem um vidente. Também não é um guia, em sentido estrito. Seu papel é o de acompanhar e marcar o processo que permite que uma pessoa se conheça melhor. Ele é treinado para ajudar, e o objetivo é que interprete de uma maneira mais objetiva ou inteligente o que ocorre com a pessoa. Apesar disso, não tem o poder de mudar a vida de ninguém.

3. As resistências são muito fortes

É comum que nós tenhamos a tendência de nos apegarmos aos nossos problemas e também às formas erradas de resolvê-los. Todo problema, por mais grave que seja, oferece benefícios secundários. Por exemplo, fazer-se de vítima contribui para justificar a inação ou a falta de decisão para mudar a vida. Por isso, sempre temos dificuldade para abandonar os nossos problemas.

Isso recebe o nome de “resistência”. Na maioria dos casos, é uma realidade inconsciente ou pré-consciente. As resistências levam a, por exemplo, abandonar as sessões quando as mesmas alcançam pontos culminantes. Muitas vezes a psicoterapia fracassa porque quem a frequenta não consegue vencer essas resistências à mudança.

Homem frustrado na terapia

4. Se as motivações são equivocadas, a psicoterapia pode fracassar

O espaço terapêutico permite rever a forma como pensamos, sentimos ou agimos. O objetivo é identificar os fatores que geram o mal-estar que nos leva ao consultório, além de identificar outras maneiras de abordar a nossa realidade pessoal para construir uma vida mais plena e satisfatória.

No entanto, nem sempre as pessoas vão para o consultório motivadas por esses propósitos. Às vezes elas fazem isso porque desejam resolver um problema pontual. Não querem explorar dentro de si mesmas, mas sim encontrar a fórmula mágica para solucionar um impasse. Por exemplo, desejam que seu companheiro sentimental mude e vão para o consultório para descobrir como conseguir fazer isso. A psicoterapia fracassa se começa por uma motivação desse tipo.

5. Relação ruim com o psicoterapeuta

A relação que se estabelece na psicoterapia é do tipo profissional. No entanto, isso não exclui o fato de que se trata de um vínculo entre dois seres humanos. Como tal, não há garantias de que exista o que chamamos de “química” ou “feeling”. A psicoterapia pode fracassar por causa desta incompatibilidade.

Relação ruim com o terapeuta

Uma boa psicoterapia é um presente que toda pessoa deveria se dar alguma vez. Não é algo que vá solucionar todos os seus problemas, nem garantir a felicidade. Ninguém tem isso garantido. No entanto, trata-se de um espaço que permite repensar e se renovar. Fazer uma limpeza em nosso mundo interior e colocar algumas coisas em ordem. Mesmo quando ela fracassa, sempre deixa alguma contribuição.