5 situações que roubam energia emocional

dezembro 23, 2018

Todos já passamos por situações que roubam energia emocional em algum momento de nossas vidas. São episódios que, de uma maneira ou de outra, nos envolvem profundamente. Entretanto, depois de experimentá-los, temos a sensação de que nos esforçamos muito e de que, no fim das contas, eles nos proporcionaram muito pouco.

A energia emocional é outra maneira de nomear a vitalidade. Aquela força que temos antes de aparecer o cansaço. Se dissermos que algumas situações a roubam de nós, é porque elas verdadeiramente nos levam a desperdiçar essa vitalidade em assuntos que são insignificantes, mas que exigem esforço.

“Você ama a vida? Pois se você a ama, não desperdice o tempo, porque o tempo é o bem do qual a vida é feita”.
– Benjamim Franklin-

São muitas as situações que roubam nossa energia emocional, e elas devem ser evitadas porque exigem muito e pouco dão em troca. São episódios que acontecem unicamente para nos distrair do que é importante, do que realmente nos enriquece. Vamos aprender a identificá-las e evitá-las. A seguir, veja 5 situações desse tipo:

Situações que roubam energia emocional

1. Discussões sobre temas insignificantes

O debate é uma excelente oportunidade para apresentar os próprios pontos de vista e conhecer as opiniões dos outros. Poucas coisas enriquecem tanto quanto sustentar um diálogo construtivo entre pessoas que pensam diferente. Isso amplia a perspectiva e enriquece o pensamento, além de fortalecer as habilidades comunicativas.

Colegas discutindo no trabalho

Algo muito diferente acontece quando duas pessoas mergulham em uma discussão insignificante, cujo único propósito é “vencer o outro” e impor os próprios argumentos. Isso, com frequência, só gera mal-estar. Gasta-se muita energia, coloca-se em evidência suas piores facetas e, no final, tudo isso não passa de uma questão de vaidade pessoal.

2. Reclamações

Tanto reclamar quanto escutar insistentemente as queixas alheias são situações que roubam energia emocional. De vez em quando, todos nós reclamamos – isso é normal. No entanto, às vezes a queixa se torna um hábito, uma forma de vida. Uma perspectiva na qual a pessoa dá voltas e voltas ao redor do mesmo problema, sem que se faça algo efetivo para solucioná-lo.

A reclamação é um discurso que leva ao desenvolvimento de uma atitude de impotência. A realidade não é o que queremos que seja, mas em vez de nos concentrarmos em como poderíamos mudar isso, nos dedicamos a reiterar os aspectos negativos que nos confrontam. Não vale a pena gastar tempo com isso. Esta atitude só nos leva a fugir das responsabilidades.

3. Fofocas

Uma das situações que roubam energia emocional é saber sobre a vida privada dos outros em vez de se concentrar na própria vida. Esse tipo de “voyeurismo” nada mais é do que uma mostra de falta de identidade. Quem fala sobre os outros procura a si mesmo neles, mas não consegue se encontrar.

O pior é que esse tipo de atitude costuma estar acompanhada de uma crítica implacável ao próximo. Observa-se os demais e procura-se o envolvimento em suas vidas pessoais com um ânimo destrutivo. Não há maneira pior de perder tempo do que fofocando. Não apenas rouba energia, como também degrada a si mesmo.

4. Dúvidas repetidas

Remoer os pensamentos em excesso quase sempre leva à confusão e à inação. É evidente que muitas decisões devem ser ponderadas e que a única maneira de fazer isso é revisando os prós e os contras que aparecem no cenário. Porém, desse ponto até o início de um exercício eterno de dúvida, há um grande abismo.

Uma das situações que nos roubam energia emocional é a dúvida compulsiva. Chama-se assim esse exercício de pensar sobre algo apenas para colocar “poréns” no próprio pensamento. Ou seja, o tentar encontrar a resposta definitiva apenas com reflexão. Esquecemos que muitas respostas só chegam quando se combina pensamento e ação.

Pessoa com caixa na cabeça

5. Busca por aprovação

Muito se faz para conseguir a aprovação dos outros. Às vezes este também é um tema que dura dias, preocupa e acaba nos atrapalhando. Em vez de investir tempo para explorar quem somos, dedicamos muito tempo a fazer coisas que agradem aos demais.

Isso é apenas tempo perdido: as pessoas simplesmente aceitam você ou não. Em alguns casos, isso acontece por razões que fogem completamente do seu controle. Se você é loiro, por ser loiro. Ou se você é suíço, por ser suíço. Aliás, um fato que gera rejeição é o desejo excessivo de aceitação. Portanto, não vale a pena empenhar seus esforços nisso.

Essas situações que roubam energia emocional deveriam ser erradicadas da vida pessoal. Geralmente acabamos envolvidos nelas quando estamos confusos, ou quando estamos passando por uma fase de insegurança. Sua vida vale muito. Seu tempo também. Não os gaste em circunstâncias que não acrescentam nada.