7 pilares para construir um amor saudável

· outubro 16, 2017

Sete pilares sustentam o amor saudável de um casal: respeito, confiança, honestidade, apoio, igualdade, identidade própria e boa comunicação. Para que um casal possa construir um amor saudável, deve haver reciprocidade, dar e receber amor na mesma medida, sempre cuidando um do outro.

Autores como Walter Riso e Jorge Bucay explicam que dentro de um relacionamento de casal é muito importante demonstrar reconhecimento pelos gestos de cuidado e carinho que um tem pelo outro. Seja grato, pois esta não é uma obrigação. Isto contribuirá para construir, viver e desfrutar de um amor completo e saudável.

“Uma definição de amor: a alegria pela existência do outro”.
– Walter Riso –

Muitas vezes pode parecer uma missão impossível encontrar a pessoa certa e, por sua vez, que ela pense o mesmo sobre nós. Então, quando acontece, sentimos uma grande emoção, e os pequenos inconvenientes da vida parecem não ter tanta importância. É como se eles nem existissem diante de tanta felicidade.

Por outro lado, no início de um relacionamento é comum que vejamos o mundo cor de rosa. Um tom tão fantástico quanto perigoso, pois pode nos cegar e impedir que vejamos que o relacionamento não é tão saudável como deveria ser. É importante ressaltar que o amor deve ser saudável desde o início.

“Não morra pelo outro, mas viva para desfrutarem juntos”.
– Jorge Bucay –

Dentro de cada relacionamento há responsabilidades. Se algo não “vai bem” entre duas pessoas, o problema é dos dois e ambos têm uma parte da solução nas suas mãos. Não é necessário que seja na mesma proporção, é claro.

Nesse sentido, não se trata de pensar que você é responsável por tudo o que acontece, ou pelo contrário, não assumir nenhum erro. Em vez disso, a questão é encontrar um equilíbrio nos compromissos que cada um assume e pode cumprir. Um casal inteligente sabe como compartilhar essas responsabilidades para que os pontos fortes de cada um brilhem.

Figuras de pedra apaixonadas

Para compartilhar essas responsabilidades, a comunicação desempenha um papel fundamental, especialmente quando se trata de assumir compromissos ou chegar a acordos. Quando se trata de assumir responsabilidades, outro ponto importante é avaliar de forma realista o que podemos e o que não podemos fazer. Talvez não possamos comprar um presente muito caro, mas talvez possamos fazê-lo com as nossas mãos. Talvez não consigamos encontrar outro emprego, mas podemos aceitar o que temos.

Estamos falando de um processo, com diferentes subprocessos, de crescimento constante. Um processo que ocorrerá dentro do relacionamento se o amor for saudável, mas também individualmente nas pessoas que formam o casal.

“Eu sempre pensei que a resposta mais linda para um ‘Eu te amo’ é ‘Eu me sinto muito amado por você'”.
– Jorge Bucay –

Comportamentos aprendidos

Todos nós temos uma ideia antes, durante e depois de qualquer relacionamento de como o nosso parceiro deve ser, assim como imaginamos como devem ser os nossos amigos ou a nossa família. Além disso, a maioria de nós, quando tem um parceiro, tende a compará-lo com alguém “perfeito” e fazer todo o possível para ajustá-lo a ele.

Nessa distância que há entre o parceiro ideal e o real, geralmente estão as atitudes, pensamentos ou comportamentos que nos incomodam tanto. Para que o casal possa construir um amor saudável precisamos ser flexíveis: em algumas situações podemos chegar a acordos, mas com outras teremos que aceitá-las ou, então, mudar de parceiro.

Nesse sentido, é necessário que as duas pessoas ajustem seus níveis de tolerância à realidade que compartilham para que o amor saudável continue crescendo. Por outro lado, estabelecer mudanças de forma inteligente, sem cair na tentação de manipular o outro, contribuirá para o crescimento do casal na mesma direção.

Assim, quando se trata de comportamentos aprendidos, como não tirar o prato da mesa ou outras tarefas domésticas, podemos conversar com o nosso parceiro e pedir-lhe para mudar o seu comportamento ou decidir não fazer nada e aceitar a situação. Mas, se é algo que faz parte da sua personalidade, por exemplo, se nosso parceiro é mais tímido do que nós, devemos aceitar que ele é assim. O que nunca devemos aceitar são os comportamentos que atacam a nossa integridade, como agressões e insultos. Isto não deve ser aceito em qualquer outro tipo de relacionamento.

Construir um amor saudável é uma questão de qualidade, e não de quantidade. Amar muito não significa “amar bem”. Amar bem requer respeito, confiança, honestidade, apoio mútuo, um equilíbrio entre dar e receber, manter identidades separadas e uma boa comunicação.

7 pilares para construir um amor saudável

“Fique com um amor

que lhe dê respostas e não problemas.

Segurança e não medo.

Confiança e não dúvidas”.

– Paulo Coelho – 

Em uma relação saudável o casal dá e recebe mutuamente:

1. Respeito

O respeito é a capacidade de ver e aceitar a pessoa como ela é, estar atento à sua singularidade. É desejar que ela se desenvolva de acordo com os seus próprios desejos e caminhos, e não de acordo com os nossos planos.

2. Confiança

Confiar em um parceiro não significa comprovar tudo o que o outro diz ou faz, é sentir que podemos confiar para compartilharmos bons e maus momentos.

Casal abraçado

3. Honestidade

É importante ser honesto com nós mesmos sobre os nossos sentimentos e ser honesto com o outro. Não pode haver troca afetiva se não houver autocrítica. É preciso estar seguro de que as nossas preferências, desejos, sonhos, anseios e necessidades são razoáveis e não violam os direitos do casal.

4. Apoio

É importante demonstrar apoio mútuo: ser capaz de diferenciar as nossas necessidades das necessidades do outro e permitir que ele cresça pessoal e profissionalmente.

“O amor verdadeiro nada mais é do que o inevitável desejo de ajudar o outro a ser quem ele é”.
– Jorge Bucay –

5. Igualdade (equilíbrio entre dar e receber)

Ambos os parceiros são responsáveis ​​pelo relacionamento e devem cuidar dele. A reciprocidade é a base de um amor justo, a base para construir um amor saudável. Quando damos amor, esperamos amor, porque as relações afetivas do casal se alimentam da troca. Não é uma questão de avareza, mas de altruísmo recíproco: juntos somos mais.

“Dizer que o amor de um casal não espera nada em troca é uma invenção dos submissos: se você dá, você quer receber. É o normal, o recíproco”.
– Walter Riso –

6. Identidade própria

É importante manter identidades separadas dentro de um relacionamento de casal, onde cada membro pode manter a sua própria identidade, a sua personalidade e tudo o que faz com que sejam quem são. Praticar um individualismo responsável, onde cada um mantém vivo o seu amor próprio na relação que escolheu, preocupando-se com o parceiro, mas também consigo mesmo. Afinal, somos seres completos.

“Apaixonar-se é amar as coincidências, e amar é se apaixonar pelas diferenças”.
 – Jorge Bucay –

Casal que tem um amor saudável

7. Boa comunicação

A comunicação é fundamental em qualquer relacionamento. Em um relacionamento em que desejamos construir um amor saudável, é essencial manter uma boa comunicação em todos os momentos.

Um casal é composto por duas pessoas que devem tomar decisões conjuntas e que nem sempre compartilham o mesmo ponto de vista. Para chegar a acordos, é necessário dialogar com tranquilidade e confiança.

Esses sete pilares podem não garantir o futuro de um casal, mas criarão a certeza de que, enquanto estiverem juntos, será possível construir um amor saudável, digno, divertido e uma fonte de crescimento e inspiração para as pessoas que o compartilham.